Eplepsia

Ana Selma  Macini
Flowchart by Ana Selma Macini, updated more than 1 year ago
Ana Selma  Macini
Created by Ana Selma Macini over 2 years ago
6
0

Description

Epilepsia é uma doença cerebral crônica causada por diversas etiologias e caracterizada pela recorrência de crises epilépticas não provocadas.

Resource summary

Flowchart nodes

  • Eplepsia 
  • Doença cerebral crônica causada por diversas etiologias e caracterizada pela recorrência de crises epilépticas não provocadas.
  • Identificação de fatores etiológicos e da doença em seu estágio inicial e atendimento especializado são essencial para um melhor resultado terapêutico.
  • Tem consequências neurobiológicas, cognitivas, psicológicas e sociais e prejudica diretamente a qualidade de vida do indivíduo afetado.
  • Diagnóstico de crise epiléptica se da clinicamente através da obtenção de uma história detalhado e  exame físico geral, com ênfase nas áreas neurológica e psiquiátrica.
  • O objetivo do tratamento da epilepsia é propiciar a melhor qualidade de vida possível para o paciente, alcançando controle das crises, com um mínimo de efeitos adversos.
  • Os  tipo específico de crise e da síndrome epiléptica do paciente é importante, uma vez que os mecanismos de geração e propagação de crise diferem para cada situação
  • Crises epiléticas
  • Focais ou Parciais: lesão por trauma ou acidente vascular, tumor, malformação e outros. Raramente genética; Tipos: simples ou complexa.
  • Generalizadas: Início envolve ambos os hemisférios em geral, geneticamente determinadas Tipos: ◦ crise de ausência ◦ convulsão mioclônica ◦ convulsão tônico-clônica.
  • A escolha dos fármacos anticonvulsivantes é importante uma vez que agem por diferentes mecanismos que podem ou não ser favoráveis ao tratamento.
  • Mecanismos :  Bloqueio dos canais de sódio;  aumento da inibição gabaérgica;  bloqueio de canais de cálcio;  ligação à proteína SV2A da vesícula sináptica.
  • Incidência de novas crises epilépticas é inaceitável para pacientes que necessitam dirigir, continuar empregados ou ser responsáveis por familiares vulneráveis
  • O tempo de tratamento da epilepsia é, em geral, imprevisível.
  • CONVULSÕES: Ativação desordenada, sincrônica e rítmica de grupos de neurônios.
  • Tratamento: Considerar: risco de recorrência de crises;  consequências da continuação de crises para o paciente;  eficácia e efeitos adversos do fármaco escolhido para o tratamento.
  • eficácia e efetividade:  adultos com epilepsia focal - carbamazepina, fenitoína e ácido valproico;  crianças com epilepsia focal - carbamazepina;  idosos com epilepsia focal - lamotrigina e gabapentina;  adultos e crianças com crises TCG, crianças com crises de ausência, epilepsia rolândica e epilepsia mioclônica juvenil - nenhuma evidência alcançou níveis A ou B.
  • Crises generalizadas: ácido valpróico permanece como primeira escolha. Crises de ausência: um estudo mostrou eficácia semelhante para o ácido valpróico e a etossuximida e inferior para a lamotrigina.
  • Falha do primeiro fármaco: fazer a substituição gradual por outro, de primeira escolha, mantendo-se a monoterapia.
  • Falha na segunda tentativa de tratamento em monoterapia: pode se tentar a combinação de dois fármacos anticonvulsivantes.
  • Carbamazepina:  inibe os disparos neuronais corticais repetitivos, sustentados e de alta frequência através do bloqueio uso-dependente dos canais de Na+ ;  E.Adversos: sedação , ataxia , visão turva , retenção de líquido.
  • Fenitoína : Bloqueio uso-dependente dos canais de Na+ - E. ADVERSOS: Ataxia, vertigem, hipertrofia gengival, anemia megaloblástica, arritmias cardíacas. INDICAÇÕES: Tratamento de crises TCG, focais complexas, ou combinação de ambas, em crianças, adolescentes e adultos.  Prevenção e tratamento de crises epilépticas durante ou após procedimento neurocirúrgico.
  • Fenobarbital : Seu principal mecanismo de ação é o prolongamento da abertura dos canais de cloro, dos receptores GABAA e consequente hiperpolarização da membrana pós-sináptica; E ADVERSOS: Principalmente na área cognitiva, sonolencia INDICAÇÕES: Tratamento de crises focais e generalizadas de pacientes de qualquer idade, inclusive recém-nascidos.
Show full summary Hide full summary

Similar

ANTIDEPRESSIVOS
Rodrigo Miranda
Transtorno do Sono
Laís Brim
UNIDADES 7 E 8
Laís Brim
O CERÉBRO E OS NEUROTRANSMISSORES
Aucilene M de Brito
FARMACOCINÉTICA
Mara Mjose L Da C
ANTIDEPRESSIVOS
Thalita Lima
ANTIDEPRESSIVOS
Thalita Lima
Geography Coastal Zones Flashcards
Zakiya Tabassum
PSBD TEST # 3_1_1
yog thapa
Principios de Vuelo
Adriana Forero
Sexualidad humana y homosexualidad
ISIS M.