Direito Penal

Karina Prates
Mind Map by Karina Prates, updated more than 1 year ago
Karina Prates
Created by Karina Prates over 5 years ago
8
2

Description

Processo Penal Mind Map on Direito Penal, created by Karina Prates on 10/22/2014.

Resource summary

Direito Penal
1 Ramo que estuda Princípios e regras que regulam do Direito de punir do Estado em razão da pratica de infração penal.
2 Classificação: as leis penais apresentam diversas divisões como:
2.1 Incriminadoras :
2.1.1 Elementos que integram o Tipo:
2.1.1.1 Elementos OBJETIVOS:
2.1.1.1.1 Descrevem a ação, o objeto da ação, o resultado, as circunstâncias externas do fato.
2.1.1.1.1.1 É fazer com que o agente tome conhecimento de todos os dados necessários a caracterização da infração Penal.
2.1.1.1.2 Podem ser NORMATIVOS
2.1.1.1.2.1 São criados e traduzidos por uma norma ou que, para sua devida compreensão, carecem de avaliação por parte do intérprete. Ex: conceitos como mulher honesta, sem justa causa, decoro(dignidade).
2.1.1.1.3 Podem ser DESCRITIVOS
2.1.1.1.3.1 Têm a finalidade de traduzir o tipo penal, ou seja evidenciar o que pode ser facilmente constatado pelo intérprete.
2.1.1.2 Elementos SUBJETIVOS
2.1.1.2.1 Dizem repeito a vontade do agente. O DOLO é elemento subjetivo.
2.1.1.2.1.1 EX: Art 159. Sequestra pessoa com o fim de obter, para si ou para outrem, qualquer vantagem, como condição ou preço de resgate.
2.1.1.3 Elementos Específicos do Tipo Penal:
2.1.1.3.1 NÚCLEO
2.1.1.3.1.1 Será sempre o verbo da ação, que concorra de forma ativa (POSITIVA/NEGATIVA; AÇÃO/OMISSÃO) ou seja MATA ALGUÉM.
2.1.1.3.1.1.1 TIPOS UNI-NUCLEARES = Apenas um verbo, apenas uma ação.
2.1.1.3.1.1.1.1 TIPOS PLURI-NUCLEARES = Crimes de ação múltipla ou de conteúdo variado.
2.1.1.3.2 SUJEITO ATIVO
2.1.1.3.2.1 É aquele que pratica a conduta delituosa descrita no tipo.
2.1.1.3.2.1.1 CRIME COMUM é tido qnd qualquer pessoa pode ser SUJEITO ATIVO, ou seja a conduta pode ser praticada por qualquer pessoa.
2.1.1.3.2.1.2 CRIME PRÓPRIO é tido quando se somente um grupo de pessoas pode praticar a crime, dada determinadas condições pessoais.
2.1.1.3.3 SUJEITO PASSIVO
2.1.1.3.3.1 É aquele que tem o bem jurídico atingido pela prática da infração penal.
2.1.1.3.3.2 FORMAL é sempre o ESTADO, que sofre danos toda vez que suas leis são desobedecidas.
2.1.1.3.3.3 MATERIAL é o titular do bem jurídico tutelado (protegido) sobre o qual recai a conduta criminosa. De natureza subjetiva ( vida, propriedade) Em alguns caso pode ser o Estado EX: crimes contra a Adm. Pública.
2.1.1.3.4 OBJETO MATERIAL
2.1.1.3.4.1 É a pessoa ou coisa contra a qual recai a conduta delituosa do agente. E possui natureza objetiva (corpo humano, veículo automotor, etc.)
2.1.1.3.4.2 Nem todos os tipos penais possuem objeto material, pois sua existência depende de uma alteração da realidade fática para a consumação do delito. EX: Crimes Formais ou de Mera conduta.
2.1.1.3.4.2.1 CRIME FORMAL: é aquele que independe de resultado naturalístico, pois sua consumação ocorre antes de sua produção.
2.1.1.3.4.2.1.1 CRIME DE MERA CONDUTA: é aquele que não concebe o resultado naturalístico, diferentemente do crime formal que o resultado naturalístico pode até ocorrer, mas é irrelevante. Ex. Crime de desobediência, injúria, difamação, etc. Estes crimes não produzem resultado naturalístico.
2.1.2 São as que criam e cominam penas. Função de definir as infrações penais, proibindo ou impondo condutas, sob ameaça de pena.
2.1.3 Especies de Preceitos(Regras):
2.1.3.1 PRECEITO PRIMÁRIO: PRECEPTUM IURIS - faz descrição detalhada e perfeita de uma conduta que se procura proibir ou impor.
2.1.3.2 PRECEITO SECUNDÁRIO: SANCTIO IURIS - individualiza a pena e a cominação em abstrato.
2.2 Não-incriminadoras
2.2.1 São as que NÃO criam e nem cominam penas. Subdividem-s em:
2.2.1.1 PERMISSIVAS JUSTIFICANTES: autorizam a pratica de condutas tipicas, ou seja, são as causas de exclusão da ilicitude.
2.2.1.2 PERMISSIVAS EXCULPANTES: excludente de culpabilidade, ou impunidade de determinados delitos.
2.2.1.3 INTERPRETATIVAS: esclarecem o conteúdo e o significado de outras leis penais.
2.2.1.4 DE APLICAÇÃO FINAIS OU COMPLEMENTARES: delimitam o campo de validade das leis incriminadoras. Ex. arts. 2º e 5º CP
Show full summary Hide full summary

Similar

Revisão de Direito Penal
Alice Sousa
Revisão de Direito Penal
GoConqr suporte .
Direito Penal
ERICA FREIRE
TIPOS - AÇÃO PENAL
GoConqr suporte .
Direito Penal - Concurso de Pessoas
Rainã Ruela
FUNÇÕES DA CRIMINOLOGIA.
fcmc2
Inquérito policial
Marcelo Llaberia
Direito Penal - Escrevente TJ-SP
Luiz Gustavo Muzzi Rodrigues
Princípios Direito Penal
Carlos Moradore
EXTRATERRITORIALIDADE DA LEI PENAL BRASILEIRA
TANIA QUEIROZ