SABER ESCOLAR, CURRÍCULO E DIDÁTICA: problemas da unidade/método no processo pedagógico

Mercia Cristine Magalhaes Pinheiro C
Mind Map by Mercia Cristine Magalhaes Pinheiro C, updated more than 1 year ago
Mercia Cristine Magalhaes Pinheiro C
Created by Mercia Cristine Magalhaes Pinheiro C over 4 years ago
13
0

Description

1º ano Tecnologia na Educação Mind Map on SABER ESCOLAR, CURRÍCULO E DIDÁTICA: problemas da unidade/método no processo pedagógico, created by Mercia Cristine Magalhaes Pinheiro C on 12/27/2016.

Resource summary

SABER ESCOLAR, CURRÍCULO E DIDÁTICA: problemas da unidade/método no processo pedagógico
  1. Educação Escolar/difusão do saber
    1. O que é, em que consiste e qual sua especificidade?

      Annotations:

      • Nem sempre acompanha de reflexão sobre por que e para que ensinar e raro a especificação do a quem se dirige o ensino.
      1. Como é constituído, criado (inventado, reinventado?
        1. Como é organizado para fins de ensino, e como é transmitido/assimilado?
          1. CONTEÚDO/MÉTODO EXPRESSA NA UNIDADE ENTRE CURRÍCULO E DIDÁTICA
            1. Papel do conteúdo: 1. Ora valorizado com fim em si mesmo, acima do método, ora subordinado à relação professor/aluno, as técnicas, aos procedimentos, aos recursos didáticos; 2. em alguns casos desacreditado ou aceito a serviço da conscientização; 3. como fator de instrumentalização de participação social.
              1. Revalorização do conteúdo (como organizar, dosar, sequenciar): 1.Elaboração de "listagem de conteúdo" itens e subitens a serem desenvolvidos nas unidades de cada disciplina; 2. Integração das áreas de estudo/disciplinas pela organização em amplas unidade temáticas, organização e sequenciação segundo os critérios de simultaneidade e complementaridade; 3. Adotou-se princípios que norteariam a seleção dos conhecimentos mais significativos de cada disciplina, sua distribuição pelas séries, o tratamento metodológico para as diferentes disciplinas numa mesma série.
                1. Entretanto, o desafio para a EJA: CAPTAR A ESTRUTURA DE CADA ÁREA DO CONHECIMENTO
                  1. Elaboração de proposta curriculares exige: * a captação da "ESPINHA DORSAL" de cada disciplina ou area do conhecimento; * a compreensão dos processos de assimilação/ apropriação do conhecimento; * o domínio dos processos pelos quais se exerce a ação mediadora entre o conhecimento e a sua assimilação/apropriação.
                2. Método não como instrumento, mas como trajetória que supõe a mediação objeto (conhecimento) e sujeito (aluno)
                3. Pressupostos da dialética do processo pedagógico:
                  1. 1ª Relação conteúdo/método implica a relação sujeito/objeto
                    1. 2ª Captar a relação dialética conteúdo/método requer a captação da estrutura do objeto e da estrutura do sujeito
                      1. 3ªNa dialética do processo pedagógico, a relação conteúdo/método implica a relação currículo/didática.
                    2. A autora sinaliza de que o ponto de partida do seu estudo foi que a educação visa instrumentalizar o povo para fins de participação social. E tem dupla função: 1. TÉCNICA (instrumentos que envolve como e com que educar - OS MEIOS) e 2. POLÍTICA: (voltada para a participação social envolvendo o porque e para que educar - OS FINS)
                      1. EXISTÊNCIA DE DICOTOMIA ENTRE OS DOIS POLOS: TÉCNICA E POLÍTICA e a necessidade de dicotomização meios versus fins
                      2. Principal objeto do estudo: a relação conteúdo/método na organização do saber escolar e sua tradução nos currículos e nos programas das disciplinas escolares.
                        1. Primeiro Capítulo: Vicissitudes da organização do saber escolar: problemas da elaboração do curriculo e da constituição das disciplinas escolares.
                          1. i. A HISTÓRIA DO CURRICULO :Evitar na análise histórica pensar o passado com os critérios do presente, falsa visão de estabilidade.
                            1. Compreensão da evolução dos termos: escola, classe e currículo. Tanto na evolução do termo desde o seu surgimento no vocabulário pedagógico como também os contextos de seu emprego e suas múltiplas implicações. Como exemplo o CURRÍCULO
                              1. Currículo - ideia de prescrição: percurso educacional, programa ou conjunto de programas de aprendizagem de um curso, organização deliberada da escola para a condução de aprendizagem de indivíduos ou grupos, processos metódicos de elaboração e de execuação dos programas e cursos, programa de atividades dos professores e dos alunos, para alcance de certos fins ou certos objetivos educacionais;
                                1. Currículo - Ou ideia ligada à execução (currículo oculto ou latente) - saberes, competências, representações, papéis, valores"
                                  1. Currículo - Ideias ligadas com os contextos culturais dos quais ele emerge e nos quais institucionaliza. a) estruturação e circulação do saber, constituição e transmissão de conteúdos cognitivos e simbólilcos. b) um dos meios esseciais para estabelecer traços da cultura dominante. c) produto de uma seleção no interior da cultura de uma sociedade.
                                    1. Aspectos dos processos de elebaração e implementação curriculares
                                      1. 1ª A elaboração obedece ao estabelecimento de prioridades de acordo com as finalidades da educação escolar e o público a que se destina.
                                        1. 2º consiste numa seleção de elementos da cultura, passíveis (desejaveis) de serem ensinados/aprendidos na educação escolar
                                          1. 3ª como construção social, o currículo resulta de processos conflituosos e de decisões negociadas
                                            1. 4º Há uma tendência a seguirem normas, critérios, modelos mundiais
                                              1. Funcionalista: desenvolvimento da sociedade, atenção as matérias modernas
                                                1. Historicista: diversidade curricular entre os sistemas de educação, trajetória própria, coerente ao longo do tempo
                                                  1. Estandardização: reflexo dos valores modernos na escola primária, independente do desenvolvimento nacional, afinidade com as sociedades nacionais, aproximação das convenções munidais
                                            2. ii. HISTÓRIA DAS DISCIPLINAS ESOLARES: COMPONENTES DO CURRíCULO/GINÁSTICA INTELECTUAL/
                                              1. antes recebiam denominações de objetos, partes, ramos, matérias de ensino, faculdades. HOJE CLASSIFICA MATÉRIA DO ENSINO. Ainda hoje disciplina escolar tem a ideia de disciplinar o espríto
                                                1. Noção de Disciplina Esc. Conjunto de conhecimentos de certo domínio ou área do conhecimento quando entendida como um componete currícular
                                                  1. A história tem demonstrado que a D. E. É mais do que aquisição de saberes, a formação de hábitos, é a tb a aquisição de "MANEIRAS REGULARES E REGULADAS DE OPERAR FACE A UM TIPO DE PROBLEMA".
                                                    1. Disciplina é um dos métodos da escolarização (em todos os níveis e todas as rúbricas da hstória do ensino trad.)
                                                      1. Aspectos import. sobre as D. E.
                                                        1. 1ª a instauração, a evolução e as mudanças das D. E. devem-se a dupla ordem de fatores: os internos (condições do trabalho na área) e os externos (políticas educacional, contexto econômico, social e político que as determinam)
                                                          1. 2º a existência de reciprocidade de influencias entre as disciplinas escolares e a cultura da sociedade. ACULTURAÇÃO DE MASSA
                                                            1. 3º as D. E. constituem um conjunto peculiar de conhecimentos, dispostos especificamente para fins de ensino
                                                      1. CAPÍTULO 2. A relação Escola/Sociedade como eixo Estruturador do Currículo
                                                        1. I. o aluno e o cotidiano da sala de aula
                                                          1. Concepção de educação como consientização/ pedagogia emancipatória , inspirada em Paulo Freire que tem como princípios norteadores: RELAÇÃO DIALÓGICA, FORMAÇÃO DA CONSCIENCIA CRÍTICA, DESMITIFICAÇÃO DO SABER, ÊNFASE NOS PROCESSOS DE PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO MAIS DO QUE SEU PRODUTO, A PESQUISA PARTICIPANTE
                                                            1. Defendem um curriculo construido na sala de aula, com descoberta permanente (prof. e alunos são pesquisadores), segundo principios de INTERDISCIPLINARIDADE
                                                              1. Professor em seu trabalho deve buscar a compreensão crítica da realidade. Dialógo permanente e crítico. Professor e aluno fazem pesquisa cotidianidade.
                                                                1. Refleção sobre a ação, ideias não são aceitas como modelo, mas como parte de um processo de recriação permanente.
                                                              2. a ESCOLA FAZENDO DO SABER como instrumento de poder: reproduz, produz e legimitima o seu papel ideológico
                                                                1. qualquer desses casos o currículo consiste na concretização do controle social no campo educacional, promovendo a discriminação de classe, raça e sexo.
                                                                2. Ensinar a aprender o que seja pesquisar. MAS QUE ENSINAR E APRENDER O CONHECIMENTO, É PRECISO CONCRETIZÁ-LO NO COTIDIANO.
                                                                3. Currículo como ciência crítica: preocupa-se com a desocultação do currículo, questionar o conhecimento, desenvolver a pedagogia da incerteza, combate o "mito do saber objetivo. Por fim, combater e superar a visão q restringe o papel da escola à transmissão de verdades científicas, o currículo como corpo de conhecimento predeterminados e organizados hierarquicamente, resultante do suposto consenso cultural
                                                                  1. O ensino deve contemplar a expressão, a experiência do aluno, a vivência, utlizando o seu capital cultural e seus interesses como base de conhecimento. RESGATE DA CULTURA QUE O ALUNO É PORTADOR.
                                                                  2. aspectos sociológicos na organização do saber escolar, com base nas concepções de educação popular, da pedagogia histórico-crítica e da pedagogia socialista
                                                                    1. Estruturação do conteúdo. a) questiona a organização em disciplina, SEM DESCARTÁ-LAS, como um meio cômodo de facilitar a compreensão; propõe um rompimento de barreiras entres as disciplinas - INTERDISCIPLINAR.
                                                                      1. a INTERDISCIPLINARIDADE visa superar a visão fragmentada do currículo que tende a somar/confluir e hierarquizar algumas disciplinas
                                                                        1. PROCESSO DE COPARTICIPAÇAO, RECIPROCIDADE, MUTUALIDADE, DIÁLOGO, a intergração não só das disciplinas mas de todos os envolvidos.
                                                                          1. INTERDISCIPLINARIDADE = ATITUDE. Concepção fragmentada por UNITÁRIA DO SER HUMANO
                                                                            1. a INT. não se ensina, apenas vive-se, exerce-se!!!!
                                                                      2. II. A Socialização do saber elaborado
                                                                        1. Concepção crítica-social dos conteúdos.
                                                                          1. Saber elaborado = democratização do ensino
                                                                            1. nessa concepção, reconhece os limites da escola, bem como suas contradições e possíbilidade.;
                                                                              1. Cabe a escola a ocupar-se seu tempo de automia relativa: função de transimitir conhecimento e exercer papel ativo na construção da realidade sola.
                                                                            2. O currículo nessa visão não se restrige a métodos e técnicas ou programas. DIZ RESPEITO SOMENTE A TAREFA DE ENSINAR. Atividades que se destinam ao domínio dos conteúdos das diversas matérias.
                                                                              1. Compreensão que o conteúdo não é neutro, sendo necessário a visão de historicidade, dimensão crítico-social.
                                                                                1. Não se afina com a concepção popular por entender que esta se restringe ao resgate da cultura popular. Também não se restrige as xperiencias de vida pois limita-se a trato de questões imediatas. numa postura paternalista, quando não pragmática e utilitarista
                                                                                Show full summary Hide full summary

                                                                                Similar

                                                                                13 motivos para usar a Tecnologia na Educação
                                                                                André Matias
                                                                                Ensinando com as ferramentas GoConqr
                                                                                GoConqr suporte .
                                                                                10 DICAS SOBRE TECNOLOGIA EDUCATIVA
                                                                                Cristinamba
                                                                                PROTAGONISMO DO ALUNO
                                                                                Alessandra S.
                                                                                Tecnologias Computacionais na Educação: Desafios na Prática Docente
                                                                                Karin Elisa Frie
                                                                                Softwares Educacionais
                                                                                valdeiresmendes
                                                                                Novas Tecnologias e mediação pedagógicas
                                                                                tatiana_ana2012
                                                                                TECNOLOGIAS NA ESCOLA: INTERNET NA ESCOLA E INCLUSÃO
                                                                                taize1305
                                                                                JOGOS EDUCATIVOS DIGITAIS
                                                                                Beth Schneider
                                                                                Tecnologia móvel em sala de aula: problema ou desafio?
                                                                                rosana-jatoba
                                                                                SLIDES: TECNOLOGIAS NA ESCOLA
                                                                                taize1305