BATALHAS NAVAIS RELEVANTES

ALCY OLIVEIRA
Flashcards by ALCY OLIVEIRA, updated more than 1 year ago
68
2
0

Description

QOAA HISTÓRIA MILITAR NAVAL Flashcards on BATALHAS NAVAIS RELEVANTES, created by ALCY OLIVEIRA on 06/25/2016.
Tags No tags specified

Resource summary

Question Answer
(1320 a 1294 a.C.) Egípcios x Hititas Egípcios (Ramses) Ramses II tomou posse de terra que pertencia aos Hititas, chamada de Kadesh. Ocorrida no rio Orontes na Síria. Batalha de Kadesh
525 a.C Persas x Egípcios Persas (Cambises) Cambises, filho do rei Ciro, invadiu as terras egípcias, derrotando-os, conquistando definitivamente a região e sendo coroado faraó. Batalha de Pelusa
(490 a 434 a.C.) Gregos x Persas Gregos Os gregos* disputam com os persas o controle do Mediterrâneo. (*) Liga de cidades gregas. GUERRAS MEDAS ou MÉDICAS
490 a.C. Gregos x Persas Atenienses Os Persas invadiram por duas vezes o território grego, de forma devastadora. Em 490 a.C. Dario I lançou uma força invasora, mas o exército ateniense rechaçou o ataque. A vitória foi importante por duas razões: mostrou as perdas que os Hoplitas (soldados armados) gregos foram capazes de impor aos persas e pôde ser usada para fins de propaganda. 1ª) Batalha de Maratona
480 a.C. Gregos x Persas Gregos Foi a primeira vitória naval, onde os gregos destruíram a frota persa. 2ª) Batalha Naval de Artemisium
480 a.C. Gregos x Persas Gregos (Temístocles) Foi a decisiva batalha naval. Na noite de 22 de setembro, Xerxes ordenou que seus soldados se dirigissem para Salamina. Destacou 200 embarcações para cercar e atacar o grosso da frota grega. Em 23 de setembro, a batalha ocorreu numa ilha do Mar Egeu, e foi conseguida a célebre vitória do grego Temístocles contra os persas de Xerxes. 3ª) Batalha Naval de Salamina
479 a.C. Gregos x Persas Gregos Em outra tentativa de invasão persa, mas sem o apoio naval, o exército persa foi finalmente dizimado por uma confederação de cidades gregas. 4ª) Batalha de Plateia
334 a.C. Gregos x Persas Gregos (Alexandre) Última batalha das Guerras Medas, pôs fim ao império persa por, Alexandre, o Grande. Dario III foi assassinado pouco depois de fugir de Persépolis. 5ª) Batalha de Issus
(431 a 405 a.C) Gregos x Gregos (Atenas x Esparta) O “suicídio da Grécia das cidades”. Disputa entre a Liga de Delos (Atenas) e a Liga do Peloponeso (Esparta), pela hegemonia do mundo grego. GUERRA DO PELOPONESO
431 a 404 a.C. Atenas x Esparta Atenas (Formion) Em mais uma das batalhas da Guerra do Peloponeso, o ateniense Formion ficou conhecido como o “Pai da Tática Naval”, pois no confronto usou a velocidade de suas embarcações para lançá-las sobre as embarcações inimigas, a famosa tática de “movimento/choque”. 1ª) Batalha do Golfo de Corinto
413 a.C. Atenas x Esparta Esparta Uma das batalhas inseridas na Guerra do Peloponeso, onde sai-se vencedor Esparta na Sicília. 2ª) Batalha de Siracusa
405 a.C. Atenas x Esparta Espartanos A última batalha da Guerra do Peloponeso, onde os atenienses foram derrotados, e o seu curto império pereceu. Vitoriosos, os espartanos conduziram seus navios para o porto de Pireu e conquistaram Atenas, assumindo a hegemonia da Grécia. 3ª) Batalha de Egos Potamos
371 a.C. Esparta x Tebas Tebas A Grécia após ter vencido a batalha de Egos Potamos, iniciou-se o período de domínio espartano, com o fim da democracia ateniense e o retorno do predomínio da oligarquia na Grécia. Entretanto, tal situação de domínio espartano duraria pouco. Outras cidades buscariam o controle da península Balcânica, com destaque para Tebas, que logo derrotou Esparta, estabelecendo breve hegemonia. Batalha de Leutras
362 a.C. Tebas x Atenas e Esparta Tebanos Os tebanos perderam Epaminondas, assinou-se uma paz pela qual nenhum estado conseguiu impor seu domínio. O equilíbrio alcançado após Mantinéia se apoiava unicamente na exaustão a que tinham chegado igualmente todos os estados gregos. Com o desmoronamento definitivo dos sonhos e ambições hegemônicas de Atenas, Esparta e Tebas, a Grécia ficou à mercê de um país do norte: a Macedônia. Batalha da Mantinéia
338 a.C. Macedônia x gregos Alexandre, o grande Uma vez consolidado seu reino, Felipe II entregou-se ao ambicioso desígnio de estender sua hegemonia a toda a Grécia. Em 338, auxiliado pelo filho Alexandre, o Grande, à frente da cavalaria, venceu os gregos na Batalha de Queroneia. Batalha de Queroneia
(264 a.C. – 146 a.C., mais de cem anos) Roma x Catargo Roma Roma enfrenta Cartago, importante colônia fenícia do Norte da África, pela disputa do comércio no Mediterrâneo. O termo púnico, do latim punicus, era o nome que os romanos davam aos cartagineses, os descendentes dos fenícios. GUERRAS PÚNICAS
Batalha Naval de Lipari; e Batalha Naval de Miles (264 a 241 a.C. e 260 a.C.) Roma x Catargo Roma Essas batalhas aconteceram no mar Tirreno, vencidas pelos romanos, comandada pelo Cônsul Duílio. 1ª Guerra Púnica:
218 a 201 a.C. Catargo x Roma 1- Catargo (Aníbal na Espanha) 2 – Roma (Cipião Emiliano) Começa na Espanha, onde Cartago amplia seu poder para compensar a perda da Sicília. Comandadas por Aníbal, as tropas cartaginesas tomam Saguntum, cidade espanhola aliada de Roma: é a declaração de guerra. Aníbal atravessa os Pireneus e conquista cidades no norte da Itália e chega às portas de Roma, mas não a ataca. A falta de reforços e o cerco de Cartago pelas forças romanas sob o comando de Cipião Emiliano, o Africano, obrigam Aníbal a voltar para defendê-la. Vencido, refugia-se na Ásia Menor, onde se envenena para não ser preso pelos romanos. A paz custa caro aos cartagineses: entregam a Espanha e sua esquadra naval, comprometendo-se ainda a pagar por 50 anos pesada indenização de guerra a Roma. 2ª Guerra Púnica
202 a.C. Roma x Catargo Roma Na Batalha de Zama, aconteceu a vitória de Roma sobre Cartago em solo africano, dentro da II Guerra Púnica. Batalha de Zama
149 a 146 a.C. Roma x Catargo Roma (Cipião Emiliano) Fomentada pelo persistente sucesso comercial dos cartagineses, apesar de sua diminuída importância política. Uma pequena violação dos tratados de paz serve de pretexto para a terceira e última guerra. Finalmente Cartago foi invadida por Roma, saqueada e queimada pelo romano Cipião Emiliano, tendo o seu comércio passado totalmente para as mãos dos mercadores romanos em 146 a.C., e vende 40 mil sobreviventes como escravos. A antiga potência fenícia é reduzida a província romana na África. 3ª Guerra Púnica
197 a.C. Roma x Macedônia Roma Os romanos abatem o poder da Macedônia e conquistaram a Macedônia e a Grécia pela primeira vez. Batalha de Cinoscefala
31 a.C Roma x Egito Otávio x Marco Antônio Roma Otávio Marcos Antonio e Otávio firmaram os acordos de Brindisi e dividiu com ele o mundo romano. Marcos Antonio recebeu o Oriente e Otávio o Ocidente. Marco Antonio invadiu e permaneceu no Egito, onde desposara Cleopatra e se instalara como potentado oriental. As campanhas orientais de Marco Antonio serviram de pretexto para que Otávio proclamasse a traição do adversário e sua intenção de formar um reino independente de Roma. Esta declarou guerra ao Egito e Otávio foi nomeado cônsul para combater Marco Antonio e Cleópatra, vencidos na Batalha de Áccio em 31 a.C. Depois da derrota, o território egípcio foi incorporado a Roma. O governante da República Julio César foi assassinado e Otávio instaurou a monarquia e se intitulou César Augusto, adquirindo poder absoluto. Batalha Naval do Áccio
677 d. C. Bizantinos x Árabes Bizantinos Após mais uma tentativa dos árabes de invadir Bizâncio, aconteceu uma grande batalha naval no Mediterrâneo vencida pelos bizantinos, no qual utilizaram uma nova arma chamada de "fogo grego". Batalha do Mediterrâneo
1071 Turcos x Bizantinos Turcos O exército de Bizâncio comandado por Romano IV e formado por normandos, russos, búlgaros e armênios, sofreu uma das maiores derrotas da sua historia pelos Turcos, na batalha de Manzikert, perto do lago Van na Armênia. Batalha em Manzikert
1284 Gênova x Pisa Genoveses É o começo da decadência de Pisa. Com a derrota nessa Batalha Naval, Pisa deixa de ser uma potência marítima. Batalha Naval de Melória
1298 Gênova x Veneza Genoveses Lamba Doria, de Genova, vence frota veneziana no Mar Adriático deixando-a destruída. Batalha Naval de Curzola
1353 Veneza x Gênova Venezianos Venezianos vencem Antonio Grimaldi, Almirante genovês ao largo de La Loiera, na Sardenha. Batalha do largo de La Loiera
1354 Gênova x Veneza Genoveses Esquadra genovesa, comandada por Paganino Doria, vence a veneziana em Porto-Longo. Nicolo Pisani, Capitão Geral da frota veneziana, é derrotado e preso em Porto Longo, de fronte a ilha de Sapienza. Batalha Naval em Porto Longo
(1378 a 1381) Gênova x Veneza ? Bizancio cede ilha de Tenedos simultaneamente a Veneza e Gênova e da origem a guerra entre estas ate 1381. Guerra de Chioggia
1381 Portugal x Espanha Espanha 1ª derrota naval portuguesa após 10 anos de guerra. (Castela) Batalha Naval de Saltes
1571 Espanhóis/Venezianos x Turcos Otomanos Espanhóis e Venezianos Cinco anos depois da morte do famoso sultão Solimão, o Magnífico, a marinha ocidental comandada por João d´Áustria, cercou no dia 5 de outubro de 1571 a frota turca do almirante Ali Paxá em Lepanto, no golfo de Corinto, impondo-lhe uma memorável derrota, capturando uma boa parte das suas galeras.Lepanto foi a última Batalha Naval travada com barcos à remos. Batalha Naval de Lepanto
1578 Mouros x Portugueses ? Nessa batalha travada na África houve o desaparecimento de D. Sebastião, rei de Portugal, com 24 anos. Batalha de Alcácer-Kibir
Show full summary Hide full summary

Suggestions

What were the Cause and Consequences of The Cuban Missile Crisis October 1962
matthewnr73
Literature
Emma Madden
KEE3
harrym
Abnormal Psychology Chapter 3
shattering.illus
Animal vs. Plant Cells
JimJam5
Unit 2 flashcards
C R
Rights and Responsibilities Flashcards - Edexcel GCSE Religious Studies Unit 8
nicolalennon12
To Kill A Mockingbird-Key Quotes
megantracey
History
Heidi C
“In gaining knowledge, each area of knowledge uses a network of ways of knowing.” Discuss this statement with reference to two areas of knowledge_1
shobha nayar pan
Economic Growth
Maya Khangura