HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL (1ª PARTE)

Lucas  Villar
Mind Map by , created over 3 years ago

História do Brasil desde a organização das sociedades indígenas antes dos portugueses, até a a montagem do sistema colonial e a exploração econômica do açúcar.

731
37
0
Lucas  Villar
Created by Lucas Villar over 3 years ago
A história do Brasil em 50 frases
tatygreg
Períodos da História do Brasil
GoConqr suporte .
Ingleses, franceses e holandeses na América
jacson luft
10 Basic English Questions - Quiz 1
Leo JC
GCSE CHEMISTRY UNIT 2 STRUCTURE AND BONDING
ktmoo.poppypoo
O Governo-Geral Brasil colônia
jacson luft
Brasil colônia
Halison César
História do Brasil - Período Colonial
alessandra
Processo de Independência Brasileiro
Gabrielle Lattanzi
BRASIL COLÔNIA (XVI - XVIII)
Nicoli Ferraz
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL (1ª PARTE)
1 O BRASIL ANTES DOS PORTUGUESES
1.1 A ocupação do território
1.1.1 As teorias sobre a ocupação da América

Annotations:

  • http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2014/12/jornada-da-vida-mostra-origem-dos-brasileiros-ha-13-mil-anos.html 
1.1.2 Os Nativos da América Portuguesa
1.1.2.1 Organização Política
1.1.2.1.1 Existência do nomadismo
1.1.2.1.1.1 Praticavam a agricultura
1.1.2.1.1.1.1 Existência de Guerras Tribais
1.1.2.1.1.1.1.1 Religião Politeísta
1.1.2.1.1.1.1.1.1 Praticavam a ANTROPOFAGIA
1.1.2.1.2 Líder Político: Cacique
1.1.2.1.3 Líder Religioso: Pajé
1.1.2.2 Divisão sexual e etária do trabalho
2 A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA COLONIAL
2.1 PERÍODO PRÉ-COLONIAL (1500-1530)
2.1.1 AUSÊNCIA DE OCUPAÇÃO EFETIVA DEVIDO AO COMÉRCIO DE ESPECIARIAS COM O ORIENTE.

Annotations:

  • “Até agora não pudemos  saber se há ouro ou prata nela, ou outra coisa de metal ou ferro; nem lha vimos. Contudo a terra em si é de muito bons ares frescos e temperados como os  de Entre-Douro e Minho, porque neste tempo dagora assim os achávamos como os de  lá. (As) águas são muitas; infinitas. Em tal maneira é graciosa que, querendo-a  aproveitar, dar-se-á nela tudo; por causa das águas que tem! Contudo, o melhor  fruto que dela se pode tirar parece-me que será salvar esta gente. E esta deve  ser a principal semente que Vossa Alteza em ela deve lançar. E que não houvesse mais do que ter Vossa Alteza aqui esta pousada para essa navegação de Calicute  (isso) bastava. Quanto mais, disposição para se nela cumprir e fazer o que  Vossa Alteza tanto deseja, a saber, acrescentamento da nossa fé!”.  (CAMINHA, Pero Vaz. Carta de Pero Vaz de Caminha ao Rei de Portugal, em  1º/5/1500.)
2.1.2 EXPEDIÇÕES EXPLORADORAS
2.1.2.1 Para Reconhecimento do território
2.1.3 EXPEDIÇÕES GUARDA-COSTAS
2.1.3.1 Expedições Militares para proteção do litoral
2.1.4 ECONOMIA
2.1.4.1 EXTRATIVISMO
2.1.4.1.1 Exploração do pau-brasil
2.1.4.1.1.1 Escambo
2.1.4.1.1.2 Estanco-régio
2.1.4.1.1.3 Feitorias
2.2 A COLONIZAÇÃO DA AMÉRICA PORTUGUESA
2.2.1 As dificuldades iniciais
2.2.1.1 O comércio das especiarias
2.2.1.2 Falta de pessoas
2.2.1.3 Ausência de metais preciosos
2.2.2 A EXPEDIÇÃO COLONIZADORA (1530): Martim Afonso de Sousa.
2.2.2.1 Marco inicial da colonização
2.2.2.2 Expulsão de estrangeiros
2.2.2.3 Explorar o território
2.2.2.4 Fundação da primeira vila: São Vicente
2.2.3 Organização Política
2.2.3.1 AS CAPITANIAS HEREDITÁRIAS
2.2.3.1.1 DESCENTRALIZAÇÃO
2.2.3.1.2 "PRIVATIZAÇÃO"
2.2.3.1.3 Donatário: recebia a posse do território..
2.2.3.1.3.1 FORAL
2.2.3.1.3.2 CARTA DE DOAÇÃO
2.2.3.1.3.3 ESSE MODELO FRACASSOU
2.2.3.1.3.3.1 Falta de $$$$
2.2.3.1.3.3.2 Falta de Pessoas
2.2.3.1.3.3.3 Ataques de índios e estrangeiros
2.2.3.1.3.3.4 Isolamento dos Donatários
2.2.3.2 OS GOVERNOS GERAIS
2.2.3.2.1 O sistema de Governo-Geral foi criado em 1548, com o objetivo de exercer o efetivo controle da colônia, por parte da metrópole, auxiliando os donatários e diminuindo os poderes de alguns.
2.2.3.2.1.1 OBJETIVOS
2.2.3.2.1.1.1 Auxiliar as Capitanias
2.2.3.2.1.1.2 Defender o litoral
2.2.3.2.1.1.3 Explorar o interior
2.2.3.2.1.1.4 Coordenar a exploração colonial
2.2.3.2.1.2 PRINCIPAIS GOVERNADORES GERAIS
2.2.3.2.1.2.1 TOMÉ DE SOUSA
2.2.3.2.1.2.2 MEM DE SÁ
2.2.3.2.1.2.3 DUARTE DA COSTA
2.2.4 ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA
2.2.4.1 PLANTATION CANAVIEIRA
2.2.4.1.1 LATIFÚNDIO
2.2.4.1.2 ESCRAVIDÃO
2.2.4.1.3 MONOCULTURA
2.2.4.1.4 EXPORTAÇÃO
2.2.4.1.5 PRODUTOS SECUNDÁRIOS
2.2.4.1.5.1 Aguardente
2.2.4.1.5.2 Rapadura
2.2.4.1.5.3 PECUÁRIA
2.2.4.1.5.4 ALGODÃO
2.2.4.1.5.5 FUMO
2.2.4.1.5.6 DROGAS DO SERTÃO
2.2.4.2 EXTRAÇÃO DO PAU-BRASIL
3 OS POVOS AFRICANOS
3.1 A REALIDADE AFRICANA ANTES DOS EUROPEUS
3.2 A MONTAGEM DO SISTEMA DO TRÁFICO
3.2.1 PRINCIPAIS ÁREAS DE ORIGEM DOS ESCRAVOS
3.2.1.1 POVOS BANTOS
3.2.1.1.1 Moçambique, Angola e Congo
3.2.1.2 POVOS SUDANESES
3.2.1.2.1 Costa do Marfim, Nigéria e Benin
3.2.1.3 AS ROTAS DE COMÉRCIO ESCRAVO
3.2.1.3.1 http://www.unesco.org/new/fileadmin/MULTIMEDIA/HQ/CLT/pdf/MapSlaveRoute.pdf

Annotations:

  • http://www.unesco.org/new/fileadmin/MULTIMEDIA/HQ/CLT/pdf/MapSlaveRoute.pdf
3.3 A PRESENÇA AFRICANA NO BRASIL
3.3.1 PRINCIPAIS PORTOS DE ENTRADA
3.3.2 A EXPLORAÇÃO DA MÃO DE OBRA
3.3.3 AS FORMAS DE RESISTÊNCIA
3.3.3.1 FUGAS
3.3.3.2 MOTINS
3.3.3.3 EXECUÇÃO DE FEITORES
3.3.3.4 SUICÍDIOS / ABORTOS
3.3.3.5 BANZO
3.3.3.6 OS QUILOMBOS
3.3.3.7 A CULTURA COMO FORMA DE RESISTÊNCIA
3.3.3.7.1 CAPOEIRA
3.3.3.7.1.1 RELIGIÕES DE MATRIZ AFRICANA