AUTORIDADE, PODER E INFLUÊNCIA

Eloísa Alves
Flashcards by Eloísa Alves, updated more than 1 year ago
20
0
0

Description

FLASHCARDS DAS PÁGINAS 254-256 STONER 2000
Tags

Resource summary

Question Answer
AUTORIDADE FORMAL ou PODER LEGÍTIMO Poder baseado na compreensão geral de que os indivíduos ou grupos específicos, têm o dirito de exercer influência dentro de certos limites em virtude de sua posição na organização.
PODER CAPACIDADE DE EXERCER INFLUÊNCIA, DE MUDAR O COMPORTAMENTO OU AS ATITUDES DE OUTROS INDIVÍDUOS
INFLUÊNCIA AÇÕES OU EXEMPLOS QUE DIRETA OU INDIRETAMENTE, PROVOCAM UMA MUDANÇA NO COMPORTAMENTO OU ATITUDE DE OUTRA PESSOA OU OUTRO GRUPO.
A BASE DA AUTORIDADE FORMAL DE ONDE VEM A AUTORIDADE QUE DETERMINADA PESSOA TEM SOBRE OUTRAS? POR QUE AS PESSOAS OBEDECEM A ESSAS ORDENS? COMO SE "CONQUISTA" ESSE PODER?
1ª BASE DA AUTORIDADE FORMAL: A VISÃO CLÁSSICA O PODER ESTÁ CONCENTRADO NOS ALTOS NÍVEIS E É LEGALMENTE PASSADA PARA OS NÍVEIS INFERIORES, AQUELES QUE ESTÃO NOS NÍVEIS MAIS ALTOS TEM O PODER DE DELEGAR ORDENS LEGAIS AOS SUBORDINADOS, QUE TEM A FUNÇÃO DE OBEDECER A ESSAS OBRIGAÇÕES AUTO-IMPOSTAS
2ª BASE DA AUTORIDADE: A VISÃO DA ACEITAÇÃO A BASE DESSA VISÃO ESTÁ NO INFLUENCIADO E NÃO NO INFLUENCIADOR, O QUE SIGNIFICA QUE, EMBORA O INFLUENCIADOR DEMANDE ALGUMA ORDEM OU OBRIGAÇÃO AO INFLUENCIADO ESSE DECIDE SE ACEITA/ CUMPRE OU NÃO, COM ISSO QUE ACITA OU NÃO DETERMINADA OBRIGAÇÃO É QUE DETERMINA SE HOUVE OU NÃO AUTORIDADE PRESENTE EM UMA LEI OU ORDEM.
CONT. VISÃO DA ACEITAÇÃO PORÉM, ESSA VISÃO NÃO DEVE SUGERIR QUE INSUBORDINAÇÃO E CAOS SEJAM NORMAS NAS ORGANIZAÇÕES, POIS NA MAIORIA DAZ VEZES A AUTORIDADE DORMAL É ACEITA PELOS MEMBROS DA ORGANIZAÇÃO.
COMO UMA PESSOA ACEITARÁ A AUTORIDADE DO SUPERIOR, SEGUNDO CHESTER I 1. QUANDO A PESSOA ENTENDE E PODE ENTENDER A COMUNICAÇÃO 2. NO MOMENTO DE SUA DECISÃO ELE ACREDITA QUE ELA NÃO É INCOERENTE COM O PROPÓSITO DA ORGANIZAÇÃO 3. NO MOMENTO DE SUA DECISÃO ELE ACREDITA QUE ELE SEJA COMPATÍVEL COM SEU INTERESSE PESSOAL COMO UM TODO 4. ELE ESTÁ APTO MENTAL E FISICAMENTE A CUMPRI-LA.
ZONA DE INDIFERENÇA OU ÁREA DE ACEITAÇÃO INCLINAÇÃO QUE CONDICIONAM OS INDIVÍDUOS A ACEITAR ORDENS QUE ESTEJAM DENTRE DE LIMITES HABITUAIS DE RESPONSABILIDADE OU ATIVIDADE
AS FONTES DE PODER PODER NÃO SÓ DECORRE DE UM NÍVEL AO QUAL O INDÍVIDUO OCUPA NA HIERARQUIA ORGANIZACIONAL
O PODER DE RECOMPENSA 346a91e6-a6b1-4abf-b49c-5d2e6ab1961a.jpeg (image/jpeg) BASEIA-SE EM UMA PESSOAS ( INFLUENCIADOR), que tenha a capacidade de recompensar outra (influenciado) pelo cumprimento de ordens ou pela realização de exigências.
O PODER COERCITIVO df39d64b-54b1-4cf4-84c3-ee8ec280d8b5.gif (image/gif) BASEADO NA CAPACIDADE DO INFLUENCIADOR DE PUNIR O INFLUENCIADO CASO ELE NÃO CUMPRA AS EXIGÊNCIAS, É USADO PARA MANTER UM PADRÃO MÍNIMO DE DESEMPENHO OU DE CONFORMIDADE ENTRE OS SUBORDINADOS
PODER LEGÍTIMO QUANDO O INFLUENIADO RECONHECE QUE O INFLUENCIADOR TEM O DIREITO OU ESTÁ LEGALMENTE HABILITADO A EXERCER INFLUENCIA DENTRO DE CERTOS LIMITES, E O INFLUENCIADO TEM A OBRIGAÇÃO DE ACEITAR
O PODER DE COMPETÊNCIA É BASEADO NA PERCEPÇÃO DE QUE, AQUELE QUE INFLUENCIA TEM CAPACIDADES E COMPETÊNCIAS RELEVANTES, OU CONHECIMENTO ESPECIAL, AO QUAL O INFLUENCIADO NÃO POSSUI
O PODER DE REFERENCIA BASEIA-SE NO DESEJO DO INFLUENCIADO SE IDENTIFICAR OU IMITAR O INFLUENCIADOR
Show full summary Hide full summary

Similar

T1 - ADMINISTRAÇÃO E O ADMINISTRADOR
Dayene Campos
Cultura, mudança, poder, política e processos organizacionais
Jean Silva
Lei 9.784/99
stefanypaiva4
TGA - Teoria Geral dos Sistemas
Natanael Lima
Cultura, mudança, poder, política e processos organizacionais
osmar oliveira
Cultura, mudança, poder, política e processos organizacionais
Cleime José da Silva
Cultura, mudança, poder, política e processos organizacionais
Vanessa Souza
TGA - Teoria Estruturalista
Natanael Lima
Montesquieu
annapaulaforesta
Política
carolinalosada