Classes de Palavras

adrianegonaves
Flashcards by adrianegonaves, updated more than 1 year ago
adrianegonaves
Created by adrianegonaves over 5 years ago
106
5

Description

Flashcards on Classes de Palavras, created by adrianegonaves on 11/29/2015.

Resource summary

Question Answer
Quais são os elementos que formam as palavras? Os elementos que compõem as palavras são denominados morfemas: radical, vogal temática, tema, desinências, afixos e vogais e consoantes de ligação.
O que é vogal temática? Vogal temática é o elemento que serve de elo entre o radical e as desinências. Pode ser nominal (casa, prato) ou verbal (1ª conjugação cantar, cantaríamos; 2ª conjugação vender, vendeste; 3ª conjugação proibir, proibimos).
Quais são as classes de palavras variáveis? Substantivo, adjetivo, artigo, verbo, pronome e numeral. São denominadas variáveis, porquanto admitem flexão.
Quais são as classes de palavras invariáveis? Conjunção, preposição, advérbio, interjeição. São denominadas invariáveis, porquanto não admitem flexão.
Morfologicamente, qual a função do substantivo e como se dá a sua classificação? O substantivo é a palavra que nomeia os seres em geral. Classificação dos substantivos: 1. Simples e Compostos. a) Simples. Possuem um só radical em sua formação: sereia, amor b) Compostos. Possuem mais de um radical em sua formação. girassol, 2. Comuns e Próprios. a) Comuns. Nomeiam seres da mesma espécie, de forma geral. cadeira, peça, b) Próprios. Nomeiam um ser específico dentre todos de uma espécie. João, Suécia, Bahia, Lionel Messi. 3. Primitivos e Derivados. a) Primitivos. Não se originam de outra palavra. cachorro, pedra, árvore, caderno. b) Derivados. Originam-se de outro vocábulo. pedreira (de pedra), mangueira (de manga), arvoredo (de árvore). 4. Concretos e Abstratos. a) Concretos. Nomeiam seres do mundo real ou imaginário que sejam independentes (que não necessitem de outros para existência). mulher, sofá, fada, sereia, deus, mãe-d`água b) Abstratos. Designam qualidade, estado, sentimento ou ação, portanto, nomeiam seres dependentes de outros seres. beleza (qualidade), paz (estado), saudade (sentimento), fuga (ação). 5. Coletivos. Designam um conjunto de seres.
Quando nos referimos à flexão do gênero do substantivo, estamos nos referindo à característica sexual do ser? Nem sempre! Quando o substantivo estiver se referindo a ser animado, a flexão de gênero poderá designar característica sexual: menino/menina, o poeta/a poetisa. Caso o substantivo se refira a ser inanimado, a flexão de gênero será puramente gramatical, fictícia, sem qualquer referência à característica sexual: o planeta, o céu, a poesia, a alma.
Qual a diferença entre os substantivos biformes e uniformes? Os biformes designam os seres conforme cada gênero - uma forma para masculino, outra para feminino: pato / pata; prefeito / prefeita. Ressalto ainda que, quando a oposição entre os gêneros for estabelecida por radicais diferentes, ocorre o substantivo heterônimo: cavalo / égua. Já os substantivos uniformes apresentam o mesmo vocábulo para designar os dois gêneros ou somente um gênero e se classificam em: o artista / a artista; a criança (ele ou ela).
Quais são os tipos de substantivos uniformes? Comuns de dois gêneros: a distinção entre gênero masculino e feminino é feita pelo artigo “o”: o cliente / a cliente, o artista / a artista. Recentemente, vimos uma, digamos, bizarrice: a Presidente da Republica, Dilma Roussef, por razões, acredito eu, filosóficas (feminismo na veia), declarou-se “Presidenta”... Acho que não a alertaram que “presidente” é comum de dois gêneros... Enfim, a prática reiterou de tal forma que parece já se tratar de um neologismo: presidenta. Sobrecomuns: referem-se aos dois gêneros sem nenhuma marca de diferenciação gramatical: a testemunha (ele, ou ela), a criança (ele ou ela). Epicenos: esses possuem um só gênero e nomeiam animais com a posposição dos adjetivos macho e fêmea: cobra macho / cobra fêmea, jacaré macho / jacaré fêmea.
Os substantivos sempre possuem a mesma significação quando mudam de gênero? Não. Alguns substantivos mudam completamente o significado ao alterar o gênero, são os substantivos heterossêmicos. Vejamos: o cura (pároco) a cura (ato de curar) o moral (ânimo) a moral (honestidade, ética) o pala (poncho) a pala (parte anterior do boné,) o rádio (aparelho receptor) a rádio (estação emissora) o voga (remador) a voga (moda, popularidade) o grama (unidade de peso) a grama (relva) o caixa (funcionário de caixa) a caixa (recipiente) o lente (professor)
látex, funil, míssil, retrós, lápis, contêiner, álcool, item. Como ficaria o plural dessas palavras? os látex (substantivo terminado em “x” não varia e o plural se faz com o determinante – artigo ou pronome). funis (substantivo terminado em “il”, quando oxítono, faz plural com “is”). mísseis (substantivo terminado em “il”, quando paroxítono, faz plural com “eis”). retroses (substantivo terminado em “s”, quando oxítono, faz plural com “es”). os lápis (substantivo terminado em “s”, quando paroxítono ou proparoxítono, não varia e o plural se faz com o determinante – artigo ou pronome). contêineres (substantivo terminado em “r e z” faz plural com “es”). álcoois (substantivo terminado em “ al, el, ol, ul” faz plural com “is”). Itens (substantivo terminado em “m” faz plural com “ns”)
Como é feito o plural dos substantivos terminados em “ão”? Na verdade, de três formas: substituindo “ão” por “ões”, “ãos” ou “ães”. Infelizmente, porém, não há uma regra específica, então concurseiro, o jeito é memorizar, sendo que a maioria dos substantivos, bem como adjetivos, terminados em “ão” fazem o plural com “ões”: balões, porões, visões, etc. Vejamos outros exemplos, uns com uma só forma, outros, com duas ou mais formas: alazão - alazães e alazões aldeão – aldeões, aldeãos e aldeães alemão- alemães anão – anões e anãos ancião – anciãos, anciães e anciões artesão – artesães e artesãos cão – cães capitão – capitães castelão – castelãos e castelões catalão – catalães charlatão – charlatães cirurgião – cirurgiões e cirurgiães corrimão – corrimãos e corrimões deão - deães e deões ermitão – ermitãos, ermitães e ermitões faisão – faisães e faisões guardião - guardiães e guardiões hortelão – hortelãos e hortelões órfão – órfãos pão – pães pagão – pagãos refrão – refrães e refrãos rufião – rufiões e rufiães sacristão -sacristães e sacristãos sótão – sótãos sultão – sultões, sultãos e sultães tabelião – tabeliães verão – verões e verãos
"Os guardas-roupas estão quebrados". A flexão do plural da palavra em destaque está correta? Não, não. Nesse caso, substantivo composto no plural formado por verbo + substantivo (como guarda-chuvas, porta-malas) flexiona-se somente o segundo elemento. A mesma logica é aplicada à formação de substantivo composto de palavra invariável + palavra variável = vice-rei / vice-reis e à formação do substantivo composto por palavras repetidas ou onomatopeicas = mata-mata / mata-matas, reco-reco / reco-recos. Mas saliento que, no caso de verbos repetidos, admite-se o plural dos dois elementos: matas-matas
Na flexão do plural do substantivo composto, quando variam os dois elementos ? Quando os dois elementos são palavras variáveis: amor-perfeito > amores-perfeitos terça-feira > terças-feiras exceções: terra-nova > terras-novas ou terra-novas padre-nosso > padres-nossos ou padre-nossos guarda-marinha > guardas-marinhas ou guardas-marinha
Na flexão do plural do substantivo composto, quando varia só o primeiro elemento? Quando houver preposição entre os dois elementos: água-de-colônia > águas-de-colônia peroba-do-campo > perobas-do-campo exceção: os louva-a-deus Quando o segundo elemento, substantivo, funciona como determinante do primeiro, ou seja, indica a finalidade, a forma ou o tipo do termo anterior: caneta-tinteiro > canetas-tinteiro pombo-correio > pombos-correio exceção: fruta-pão > frutas-pão ou frutas-pães
Na flexão do plural do substantivo composto, quando varia só o segundo elemento? Varia só o segundo elemento quando: 1- o primeiro for advérbio, preposição ou prefixo: abaixo-assinado > abaixo-assinados alto-falante > alto-falantes; 2- verbo + substantivo: guarda-chuvas, porta-malas; 3- palavra invariável + palavra variável : vice-rei / vice-reis e 4- palavras repetidas ou onomatopeicas : mata-mata / mata-matas, reco-reco / reco-recos. Mas saliento que, no caso de verbos repetidos, admite-se o plural dos dois elementos: matas-matas
Os perde-ganha. O plural do substantivo está correto? Sim! São invariáveis: - quando os compostos são formados de verbos de significação diferente: o perde-ganha / os perde-ganha - quando os compostos são formados de verbo seguido de palavra no plural: o quebra-nozes / os quebra-nozes - quando os compostos são formados de verbo seguido de palavra invariável: o bota-fora / os bota-fora
O que é plural metafônico? O plural metafônico é a mudança de timbre quando se pluraliza determinados substantivos (passa-se do /o/ tônico fechado para o tônico aberto /o/). miolo (fechado) / miolos (aberto) corpo (fechado) / corpos (aberto) imposto (fechado) / impostos (aberto) forno (fechado) / fornos (aberto)
"Fomos a alguns barzinhos na noite passada". O diminutivo no plural, em destaque, está correto? Vamos lá! Retiremos a letra "s" do substantivo pluralizado ("bares" -"s") e acrescentemos o sufixo +"zinhos". Qual palavra temos? "barezinhos". Esse é o plural correto, dentro da ótica tradicional da gramatica, e essa é a regra para o plural dos diminutivos. pastel / pastéis / pasteizinhos animal / animais / animaizinhos balão / balões / balõezinhos colher / colheres / colherezinhas flor / flores / florezinhas
O que é grau do substantivo? É a possibilidade de o substantivo flexionar-se para exprimir as variações de aumento ou diminuição dos seres. Grau aumentativo – indica o aumento do tamanho do ser. Diminutivo – indica o menor tamanho do ser. Classifica-se em: a) processo analítico: o substantivo é acompanhado de um adjetivo que indica aumento ou diminuição. casa grande casa pequena árvore grande árvore minúscula b) processo sintético: o substantivo tem um sufixo indicador de aumento ou diminuição. casarão casinha arvorezona arbusto
Morfologicamente, qual a função do adjetivo e como se dá a sua classificação? O adjetivo é o vocábulo que tem a função de se referir ao substantivo e atribuir-lhe qualidade, estado, aspecto ou origem. Joana é inteligente. (qualidade). Homem envelhecido. (aspecto). País pobre. (estado). Crianças brasileiras. (origem). No que tange à classificação, o adjetivo pode ser, quanto à formação: simples: formado por um só radical. bela, fácil, baixo, calmo composto: formado por mais de um radical. afro-brasileiro, castanho-escuro, azul-claro primitivo: dá origem a outros adjetivos. fácil, bom, belo, calmo. derivado: deriva de substantivos ou de verbos. anormal, escultor, formoso, insensato
O que é uma locução adjetiva? A locução adjetiva é uma expressão formada por dois vocábulos (preposição + substantivo ou + advérbio) que se equivale a um adjetivo. Amor de mãe (= materno) Porta de trás (= traseira)
Adjetivos pátrios referem-se à nacionalidade? Também, mas não somente. Os adjetivos pátrios são derivados de substantivos que indicam países, estados, municípios, regiões, províncias, povoados, raças e povos. João é brasileiro Eu sou soteropolitano. Povos nórdicos. Eu sou baiano. Plagas andinas. Povo luso-brasileiro.
Assim como o substantivo, o adjetivo tem a flexão de gênero biforme e uniforme? Exato galera! Geralmente, os adjetivos são biformes (belo / bela). São, todavia, exceções os adjetivos terminados em a, e, l, m, r, s e z, que formam os adjetivos uniformes, de que são exemplos: agrícola, inteligente, fácil, comum, exemplar, simples, feliz. São exceções andaluz/andaluza; bom/boa; espanhol/espanhola e a maioria dos terminados em “es” e “or”: norueguês / norueguesa; sedutor / sedutora.
Quanto ao número, os adjetivos flexionam-se ao molde dos substantivos? Os adjetivos simples sim! Criança bonita / Crianças bonitas. Importante destacar que substantivos empregados como adjetivos são invariáveis: Camisetas cinza. Os compostos têm somente o segundo elemento flexionado, concordando em número e gênero com o substantivo a que se referem: Indicador político-social / indicadores político-sociais.
O artigo também tem a função de substantivar alguns vocábulos? Exatamente! Vejamos! Um não é o que você precisa ouvir. (substantivação de advérbio). O cantar dos sabiás. (substantivação de verbo). A escritora foi aplaudida por todos. (substantivação de adjetivo). Os dois estão apaixonados. (substantivação de numeral). Os salves foram dados aos campeões. (substantivação de interjeição). Queremos saber o porquê de sua ausência. (substantivação de conjunção).
Quando não emprego artigo? Antes de pronomes de tratamento, exceto de senhor (a) e senhorita. Enviei a vossa senhoria todos os documentos necessários. (a palavra "a" utilizada antes de "vossa senhoria" é preposição, puramente). Antes da palavra casa e terra, caso não estejam acompanhados de modificadores. Cheguei a casa. (a palavra "a" utilizada antes de "casa" é preposição, e sem modificador esta não admite artigo, daí “a” não está craseado – é puramente preposição). Cheguei à casa de Maria. (com modificador admite artigo, daí a crase (fusão da preposição + artigo)).
Qual a função morfológica dos verbos? Nos dizeres do mestre Celso Cunha, "O verbo é uma palavra de forma variável que exprime o que se passa, ou seja, um acontecimento representado no tempo". Além de tempo, é a palavra que indica modo, pessoa, número, aspecto e voz.
Qual a diferença entre as formas rizotônicas e arrizotônicas? As formas rizotônicas têm a vogal tônica no radical (compro, falo). As formas arrizotônicas têm a vogal tônica fora do radical (comprava, falávamos).
Quanto à flexão, como se dá a classificação dos verbos? Pode ser regular, irregular, defectivo e abundante. REGULARES não apresentam alteração em seu radical e são flexionados consoante ao paradigma (verbos cujas flexões são modelos, porque são regulares, por exemplo, cantar, vender, partir). IRREGULARES apresentam alteração no radical e se afastam do paradigma de conjugação (estar, ser, pedir, ir, dizer, etc.). Ainda, alguns gramáticos apresentam uma classificação, digamos, radicalizada dos irregulares: os ANÔMALOS, aqueles que não somente apresentam alteração no radical, como apresentam mais de um radical ao serem conjugados (ser e ir). DEFECTIVOS são aqueles que não apresentam determinadas formas, determinadas conjugações, como abolir, falir, banir etc. ABUNDANTES são os verbos que possuem mais de uma forma. Geralmente, essa abundância ocorre no particípio, uma das formas nominais do verbo (aceitado, aceito, e aceite, entre outros). PRONOMINAIS são os verbos em cuja conjugação aparecem pronomes oblíquos (suicidar-se, queixar-se, precaver-se, etc.).
Quanto à função, os verbos podem ser classificados de que forma? PRINCIPAL é o verbo que conserva significação plena. Eu amo Maria. Eu tinha falado. AUXILIAR é o verbo que se combina com uma das formas nominais de um verbo principal (infinitivo, particípio, gerúndio) para formar o tempo composto ou a locução verbal. A carga semântica é conferida ao principal; já as marcas de tempo, modo, número e pessoa são atributos do auxiliar. Tenho falado (formado um tempo composto, REGRA: "ter" ou "haver" + particípio) À mulher companheira Quem sabe lá no trópico A vida esteja a mil... (Belchior) Estava lendo. (locução verbal). Em síntese, todo tempo composto é uma locução verbal, mas nem toda locução verbal é um tempo composto.
“É importante se falar dos problemas das emissões de gases do efeito estufa”. O emprego da palavra em destaque antes do verbo está correto? ATENÇÃO GALERA! O infinitivo IMPESSOAL é uma forma nominal do verbo. Em algumas situações, como na apresentada acima, na segunda oração, essa forma já denota que o sujeito é indeterminado. Nesse caso, utilizar-se da palavra “se” como índice de indeterminação do sujeito acompanhando o infinitivo impessoal é uma redundância, uma não conformidade com a gramática tradicional. Evitemos, então, frases como “É importante se falar dos problemas das emissões de gases do efeito estufa”. Frase está correta sem o “se”: “É importante falar dos problemas das emissões de gases do efeito estufa”.
Quando é feito o emprego do infinitivo pessoal? Emprega-se infinitivo pessoal: 1. Quando o sujeito estiver expresso. É importante nós irmos a esse evento. 2. Quando o sujeito for diferente do sujeito da oração principal. O empregador não ofereceu condições suficientes / para continuarmos trabalhando. (Sujeito elíptico da oração subordinada “nós”, diferente do sujeito da oração principal “o empregador”). 3. Quando se quer indeterminar o sujeito: Ouvi pedirem clemência.
Quais são os modos verbais e o que eles denotam? O modo verbal, como já propala sua nomenclatura, expressa o modo como se processa a ação verbal: se de forma certa (indicativo), se de forma hipotética (subjuntivo) ou se de forma impositiva (imperativo). Eu vejo a vida melhor no futuro Eu vejo isso por cima de um muro de hipocrisia Que insiste em nos rodear (Lulu Santos). Observemos que todas as ações verbais do trecho da canção “Tempos modernos” do Lulu denotam certeza. (presente do indicativo). Se eu quiser falar com Deus Tenho que ficar a sós Tenho que apagar a luz (Gilberto Gil). O verbo em destaque do trecho da canção “Se eu quiser falar com Deus” do Gil denota uma hipótese, uma possibilidade. (futuro do subjuntivo). E eu vos direi: "Amai para entendê-las!” Pois só quem ama pode ter ouvido Capaz de ouvir e de entender estrelas (Olavo Bilac). O verbo em destaque da poesia “Ouvir estrelas” do Olavo Bilac indica uma ordem, um pedido peremptório. (imperativo afirmativo).
Show full summary Hide full summary

Similar

Projeto Med 2015: História e Geografia
elisacoltro
Quiz Sobre Atualidades do Vestibular
Alessandra S.
Plano de estudos ENEM - Parte 1 *Humanas
Alice Sousa
Plano de Estudo Vestibular- Semana 1
Alessandra S.
Roteiro de Estudo - Matemática
Luiz Fernando
Simulado Inglês
Marina Faria
Português para Vestibular
GoConqr suporte .
Plano de estudos ENEM - Parte 2 *Exatas/Biológicas
Alice Sousa
Vestibular - Crase
GoConqr suporte .
Simulado Filosofia
Marina Faria
Simulado Geografia
Marina Faria