2.INSTITUIÇÕES ELEITORAIS(JUSTIÇA ELEITORAL)

francosertorio
Mind Map by francosertorio, updated more than 1 year ago
francosertorio
Created by francosertorio almost 6 years ago
48
1

Description

ELEITORAL Mind Map on 2.INSTITUIÇÕES ELEITORAIS(JUSTIÇA ELEITORAL), created by francosertorio on 03/01/2014.
Tags

Resource summary

2.INSTITUIÇÕES ELEITORAIS(JUSTIÇA ELEITORAL)
1 I - CONCEITO DE INSTITUIÇÕES: ESTRUTURAS CRIADAS PARA O FUNCIONAMENTO E EXERCÍCIO DE ATRIBUIÇÕES E COMPETÊNCIAS. PODEM SER ÓRGÃOS OU ENTIDADES. NO CASO DO DIREITO ELEITORAL SÃO ÓRGÃOS
2 II - JUSTIÇA ELEITORAL: É JUSTIÇA FEDERAL ESPECIALIZADA. PREVALECE O FORO DA JUSTIÇA ELEITORAL EM DETRIMENTO DA FEDERAL
2.1 EXCEÇÃO: HOMICÍDIO MOTIVADO POR CRIME ELEITORAL. DESMEMBRAMENTO DO HOMICÍDIO PARA O JURI E CRIME ELEITORAL PERMANECE NA J. ELEITORAL
2.2 II.I - ORGANIZAÇÃO:
2.2.1 A) TSE - TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL( SETE JUÍZES)
2.2.1.1 1º - 3 JUÍZES DENTRE OS MINISTROS DO STF MEDIANTE ELEIÇÃO SECRETA
2.2.1.1.1 OBS. . NÃO HÁ IMPEDIMENTO DE MINISTRO DO STF EM FAZER PARTE DE JULGAMENTO DE QUE PARTICIPOU NO TSE. A REMUNERAÇÃO N CONTA NO TETO.
2.2.1.2 2º - 2 JUÍZES DENTRE OS MINISTROS DO STJ MEDIANTE VOTO SECRETO
2.2.1.3 3º - 2 JUÍZES ESCOLHIDOS PELO PRESIDENTE DENTRE SEIS ADVOGADOS DE NOTÁVEL SABER JURID E IDONEIDADE MORAL INDICADOS PELO STF
2.2.1.3.1 OBS: 10 ANOS DE ADVOCACIA. NÃO HÁ IMPEDIMENTO DE EXERCÍCIO NA ADVOCACIA(-) NO ELEITORAL
2.2.1.4 OBS: O TSE ELEGERÁ O PRESIDENTE E O VICE DO STF E O CORREGEDOR SO STJ
2.2.2 B) TRE'S(SETE JUÍZES)
2.2.2.1 1º - 2 JUÍZES DENTRE OS DESEMBARGADORES DO TJ DO ESTADO - VOTO SECRETO
2.2.2.2 2º - 2 JUÍZES DENTRE OS JUÍZES DA CAPITAL ESCOLHIDOS PELO TJ - VOTO SECRETA
2.2.2.3 3º - 1 JUIZ DO TRF COM SEDE NA CAPITAL OU DF OU ESCOLHIDO PELO TRF
2.2.2.4 4º - 2 JUÍZES NOMEADOS PELO PRESIDENTE INDICADOS DENTRE SEIS ADVOGADOS PELO TJ
2.2.3 D) JUNTAS ELEITORAIS. ART. 36, CE. - ÓRGÃO COLEGIADO P/ EM MOMENTO ESPECÍFICO REALIZAR A APURAÇÃO DAS ELEIÇÕES E A DEPENDER - PROCLAMAR E DIPLOMAR OS ELEITOS
2.2.3.1 D.1)JUIZ + 2 OU 4 CIDADÃOS NOTÓRIA IDONEIDADE = 3 OU 5 MEMBROS
2.2.3.2 D.2) NOMEADOS 60 DIAS ANTES DA ELEIÇÃO = APROVAÇÃO PELO TRE
2.2.3.3 D.3) PUBLICAÇÃO ATÉ DEZ DIAS ANTES DA NOMEAÇÃO - PRAZO DE 03 DIAS P IMPUGNAÇÃO
2.2.3.4 D.4 ) NÃO PODEM SER MEMBROS DAS JUNTAS:
2.2.3.4.1 1º - CANDIDATO, CÔNJUJE/COMPANHEIRO(HETERO OU HOMO) OU PARENTE P/ AFINIDADE OU ADOÇÃO ATÉ O 2º GRAU.
2.2.3.4.2 2º - ESCRUTINADORES(APURADORES) OU AUXILIARES
2.2.3.4.3 3º - MEMBROS DE DIRETÓRIOS DE PARTIDOS REGISTRADOS E OFICIALMENTE PUBLICADOS
2.2.3.4.4 4º - AUTORIDADES E AGENTES POLICIAIS(DELEGADOS E AGENTES, SOLDADOS) E CARGOS DE CONFIANÇA DO EXECUTIVO
2.2.3.4.5 5º - OS QUE PERTENCEM AO SERVIÇO ELEITORAL (FUNÇÃO EM CARGO EFETIVO OU COMISSIONADO)
2.2.3.4.6 OBS: ALÉM DOS CASOS DO ARTIGO 36, DO CE
2.2.3.4.6.1 A LEI 9.504/97, ART. 64. COMPLEMENTA" É VEDADA A PARTICIPAÇÃO DE PARENTES EM QUALQUER GRAU OU DE SERVIDORES DA MESMA REPARTIÇÃO PÚBLICA OU EMPRESA PRIVADA, NA MESMA MESA, TURMA OU JUNTA"
2.2.4 C)JUÍZES ELEITORAIS
2.3 II.II - COMPETÊNCIA ORIGINÁRIA: NATUREZA DO PROCEDIMENTO ELEITORAL
2.3.1 A) TSE: PRESIDENTE E VIVE-PRESIDENTE.(NACIONAL)
2.3.2 B) TRE: GOVERNADOR/VICE; DEPUTADO ESTADUAL, DISTRITAL E FEDERAL; SENADORES E SUPLENTES(ELEIÇÕES GERAIS)
2.3.3 C) JUIZ ELEITORAL E JUNTAS ELEITORAIS PREFEITO/VICE-PREFEITO, VEREADORES E JUIZES DE PAZ(MUNICIPAIS)
2.4 II. III - ORGANIZAÇÃO TERRITORIAL DA JUSTIÇA ELEITORAL
2.4.1 A) CIRCUNSCRIÇÃO: ORGANIZAÇÃO GEOGRÁFICO FEDERATIVA Q SE VINCULA A UM ENTE FEDERATIVO - U, ESTADO, DF OU MUNICÍPIO PARA AS ELEIÇÕES , GERAIS, MUNICIPAIS OU NACIONAL.
2.4.2 B) ZONAS: FAZ PARTE DA ORGANIZAÇÃO ESTADUAL E LOCAL DA JUSTIÇA ELEITORAL. QUEM SE ENCARREGA DE SUA DIVISÃO É O TRE. NÃO COINCIDE COM O NÚMERO DE COMARCAS. PODE OCORRER HAVER DIVERSAS COMARCAS COM APENAS UMA ZONA ELEITORAL OU UMA COMARCA COM DEZENAS DE ZONAS. DIVIDE-SE PELO NÚMERO DE ELEITORES. PODE HAVER DIVERSOS CARTÓRIOS ELEITORAIS EM UMA MESMA ZONA, A DEPENDER DO NÚMERO DE ELEITORES
2.4.3 C) SEÇÃO: "SUBDIVISÃO FUNCIONAL DA ZONA ELEITORAL" TENDO POR FIM A DIVISÃO DO ELEITORADO E COLETA DOS VOTOS.
2.5 II.IV - FUNÇÕES DA JUSTIÇA ELEITORAL
2.5.1 A) JURISDICIONAL
2.5.1.1 A.1) CONTENCIOSA - PROCESSAR E JULGAR A AÇÕES CÍVEIS E CRIMINAIS ELEITORAIS
2.5.1.2 A.2) VOLUNTÁRIA(NAT. ADMINISTRATIVA) - QDO A PADIDO OU POR OFÍCIO DECIDE REVER SUAS DECISÕES - EX. RECONTAGEM DE VOTOS
2.5.1.3 E) FUNÇÃO CORREICIONAL/DE CONTROLE/FISCALIZAÇÃO/MONITORAMENTO: TODO ÓRGÃO DO PODER JUDICIÁRIO TEM FUNÇÃO CORREICIONAL POR DE SUAS RESPECTIVAS CORREGEDORIAS. A JUSTIÇA ELEITORAL É PECULIAR TAMBÉM NESTE ASPECTO. AGE DE OFÍCIO, COM PODER DE POLÍCIA E É EXTERNA(TEM PODER DE POLÍCIA) - QUANTO A LEGALIDADE DAS ELEIÇÕES, PROPAGANDA, PRESTAÇÃO DE CONSTAS - SÚMULA 18, TSE.
2.5.1.3.1 SÚMULA 18. TSE. "CONQUANTO INVESTIDO NO PODER DE POLÍCIA, NÃO TEM LEGITIMIDADE O JUIZ ELEITORAL P/ DE OFÍCIO, INSTAURAR INSTAURAR PROCEDIMENTO C/ A FINALIDADE DE IMPOR MULTA PELA VEICULAÇÃO DE PROPAGANDA ELEITORAL EM DESACORDO C/ ALEI 9.504/97"
2.5.1.3.1.1 PODE DETERMINAR PROVIDÊNCIAS, MAS NÃO INSTAURAR PROCEDIMENTO DE OFÍCIO - DETERMINA A RETIRADA, REDUZ A TERMO E ENVIA P/ O MP
2.5.2 B) ADMINISTRATIVA - TODOS OS ÓRGÃOS DA JUSTIÇA POSSUEM FUNÇÃO ATÍPICA ADMINISTRATIVA, DE AUTO ORGANIZAÇÃO. NA JE, TAL FUNÇÃO É "PECULIAR"
2.5.2.1 B.2) ORGANIZAÇÃO DAS ELEIÇÕES: LOGÍSTICA C/ PESSOAL, SEGURANÇA, URNAS, TRANSPORTE DE ELEITORES, CUMPRIMENTO DO CALENDÁRIO, ETC
2.5.2.2 B.1) ORGANIZAÇÃO DO ELEITORADO NACIONAL(ADMINISTRAR AS INFORMAÇÕES EM TEMPO INTEGRAL E ALIMENTAR O SISTEMA, MANTENDO SEMPRE ATUALIZADO - INTEGRAÇÃO C/ CARTÓRIOS DE REGISTRO CÍVEIS, VARAS DE FAMÍLIA E CRIME(ÓBITOS, INTERDIÇÕES, SUSPENSÕES DE D. POLÍTICOS P/ CONDENAÇÕES CRIMINAIS E IMPROBIDADE
2.5.2.3 B.3) REGISTRO, CANCELAMENTO, BEM COMO DE TODA INFORMAÇÃO REFERENTE A ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS PARTIDOS POLÍTICO - MUDANÇA DE DIRETORIA, ESTATUTO,
2.5.3 C) FUNÇÃO NORMATIVA - PRERROGATIVA PARA EDIÇÃO DE RESOLUÇÕES E INSTRUÇÕES.
2.5.3.1 OBS: O C. ELEITORAL DE 1965. O PODER NORMATIVO JÁ PREVISTO NO ART. 1º, PAR. ÚNICO E ART. 23, IX. PERÍODO EM QUE A LEI TINHA UM PODER NORMATIVO ACIMA DA CF E QUE O ATO ADMINISTRATIVO TINHA UM PODER NORMATIVO ACIMA DA LEI. A LEI 9.504/97 - REAFIRMAÇÃO DA FUNÇÃO NORMATIVA DA JE, MESMO APÓS A CF/88, POR MEIO DE RESOLUÇÕES E INSTRUÇÕES - ELEVADAS AO MESMO PATAMAR DE LEI ORDINÁRIA.
2.5.3.1.1 OBS.2 APENAS O TSE E O TRE TEM FUNÇÃO PARA EDITAR RESOLUÇÕES. OS JUÍZES ELEITORAIS PODEM EDITAR INSTRUÇÕES INTERNAS PARA O FUNCIONAMENTO DIÁRIO DOS CARTÓRIOS ELEITORAIS.
2.5.4 D) FUNÇÃO CONSULTIVA - ÚNICO ÓRGÃO DO PODER JUDICIÁRIO QUE DETÉM TAL FUNÇÃO - NEM MESMO O STF! ART. ART. 23, XII, C. ELEITORAL - TSE - CONSULTAS: "EM TESE" + "AUT. C/ JURISDIÇÃO FEDERAL" OU "ÓRGÃO NACIONAL DE PARTIDO POLÍTICO.
2.5.4.1 OBS: TRE'S: "ASSUNTO EM TESE" + "AUTORIDADES PÚBLICAS" OU "PARTIDO POLÍTICO". JUIZ ELEITORAL. NÃO!!!!
2.5.4.1.1 EXEMPLO: PODEM ORIGINARIAMENTE "A" E "B" CONCORREREM A PREFEITO E VICE, NA MESMA CHAPA? - SIM, NÃO CARACTERIZA SUCESSÃO
Show full summary Hide full summary

Similar

1.INTRODUÇÃO AO DIREITO ELEITORAL
francosertorio
Alistamento Eleitoral
Wargas Teixeira
PARTIDOS POLÍTICOS I
Alessandra Penha
CF + DIREITOS POLÍTICOS
Alessandra Penha
Direito eleitoral
Daniel Mariano
COMPETÊNCIA TSE
Alessandra Penha
AIJE - Ação de investigação Judicial Eleitoral
Vicente Moreira
Art. 14, §§10, 11 - Impugnação Mandato
Maria Augusta Toniol
art. 15, CF. Dir. Polít. Perda ou Susp.
Maria Augusta Toniol
Art. 14, §§5º,9º, CF. Inelegíveis
Maria Augusta Toniol
Direito Eleitoral - Justiça Eleitoral
Bia Nascimento