Anestesia em Odontologia Veterinária

Gleise Erika
Slide Set by Gleise Erika, updated more than 1 year ago
Gleise Erika
Created by Gleise Erika about 5 years ago
32
1

Description

Slide Set on Anestesia em Odontologia Veterinária, created by Gleise Erika on 07/09/2016.

Resource summary

Slide 1

    Anestesia em Odontologia Veterinária
    INTRODUÇÃO Anestésicos gerais, hipnóticos, analgésico opióides; Interferem no funcionamento da transmissão química do SNC, resultando em analgesia com ou sem hipnóse ou apenas sedação; Redução da exocitose de neurotransmissores essenciais para a manutenção do estado de percepção sensorial e/ou vigília do paciente anestesiológico; Alteração na condutância de canais iônicos específicos; Neuromodulação: Alteração neuronal resultante da ação de substâncias liberadas por células não neuronais que possuem capacidade de alterar a excitabilidade das células nervosas; Importantes Neuromoduladores: Óxido nítrico, metabólitos do ácido araquidônico, bases purínicas, peptídeos, citocinas, quimiocinas; Além de estarem presentes fisiológicamente no SN, também podem ser induzidos por situações patológicas sendo necessária intervenção farmacológica para alívio da dor.
    Toxicidade dos anestésicos: Importante devido a possibilidade dos órgãos envolvidos no metabolismo e excreção estarem envolvidos em processo inflamatório sistêmico como sepse e endotoxemia onde há liberação de moléculas inflamatórias ocasionando hipotenção arterial e mudança na perfusão dos órgãos.

Slide 2

    Anestesia em Odontologia Veterinária
    Drogas que Interferem na Condutância do Sódio Anestésicos derivados do ácido benzóico: Benzocaína; Derivados do ácido paraaminobenzóico (PABA): Procaína, tetracaína; Derivados da xilidina: Lidocaína, bubivacaína, mepivacaína, prilocaína; Derivados da Quinoleína: Dibucaína. Mecanismo de AçãoRedução da condutância dos íons de Na através da membrana do neurônio.Apresentação FarmacológicaExistem artifícios farmacocinéticos que prolongam o efeito dos anestésicos locais nos tecidos;
    Rotineiramente são adicionados vasoconstritores como adrenalina e noradrenalina para lidocaína; Levonordefrina para mepivacaína; Estes fármacos atuam diminuindo a taxa de absorção do fármaco mantendo o anestésico mais tempo com a fibra nervosa; Não utilizar em extremidades pois retarda o processo de cicatrização e provoca necrose. Metabolização e ExcreçãoMetabolização hepática e excreção renal.Efeitos Adversos Superdosagem, incapacidade metabólica do paciente; SN: Excitação/ convulsão, devido interferencia no GABA;  Sistema Cardiovascular: Redução da excitabilidade, da taxa de condução e excitabilidade.

Slide 3

    Anestesia em Odontologia Veterinária
    Anestesia Tópica Spray de lidocaína 10% e benzocaína 20% - Mucosas de 1 mm - 20 min. Gel de lidocaína 5% Anestesia InfiltrativaLidocaína, mepivacaína, bupivacaína, procaína, ropivacaína. Anestesias Perineurais Nervo Infra-Orbitário: Analgesia dos dentes pré-molares, caninos e incisivos superiores, pele, palato e mucosas oral e nasal; Indicado para cirurgias orais extensas envolvendo dentes pré molares e rostrais maxilares; Nervo Maxilar: Para lábio superior, maxilar, dentes superiores, pele do focinho, palato, mucosas oral e nasal;
    Nervo Mentoniano:  Nervo Zigomático, lacrimal e oftálmico: Nervo Mandibular: Analgesia de toda a mandíbula; Nervo Auriculo-Temporal: 

Slide 4

    Anestesia em Odontologia Veterinária
    MPA Objetivo: Tratamento da dor pra reduzir ansiedade e facilitar recuperação, estimar o risco anestésico cirúrgico do procedimento a partir da condição física do paciente e exames complementares, sedação, amnésia, analgesia, redução das secreções das vias aéreasprevenção de respostas a reflexos autonômicos, antiemético, relaxamento muscular, facilita indução da anestesia, profilaxia de reações alérgicas; Escolher o fármaco mais adequado para cada paciente; A MPA ideal deve ser indolor, ter latência e duração curtas e não comprometer os sistemas cardiovascular e pulmonar. AnticolinérgicosAção: Bloqueio dos receptores muscarínicos das terminações pós ganglionares das fibras colinérgicas do organismo, impedindo a ação da acetilcolina, sem influência dos receptores nicotínicos.
    Efeitos: Redução da motilidade do TGI do esôfago ao cólon, redução da salivação, aumento da FC devido ao bloqueio dos estímulos vagais, relaxamento dos brônquios e bronquíolos diminuindo a resistência das vias aéreas, midríase e ciclopegia, dilatação da ´pelve, cálices e ureteres, diminuição do tônus e contrações da bexiga. Administração: IM; Sulfato de Atropina: Absorção rápida, atravessa a barrira hematoencefálica e plascentária  Escopolamina: Inibe sialorréia (antisialogogo), atravessa a barreira hematoencefálica causando adinamia e sonolência, em doses altas pode causar ataxia, êmese e alucinações  Glicopirrolato: Taquicardia menos intensa, previne complicações causadas pelo aumento exagerado do consumo de O2 pelo miocardio, não atravessa as barreiras hematoencefálica e plascentária por isso desconhece-se toxicidade do SNC, o efeito antisialogogoé mais duradouro e mais eficiente que o da atropina.

Slide 5

    Anestesia em Odontologia Veterinária
    Benzodiazepínicos Ação: Existem dois receptores, central e periférico. Central: Sistema de neurotransmissão inibitório, possui o receptor de benzodiazepínas GABA com os sítios barbitúrico, esteróide, picrotoxina e canal de cloreto. Controle pelas enzimas benzodiazepínicas e barbituricas; Periféricos: Células fagocíticas mononuclear, no cérebro é formado pela microglia ativada. Efeitos: Ansiolíticos, amnésicos, potencializadores de sedação promovida por outros fármacos, anticovulsivantes, relaxantes musculares. Podem reduzir os efeitos psicodislépticos da cetamina Não são analgésicos  Podem promover agitação se administrados isoladamente
    Diazepam e Midazolam: São rapidamente absorvidos devido a alta solubilidade independente da via de administração, atravessam facilmente as barreiras hematoencefálica e plascentária. Midazolam possui potencia sedativa de 3 a 4 vezes maior que o diazepam porém possui curta duração. É utilizado como agente sedativo e indutor do sono, em associação a bupivacaína possui efeito antinociceptivo. Além de serem utilizados como MPA também podem ser utilizados na indução anestésica para reduzir até 50% as doses do tiopental sódico, propofol e etomidato  E minimizar efeitos indesejados com a cetamina Antagonista: Flumazenil - IV - Afinidade pelos mesmos receptores

Slide 6

    Anestesia em Odontologia Veterinária
    Drogas que Atuam em Receptores Alfa  Adrenérgicos Pré Sinápticos: Xilazina, Detomidina e Compostos Correlatos Receptores Alfa 1 e alfa 2 Alfa 2 regula função cardiovascular, associado à narcolepsia em cães Efeitos: Bradicardia, bloqueio atrioventriculares, diminuição do débitocardíaco, hipertensão inicial seguida de hipotenção duradoura, reduz a FR (volume/ minuto dose/ dependente) Diurese/ êmese dose dependente  Agentes hiperglicemiantes, devem ser evitados em pacientes diabéticos Xilazina: Não narcótica sedativa, analgésico e relaxante muscular. Possui efeito emetogênico em cães e gatos Xilazina e Detomidina: Principais drogas utilizadas, IM
    Xilazina: É a mais utilizada para MPA e anestesia dissociativa quando associada a cetamina. Em dose máxima causa efeitos respiratórios e cardiovasculares depressores indesejados, evitar os efeitos reduzindo a dose ou associando a outros farmacos como benzodiazepínicos e opióides.Fenotiazínicos Utilizados como tranquilizantes e imobilizantes; Propriedades sedativas, simpatolíticas, anti-histamínicas, atenuantes de choque. Ação: Tranquilizantes que deprimem o SNC, bloqueiam diversos neurotransmissores como dopamina e serotonina, deprimem a substância reticular mesencefálica interferindo nos ciclos do sono e vigília; logo o mecanismo de ação consiste no bloqueio competitivo dos receptores dopaminérgicos.

Slide 7

    Maleato de Acepromazina: SC, IM e IV. Quando administrado por via IV pode causar excitação, diminuição da atividade motora e aumento do limiar de sensibilidade aos estímulos externos, hipotenção arterial dose-dependente, diminuição da pressão venosa central, aumento da FC, depressão do miocárdio, anti-arrítmico; Diminui a temperatura corpórea pois reduz o metabolismo basal e depressão hipotalâmica; Ação broncodilatadora e redução na produção de secreções salivares e traqueobrônquicas; Ação anti emética pois deprime o centro do vômito no SNC, logoquandoo administrada 15 min antes da administração de analgésicos opióides, diminui o efeito emético destes. Clorpromazina e levomepromazina: SC, IM e IV Clorpromazina possui ação antiemética mais efetiva; Levomepromazina possui ação anti-histamínica mais e excelente ação antiarrítmica, os efeitos sedativos ´persistem mesmo após detecção da droga no plasma devido aos metabólitos ativos
    Anestésicos Injetáveis (Gerais)Componentes básicos da anestesia: Inconsciência, analgesia, relaxamento muscular e reflexo autonômico;Barbitúricos Possuem substituição do O2 pelo S, devido a alcalinidade devem ser administrados exclusivamente por via IV pois o extravasamento para o tecido SC adjacente ao vaso pode ocasionar necrose. Em caso de extravasamento para o SC realizar infiltração local com procaína e solução fisiológica em igual voliume extravasado; Tiopental é barbitúrico de ultra curta duração, repetidas doses (administradas irresponsavelmente) determinam prolongado período de hipnose, podendo evoluir para coma barbitúrico. A maior toxicidade é depressão do centro respiratório (redução da FR e apnéia), diminui PA e débito cardíaco, não utilizar em cardiopata;

Slide 8

    Propofol: Óleo disponível em soluções aquosas na forma de emulsão, desvantagem devido a quadros alérgicos e crescimento bacteriano. O mecanismo de ação é depressão do SNC potencializando a atividade do GABA e inibição do receptor colinérgico M1, curta duração, a recuperação anestésica é rápida, depressão respiratória dose-dependente, pode ser utilizado como agente indutor com ou sem MPA; Etomidato: Efeito anestésico intravenoso indutor para anestesia volátil, indicado para hepatopatas pois o metabolismo é parcialmente hepático e pelas esterases do plasma, também é indicado para cardiopatas pois ocasiona poucas alterações na função pulmonar, contratilidade cardíaca e PA, hipnótico de escolha para pacientes com hiopovolemia e choque; possui efeito neuroprotetor por manter a perfusão cerebral mais adequada que o propofol e tiopental, desvantagem por suprimir o cortisol pela cortex da adrenal pode causar interferencia na recuperação do paciente, dependendo do paciente deve-se suplementar corticosteróide;
    Cetamina: Rapidamente absorvido após administração IV, IM, nasal, VO e retal; atravessa a barreira hemato-encefálica rapidamente; Pode induzir convulsões devendo ser evitada em pacientes epiléticos; causa almento da temperatura corpóreadeveido ao aumento da atividade muscuklar e metabólica podendo ocorrer hipertonia muscular, mioclonia e movimentos involuntários por isso é recomentado usio de tranquilizantes e sedativos, podem ocorrer também efeitos psicomiméticos na recuperação, evitar com benzodiazepínicos. Diversos mecanismos de ação para efeitos anestésicos e analgésicos. Sialorréia e aumento secreções traqueobronquicas. Quando usado em IM deve estar associado com ansiolíiticos ou sedativos.Anestésicos Inalatórios Halotano Isofluorano: A depressão respiratória é mais intensa que a do halotano. Os compostos causam nefrotoxicidade Sevofluorano: 

Slide 9

    Terapia AnalgégicaDiversas classes de fármacos podem ser utilizadas na terapia analgésica como antiinflamatórios não esteroidais, anestésicos locais, agentes dissociativos, ansiolíticos (benzodiazepínicos) e opióides.
Show full summary Hide full summary

Similar

Anestésios Inalatórios
Lúh Beatriz
Tecido Epitelial
bedamorim
Tecido Epitelial
Yannka Olimpia
Tecido Epitelial
jana terumi
Tecido Epitelial
jana terumi
Sistema Respiratório
Juliana Lima
Tecido Epitelial
jana terumi
Sistema Respiratório
Grasiela marçal
Sistema Respiratório
bedamorim
Sistema Respiratório
Grasiela marçal
Sistema Respiratório
Grasiela marçal