Mapa conceitual filosofia grega e medieval

Junior Dos Reis
Mind Map by Junior Dos Reis, updated more than 1 year ago
Junior Dos Reis
Created by Junior Dos Reis almost 5 years ago
20
0

Description

Relações internacionais Teorias Políticas Mind Map on Mapa conceitual filosofia grega e medieval, created by Junior Dos Reis on 04/11/2015.

Resource summary

Política
1 História
1.1 Aristóteles 384-322 a. C.
1.1.1 Crítico do autorismo de Platão
1.1.2 Discípulo de Platão
1.1.3 Recusa a Sofocracia
1.1.4 Ética/Política
1.1.5 Individual/Coletivo
1.1.5.1 Comunidade
1.1.5.1.1 Cidade
1.1.5.1.1.1 felicidade individual
1.1.5.1.1.2 Comunidade
1.1.5.1.1.2.1 família/casa
1.1.5.1.1.2.1.1 poder paterno
1.1.5.1.1.2.1.2 suprimento de carência
1.1.5.1.1.2.2 aldeia
1.1.5.1.1.2.2.1 suprimento de carência mais complexa
1.1.5.1.1.2.2.2 poder paterno
1.1.5.1.1.2.3 divisão dos seres por espécie
1.1.5.1.1.3 proporciona felicidade
1.1.5.1.1.3.1 homem como ser político
1.1.5.1.1.3.1.1 amizade como bem maior
1.1.5.1.1.4 poder político
1.1.5.1.1.5 lei = razão sobre as paixões
1.1.5.1.1.6 cidadãos
1.1.5.1.1.6.1 exclui escravos. estrangeiros, mulheres, artesãos, comerciantes
1.1.6 Ação moral
1.1.6.1 Felicidade
1.1.7 Organização Política
1.1.8 Justiça/phila inseparáveis
1.2 Sofistas
1.2.1 Período clássico grego
1.2.1.1 sec IV e V
1.2.2 criticados por sócrates
1.2.2.1 discurso vazio sofista
1.2.3 moral e política
1.2.4 elaboram e legitimam o ideal democrático
1.2.4.1 nova classe em ascensão/ comerciantes ricos
1.2.5 mestres políticos
1.2.5.1 ensinamento discursivo
1.3 Platão 428aC - 347aC
1.3.1 A república e as leis
1.3.2 Sofocracia = poder da sabedoria
1.3.2.1 liderança pelos sábios
1.3.2.1.1 estado responsável pela educação
1.3.2.1.1.1 divisão entre alma de ouro e alma de bronze segundo o cohecimento
1.3.2.1.1.1.1 alma de ouro tem poder de governar
1.3.2.1.1.1.2 alma de bronze governa por interesse = tirania
1.3.2.1.2 filósofos
1.4 Idade Media
1.4.1 Império romano
1.4.2 SÃO TOMÁS DE AQUINO
1.4.2.1 O HOMEM É UM SER SOCIAL
2 O que é política - Arendt
2.1 Pluralidade dos homens
2.1.1 convivência entre diferentes
2.2 1950
2.3 Falta de profundidade
2.4 razões filosóficas
2.4.1 Zoon politikon
2.4.1.1 homem a-político
2.4.1.2 surgimento no entre os homens
2.4.1.2.1 fora do homem
2.4.1.2.1.1 intra-espaço
2.4.2 Concepção monoteísta de Deus
2.4.2.1 O homem
2.4.2.2 Ocidente
2.4.2.2.1 política=história
2.4.2.2.1.1 um indivíduo = humanidade
2.5 Introdução a política
2.5.1 Preconceito contra política = política
2.5.1.1 Desaparecimento político = perigo
2.5.1.2 juízo da humanidade = eliminação da política
2.5.1.2.1 Estado dominado por governo mundial
2.5.1.2.1.1 abismo entre dominadores e dominados
2.5.2 eliminação do homem na história = tirania
2.5.3 Partidos políticos = representação do homem. 100 anos
2.5.4 Condenação do poder pelas massas / Nietzsche
2.5.4.1 poder impossível de um indivíduo ter
2.5.5 política tem de lidar sempre e em toda parte com o esclarecimento e com a dispersão de preconceitos
2.5.5.1 “dizem”, “acham”, sem que, é claro, essa apelação precise ser apresentada de maneira ex¬pressa
2.5.6 pensamento político baseia-se, em essência, na ca¬pacidade de formação de opinião
2.5.7 preconceito - juizo - passado
2.5.7.1 temporal
2.5.8 crise histórica, são sempre os preconceitos que cambaleiam primeiro
3 O homem como ser político
3.1 mecanismos que concretizem os direitos do homem
3.2 Dificuldade em preservar os direitos e deveres de todos
3.3 preconceito / medo / aproveitamento
3.4 Consciência e responsabilidade
3.4.1 não auto-suficiente busca viver em sociedade
3.4.2 fuga dos problemas comunitários = individualismo e irresponsabilidade
3.4.2.1 preservação de interesses particulares duvidosos
3.4.3 diversidade moral entre os homens
3.5 Política e liberdade
3.5.1 Nível familiar
3.5.1.1 Afeto e liberdade
3.5.1.2 dominação e possessão
3.5.2 Nível sindical
3.5.2.1 Objetividade e participação
3.5.2.2 Luta por ideiais e igualdade
3.5.3 Nível pedagógico
3.5.3.1 consciência e responsabilidade
3.5.3.2 consciência crítica e capacidade de autocrítica
3.5.4 Partidos políticos
3.5.4.1 maioria absoluta
3.5.4.2 representação das elites
3.5.4.2.1 Corrupção, mordomias, fraudes são apenas uma conseqüência necessária desta situação
3.5.4.2.2 Solução é a criação de partidos reais , oriundos da sociedade real.
3.5.5 A política e o estado
3.5.5.1 somos nós mesmos enquanto organizamos nossa vida social
3.5.5.2 Na pratica é o meio pelo qual a elite consuma seus interesses
3.5.6 Tarefa política
3.5.6.1 recupe¬rar o Estado como instituição máxima e administradora da vontade da maioria da população e de seus interesses comuns
3.5.6.1.1 o ser humano se define como ser social, isto é, como ser político. É na descoberta de que os problemas humanos são de todos e que devem ser resolvidos com a participa¬ção de todos.
4 Analfabeto político
4.1 Odeia política
4.2 Não conhece o custo de vida
4.3 Não participa e não tem interesse
4.4 Indiferentes
5 Convivência entre diferentes
6 baseada na pluralidade dos homens
Show full summary Hide full summary

Similar

TEORIA DAS RI - LIBERALISMO
Junior Dos Reis
Maquiavel
Ana Luíza Kunzler
PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS
Torquato Linhares
Juscelino Kubitschek: rumo à diplomacia brasileira contemporânea.
Karol Campelo
Relações Internacionais
Natani Perotto
Princípios Constitucionais das relações internacionais no Brasil
augusto.leal
Revisão TRI
Érika Melo
História do Mundo Ocidental
Majore Moraes
BURKE - KANT - HEGEL - TOCQUEVILLE
alice carolline costa querino
O Estado de Natureza de Hobbes, por Bobbio e Bovero
Júlia Raquel
A Teoria Construtivista Originária das Relações Internacionais
Juliano Vieira Gonçalves