Fundações

Talita Dalbosco
Mind Map by Talita Dalbosco, updated more than 1 year ago
Talita Dalbosco
Created by Talita Dalbosco over 5 years ago
13
1

Description

Mind Map on Fundações, created by Talita Dalbosco on 01/17/2015.

Resource summary

Fundações
1 Direta - superficiais (sapatas, blocos, radier, sapatas associadas, vigas de fundação e sapatas corridas)
1.1 - profundidade < 2x menor dimensão (2,00m x 1,00m x 2,00m de altura)
1.2 - nas divisas com terrenos vizinhos, salvo assentes sobre rocha, profundidade não deve ser inferior a 1,50m.
1.3 - em planta, não deve ter dimensões inferiores a 60cm.
1.4 - pressões distribuídas sob a base da fundação
1.5 O fundo deve receber um lastro de concreto não estrutural com no mínimo 5cm, no caso de rocha pode variar para poder regularizar a superfície
1.6 Sapatas
1.6.1 Executadas em concreto armado; trabalham à flexão; tensões de tração são resistidas pelo emprego de armadura.
1.6.2 Indicadas para solos com alta capacidade de suporte
1.7 Bloco
1.7.1 Executados com concreto simples ou ciclópico; tensões de tração são resistidas pelo concreto sem necessidade de armadura
1.7.2 Não confundir blocos de fundação com blocos de coroamento, estes são armados de modo a transmitir a carga dos pilares para as estacas ou tubulões
1.7.3 Pode ter suas faces verticais, inclinadas ou escalonadas e planta seção quadrada ou retangular
1.8 Radier
1.8.1 Abrange todos os pilares da obra ou carregamentos distribuídos
1.9 Sapata Associada (radier parcial)
1.9.1 Comum a vários pilares, cujos centros, em planta, não estejam situados em um mesmo alinhamento.
1.10 Viga de Fundação
1.10.1 Comum a vários pilares, cujos centros, es planta, estão no mesmo alinhamento
1.11 Sapata Corrida
1.11.1 Sapata sujeita a ação de carga distribuída linearmente (muro)
1.12 Esse tipo de fundação não deve ser utilizado: 1. aterro mal compactado; 2. argila mole; 3. areia fofa e muito fofa; 4. existência de água onde o rebaixamento do lençol freático não se justifica economicamente.
1.13 Viga de Equilíbrio
1.13.1 Nos pilares de divisa ou próximos a obstáculos onde não seja possível fazer com que o centro de gravidade da sapata coincida com o centro de gravidade do pilar.
1.13.2 Elemento estrutural que recebe as cargas de um ou dois pilares e é dimensionada de modo a transmiti-las centradas às fundações
2 Recalque - movimento vertical descendente de um elemento estrutural. Representado pelo sinal positivo.
2.1 Quando o movimento for ascendente denomina-se levantamento
2.2 - Recalque diferencial específico é a relação entre as diferenças dos recalques de dois apoios e a distância entre eles.
2.3 Maiores tensões, maiores recalques - o centro sofre mais que a periferia
3 Cota de arrasamento - nível em que deve ser deixado o topo da estaca ou tubulão, demolindo ou completando
3.1 a sua armadura deve penetrar no bloco de modo a garantir a transferência dos esforços
4 Nega - penetração permanente de uma estaca, causada pela aplicação de um golpe de pilão. Medida por uma série de dez golpes
4.1 Para 10 golpes de 1,0m de altura de queda do pilão e para 1 golpe de 5,0m de altura de queda do pilão
5 Repique - parcela elástica do deslocamento máximo de uma seção da estaca, decorrente da aplicação de um golpe de pilão
6 Profunda
6.1 Indireta - profundas (estacas) - cargas transmitidas pela superfície lateral
6.1.1 - estacas moldadas in loco (broca, Strauss, Franki, Raiz, Hélice Contínua)
6.1.1.1 Estaca Raiz
6.1.1.1.1 Perfuração rotativa ou roto-percussiva;
6.1.1.1.2 Revestida integralmente por um conjunto de tubos metálicos recuperáveis
6.1.1.1.3 Armada em todo seu comprimento e preenchida com argamassa de cimento e areia
6.1.1.1.4 Diâmetro nominal entre 150 mm a 500 mm
6.1.1.2 Estaca escavada com injeção ou microestaca
6.1.1.2.1 Utiliza tubo manchete em sua execução; método igual a estaca raiz.
6.1.1.3 Estaca tipo Broca
6.1.1.3.1 Perfuração com trado manual, o que restringe a pequenas cargas por alcançar pouca profundidade de 6 a 8 m. e também pela não garantia de verticalidade do furo
6.1.1.3.2 Não utiliza revestimento ou fluido
6.1.1.3.3 Diâmetro nominal entre 200 mm a 500 mm
6.1.1.3.4 Em geral, não são armadas utiliza somente ferros de ligação com blocos. utiliza-se concreto
6.1.1.4 Estaca tipo Strauss
6.1.1.4.1 Escavação mediante emprego de sonda (piteira) com simultânea introdução de revestimento metálico retirados posteriormente
6.1.1.4.2 Não indicadas na presença de areias submersas, em argilas muito moles saturadas ou presença de lençol freático
6.1.1.4.3 Indicada para locais confinados devido o equipamento ser pequeno e leve, e provoca pouca vibração
6.1.1.4.4 Armadas eventualmente, utiliza concreto em sua fabricação, podem servir como cortina de contenção de subsolos
6.1.1.4.5 Diâmetro limitado a 500 mm, para estacas armadas deverá ter diâmetro minimo de 320 mm
6.1.1.4.6 Concreta-se o fundo e apiloa para formar um bulbo, vai concretando e retirando o revestimento
6.1.1.5 Estaca tipo Franki
6.1.1.5.1 Cravação por meio de sucessivos golpes de pilão, de um tubo de ponta fechada com bucha seca de pedra e areia
6.1.1.5.2 Base alargada completamente armada e execução de fuste de concreto apiloado com simultânea retirada do revsetimento
6.1.1.5.3 Seu processo executivo causa muita vibração
6.1.1.5.4 Não se recomenda em: 1. terrenos com matacões; 2. locais com construções vizinhas precárias; 3. terrenos com camadas de argila mole saturada
6.1.1.6 Estaca Hélice
6.1.1.6.1 Contínua Monitorada
6.1.1.6.1.1 Escavação por um trado helicoidal contínuo com injeção de concreto por sua haste central simultaneamente a sua retirada.
6.1.1.6.1.2 Armadura colocada após concretagem
6.1.1.6.1.3 Indicadas para áreas urbanas por não ocasionar vibrações e ruídos exagerados. Tem como característica sua alta produtividade e o número reduzido de pessoas para sua execução
6.1.1.6.2 Deslocamento Monitorado
6.1.1.6.2.1 Estaca de deslocamento, sua penetração no solo por meio rotação com um trado desloca o material não havendo assim a retirada de solo
6.1.1.6.2.2 Injeção de concreto pelo interior do tubo e permite que a armadura seja colocado pelo interior do tubo antes da concretagem
6.1.1.7 Estacas escavadas com uso de fluído estabilizante
6.1.1.7.1 Escavada com uso de fluído - lama bentonítica ou polímero sintético, para sustentação das paredes laterais. Deve ser cravada uma camisa metálica. Escavada por clam-shell
6.1.1.7.2 Colocação da armadura e concretagem submersa, com o concreto deslocando o fluido para fora do furo
6.1.1.7.3 Seções circulares - estacões; seções retangulares - barretes; e contínua - parede-diafragma
6.1.1.7.4 Lama Bentonítica
6.1.1.7.4.1 Argila que sofre beneficiamento - argilo-mineral é o montmorilonita sódica
6.1.1.7.4.2 Características: - estabilidade, capacidade de formar uma película impermeável; tixotropia - fluido quando agitada e gel quando em repouso
6.1.2 - estacas pré-moldadas (concreto, metálica ou de madeira) e estaca mista pela associação de dois destes elementos
6.1.2.1 Cravadas no terreno por percussão, prensagem ou vibração, fazem parte das estacas de deslocamento porque não retiram o solo
6.1.2.2 Estaca de madeira: usadas em obras provisórias, se usadas permanentes deverão ser protegidas. Cota de arrasamento abaixo do nível d'água. Deve-se evitar em terrenos com matacões
6.1.2.3 Estaca metálica: usada quando se deseja uma cravação sem vibração. servem de apoio a pilares de divisa. devera ser protegida apenas de ficar exposta ou em terrenos com aterro com materiais capazes de atacar o aço.
6.1.2.4 Estacas de concreto: não deve utilizar em terrenos com presença de matacões ou camadas de pedregulho; construções vizinhas em estado precário e terrenos em que a previsão da cota da ponta seja muito variável.
6.1.2.5 Estaca de Reação ou Tipo Mega (Estaca Prensada)
6.1.2.5.1 Composto por peças de concreto armado vazado ou perfis metálicos
6.1.2.5.2 Cravadas com auxílio de macaco hidráulico
6.1.2.5.3 Utilizada como reforço de fundação, mas podem também ser utilizadas nos casos em que há necessidade de reduzir vibração ao máximo e quando nenhum outro tipo de estaca pode ser feito
6.1.3 Executada por equipamentos ou ferramentas, sem que haja descida de operário
6.1.4 Não se deve executar estacas com espaçamento inferior a 5 diâmetros em intervalos inferior a 12 horas, na estaca Franki o espaçamento será de 6 diâmetros.
6.1.5 Pelo menos 1% das estacas, e no minimo uma por obra, deverá ser exposta abaixo da cota de arrasamento e, se possível, até o nível d'água, para verificação da sia integridade e qualidade do fuste
6.2 Direta profunda (tubulões)
6.2.1 - Tubulões (tubulões a céu aberto e os tubulões a ar comprimido). Podem ser executados com ou sem revestimento, no caso de seu uso este pode ser perdido ou recuperado. a base pode ser ou não alargada
6.2.1.1 Tubulões a Céu Aberto
6.2.1.1.1 Empregado acima do lençol freático, abaixo dele deverá ser possível controlar a água do interior do tubulão
6.2.1.1.2 Escavação, alargamento da base, retirada de material solto, inspeção, colocação de armadura e concretagem.
6.2.1.2 Tubulões a Ar Comprimido
6.2.1.2.1 Empregado para executar tubulões abaixo do nível d'água em solos que não se mantêm estáveis sem risco de desmoronamento e não seja possível controlar a água do interior do tubulão
6.2.1.2.2 instala-se um equipamento pneumático (Campânula) e a pressão máxima empregada é 3 atm (0,3 MPa).
6.2.1.3 Caixão
6.2.1.3.1 Elemento de fundação de forma prismática, concretado na superfície e instalado por escavação interna. pode-se usar ou não ar comprimido e sua base pode ser ou não alargada.
6.2.2 Escavação manual ou mecânica com descida de pessoal ao final para alargamento da base ou limpeza de fundo
6.2.3 cargas são transmitidas essencialmente pela base
6.2.4 Não pode ser feito trabalho simultâneo em bases alargadas em tubulões cuja distância, de centro a centro, seja inferior a 2,5 x o diâmetro da maior base.
6.3 Transmite a carga ao terreno pela base (resistência de ponta; por sua superfície lateral (resistência de fuste) ou por uma combinação das duas.
6.4 Assente em profundidade superior 2 x sua menor dimensão em planta e, no minimo 3,00m.
6.5 Atrito Lateral
6.5.1 Positivo: no trecho do fuste ao longo do qual o elemento de fundação tende a recalcar mais que o terreno circundante
6.5.2 Negativo: no trecho em que o recalque do solo é maior que o da estaca ou tubulão.
Show full summary Hide full summary

Similar

Fundações
Bruna Sakazaki
FUNDAÇÕES
leh_sato
Fundação Superficial
Bruna Sakazaki
Introdução, princípios e organização
Gabriel Ferraz
Fundações
Samuel Júnior
Fundações rasas (generalidades) NBR 6122/2010
Adriano Pereira
SIST - Tipos de Fundações
Thaiz Pessoa
Engenharia Civil
Renata Nascimento de Aguiar
Fundações
Jeiser Bandeira
AULA 0: FUNDAÇÕES
João Vitor da Silva Morato
Fundação Superficial
SERGIO CARLOS SALLES NASCIMENTO