Marcos William
Mind Map by , created almost 6 years ago

Mind Map on REALISMO, created by Marcos William on 10/17/2013.

96
3
0
Tags No tags specified
Marcos William
Created by Marcos William almost 6 years ago
Realismo
Maria Santos
Arte Gótica 123
Lorena Lindsey
Nouns & Definite Articles Notes
Selam H
1PR101 2.test - Část 8.
Nikola Truong
Realismo
annaclaratc07
CEJA VIRTUAL ENCARE O DESAFIO FASCÍCULO 11
Elisabete Anacleto
Realismo
Elis Virginia
O Estado de Natureza de Hobbes, por Bobbio e Bovero
Júlia Raquel
REALISMO
1 ÉPOCA: 2ª metade do século XIX
2 IDEIA GERAL: A principal característica do realismo é por ele ser antirromântico, não serve mais para os realistas aquelas estruturas, aquele sentimentalismo romântico, então eles rejeitam a tradição romântica. Agora, para eles, o ideal seria mostrar a realidade, não se intrometer, não colocar subjetividade, e sim retratar exatamente o que acontece.
2.1 CARACTERÍSTICAS: Objetividade (o oposto do individualismo apontado no Romantismo); Verossimilhança; Descritivismo (a partir das informações passadas ao leitor da forma mais realista possível, ele então vai se integrar àquela obra como se estivesse vivendo-a); Razão, Observação, Análise (de fora, sem envolver sentimentos; o autor não confunde os seus sentimentos e pontos de vista com as emoções e motivos das personagens.); Universalismo (o oposto do individualismo abordado no Romantismo); Retrato Fiel das Personagens.
2.2 AUTOR: Machado de Assis. E por suas características pessoais temos: Aprofundamento Psicológico (ele vai analisar cada um de seus personagens); Análise comportamental (tudo que está em volta desse personagem ou de suas ações, o Machadão vai analisar, nos mostrar, e nós vamos ter um retrato fiel de cada personagem que ele cria); Crítica e Ironia.
2.2.1 SUAS OBRAS SE DIVIDEM EM:
2.2.1.1 - 1ª Fase: Romântica – Preparatória (tem esse nome, pois Machado escrevia coisas do Realismo enquanto estava na época do Romantismo): Ressurreição (1872); A Mão e a Luva (1874); Helena (1876) e Iaiá Garcia (1878).
2.2.1.2 - 2ª Fase: Realista – Maturidade: Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881); Quincas Borba (1891); Dom Casmurro (1899); Esaú e Jacó (1904); Memorial de Aires (1908).
3 CONTEXTO HISTÓRICO: 2ª Revolução Industrial (enorme escala de produção); Segundo Reinado (D. Pedro II); Capital: Rio de Janeiro; Abolição da Escravatura (1888); Proclamação da República (1889).
4 VALORES: Engajamento Social e Político (se tem problemas, temos de mostra-los, pois não dá para ficar inserindo ‘finais felizes’ como no Romantismo se não retratarmos a realidade da forma como ela é, tudo precisa ser observado e criticado); Novas ideologias (novas formas de pensar, como o marxismo – por exemplo); Retrato fiel da Sociedade (no Romantismo, esse retrato era maquiado, colocando à frente as classes mais altas, a Corte, com requintes... mas agora vai ser fiel realmente, vai mostrar todas as classes, e seus respectivos problemas); Teorias Científicas; Crítica às instituições (a Igreja Católica e o Casamento serão criticados); O realismo tem o intuito de transformar a realidade, e não só mostrar como é.
5 AUTORES E SUAS INFLUÊNCIAS: Alguns autores europeus influenciaram o realismo no Brasil, como Gustave Flaubert (Madame Bovary), Honoré de Balzac, Charles Dickens, Eça de Queirós, Stendhal e Zola e Dostoiévski.
6 NATURALISMO/IMPRESSIONISMO (2ª metade do séc. XIX): São concomitantes ao Realismo, com características semelhantes.
6.1 MESMO CONTEXTO DO REALISMO
6.2 MESMAS CARACTERÍSTICAS DO REALISMO
6.2.1 >>> A grande diferença é essa, o autor naturalista vai mostrar que o homem não consegue vencer as forças da raça ou do ambiente (tese mais comum na época), isto é, sobrepondo-se a conduta social, está a natureza animal do homem, que o deixa levar-se por seus instintos, vícios e influências hereditárias. Não há aprofundamento psicológico; o que interessa são as ações exteriores, e não o interior e o psicológico à maneira de Machado de Assis.
6.3 TEORIAS E CORRENTES: O Positivismo de Auguste Comte; Socialismo de Marx (movimento operariado); Evolucionismo de Darwin; O Determinismo*** de Taine e a Psicanálise de Freu (instintos, natureza do homem).
6.3.1 *** Em outras palavras, buscava as explicações dos fatos sociais e pessoais, por meio do determinismo, das relações de causa e efeito das ciências. Acreditava-se que os acontecimentos e atitudes eram decorrentes ou condicionados pelo meio físico, pelas circunstâncias vividas ou pela etnia, segundo as ideias do filósofo francês Hypolite Taine.
6.4 AUTOR NATURALISTA: Aluísio de Azevedo. *Diferencial do Naturalismo* > Romance de Tese e/ ou Experimental (apresentam um ponto de vista e tentam demonstrá-lo através dos fatos narrados); Instinto; Coletivo; Patologias; Homossexualidade. ‘O Cortiço’ é sua principal obra, daí vem o Determinismo, que defende a influência de alguém pelo meio.
6.5 AUTOR IMPRESSIONISTA: Raul Pompéia. *Diferencial do Impressionismo* > Reflexos Subjetivos (voltando à sua história); Memorialista (coisas que ele passou); Vingança; Sátira; Homossexualidade. ‘O Ateneu’ é sua principal obra.
6.6 PARNASIANISMO (2ª metade/Final do séc. XIX): É um período literário onde os autores só produzem POESIA. O Parnasianismo está diretamente ligado ao Realismo, Naturalismo e Impressionismo, na verdade, é um seguimento do Realismo, pois ele descreve bastante, sem subjetividade.
6.6.1 CARACTERÍSTICAS: Objetividade; Impessoalidade (não aparece o ‘eu’ do Romantismo); Descritivismo; Culto à forma (os parnasianos têm a preocupação de fazer um poema perfeito, com métrica, rimas raras); Preciosismo Vocabular (palavras eruditas); Arte pela Arte (para eles, um poema não precisa externar alguma coisa, e sim apenas ser bonito, com uma estética perfeita, e isso era totalmente oposto do Realismo).
6.6.2 MESMO CONTEXTO DO REALISMO/NATURALISMO/IMPRESSIONISMO
6.6.3 TRÍADE PARNASIANA:
6.6.3.1 >>> Olavo Bilac (Reflexão da existência; Temática da perfeição; Nacionalismo; Mitologia; Sensualismo). "Profissão de Fé", "A um Poeta", "Satânia".
6.6.3.2 >>> Alberto de Oliveira (Rigidez Formal; Precisão; Pobreza temática; Sem emoção; Descritivismo). "Vaso Grego", "Vaso Chinês".
6.6.3.3 >>> Raimundo Correia (Natureza; Melancolia; Pessimismo; Filosófico; Moralidade). "Anoitecer", "As Pombas".
6.6.4 SIMBOLISMO (2ª metade/Final do séc. XIX): a poesia simbolista é anti-parnasiana, pois aquela formalidade – para os autores simbolistas não servem, tem que retornar à subjetividade. Assim como parnasianismo voltava ao naturalismo, realismo, agora, o Simbolismo fará um resgate ao Romantismo. *Só que o romântico é muito direto quanto aos sentimentos, ele realmente enfatiza aquela melancolia, aquele sofrimento do amor, mas o simbolista vai mais sugestionar, mostrar que está acontecendo algo, mas deixar ‘em aberto’ para nós, dessa forma apresentando mais figuras de linguagem e não sendo adeptos ao descritivismo.
6.6.4.1 MESMO CONTEXTO DO REALISMO/NATURALISMO/IMPRESSIONISMO
6.6.4.2 CARACTERÍSTICAS: Subjetividade (o que eu penso, o que eu sinto, tirando a formalidade do parnasianismo); Reação ao Parnasianismo; Musicalidade (dar um ritmo ao poema); Irracionalismo/Vago/Mistério/Místico/Espiritual (transcendência, onde estamos, para onde vamos – Freud, inconsciente); Efeito de sugestão.
6.6.4.2.1 AUTORES BRASILEIROS: Cruz e Souza, conhecido como Cisne Negro (Sofrimento; Cor branca; Erotismo; Espiritualidade; Condição Humana). "Violões que Choram", "Litania dos Pobres", "Antífona", "Dança do Ventre"
6.6.4.2.1.1 OUTRO AUTOR: Alphonsus de Guiamarens. A morte de sua noiva vai incomodá-lo demais durante sua vida, e isso vai ter influência sob suas obras. (Morte da noiva, Constança; Religiosidade; Dor; Paisagem; O inefável, que não se pode exprimir por palavras, daí vem a ‘simbologia’, palavras deixadas para que nós, leitores, possamos entender, interpretar). "Hão de chorar por ela os cinamomos", "A Catedral", "Ismália".
6.6.4.2.1.2 E também temos outros autores como o Pedro Killkerry, Eduardo Guimarães.
6.6.4.3 *** Como estavam afastados dos grandes centros urbanos, os autores simbolistas não tiveram uma número de vendas significativo, ao contrário dos parnasianos. Eles, na verdade, só vão reaparecer em 1930 (modernismo).
6.6.4.4 AUTORES E INFLUÊNCIAS: Charles Baudelaire, Arthur Rimbaud, Stéphane Mellarmé, Paul Verlaine. (Poetas Malditos)
6.6.4.5 ***A sinestesia é uma das figuras de linguagem mais usadas no Simbolismo.

Media attachments