Epidemiologia é definida como o estudo da distribuição e dos determinantes das doenças ou condições.

Huydson Ferreira
Mind Map by Huydson Ferreira, updated more than 1 year ago
Huydson Ferreira
Created by Huydson Ferreira over 4 years ago
16
0

Description

Fisioterapia Mind Map on Epidemiologia é definida como o estudo da distribuição e dos determinantes das doenças ou condições., created by Huydson Ferreira on 02/07/2017.

Resource summary

Epidemiologia é definida como o estudo da distribuição e dos determinantes das doenças ou condições.

Annotations:

  • Estudo inclui vigilância, observação, pesquisa analítica e experimento. Distribuição refere-se à análise por tempo, local e características dos indivíduos. Determinantes são todos os fatores físicos, biológicos, sociais, culturais e comportamentais que influenciam a saúde. Condições relacionadas à saúde incluem doenças, causas de mortalidade, hábitos de vida (como tabagismo, dieta, atividades físicas, etc.), provisão e uso de serviços de saúde e de medicamentos. Populações especificadas são aquelas com características identificadas, como, por exemplo, determinada faixa etária em uma dada população.
  1. Tipos de estudos epidemiológicos
    1. Observacionais
      1. Descritivo

        Annotations:

        • Os estudos descritivos têm por objetivo determinar a distribuição de doenças ou condições relacionadas à saúde.
        1. Tempo, Lugar e Características do Indivíduo
          1. examina como a incidência (casos novos) ou a prevalência (casos existentes) de uma doença ou condição relacionada à saúde varia de acordo com determinadas características, como sexo, idade, escolaridade e renda, entre outras.
            1. identificar grupos de alto risco para fins de prevenção
              1. gerar hipóteses etiológicas para investigações futuras
              2. pode fazer uso de dados secundários (dados pré-existentes de mortalidade e hospitalizações, por exemplo) e primários (dados coletados para o desenvolvimento do estudo)
              3. Analítico

                Annotations:

                • Estudos analíticos são aqueles delineados para examinar a existência de associação entre uma exposição e uma doença ou condição relacionada à saúde.
                1. Ecológico

                  Annotations:

                  • Nos estudos ecológicos, compara-se a ocorrência da doença/condição relacionada à saúde e a exposição de interesse entre agregados de indivíduos (populações de países, regiões ou municípios, por exemplo) para verificar a possível existência de associação entre elas.
                  1. Verifica a possível existência de associação entre a doença/condição e a exposição de interesse (população de interesse, regiões ou municípios)
                    1. O viés ecológico – ou falácia ecológica – é possível porque uma associação observada entre agregados não significa, obrigatoriamente, que a mesma associação ocorra em nível de indivíduos.
                    2. Doença relacionada a coletividade
                    3. Seccional
                      1. Estudo para determinar a prevalência de uma doença ou condição relacionada à saúde de uma população especificada
                        1. As características dos indivíduos classificados como doentes são comparadas às daqueles classificados como não doentes
                        2. Não é possível saber se a exposição antecede ou é consequência da doença/condição relacionada à saúde.
                          1. Esse delineamento é FRACO para determinar associações do tipo CAUSA-EFEITO, mas adequado para identificar pessoas e características passíveis de intervenção e gerar hipóteses de causas de doenças
                        3. Caso controle
                          1. Primeiramente, identificam-se indivíduos com a doença (casos) e, para efeito de comparação, indivíduos sem a doença (controles)
                            1. Depois, determina-se (mediante entrevista ou consulta a prontuários, por exemplo) qual é a Odds da exposição entre casos (a / c) e controles (b / d)
                            2. Os estudos caso-controle partem do efeito (doença) para a investigação da causa (exposição)
                              1. Vieses: de seleção (casos e controles podem diferir sistematicamente, devido a um erro na seleção de participantes); e de memória (casos e controles podem diferir sistematicamente, na sua capacidade de lembrar a história da exposição).
                            3. Coorte
                              1. Primeiramente, identifica-se a população de estudo e os participantes são classificados em expostos e não expostos a um determinado fator de interesse
                                1. Depois, os indivíduos dos dois grupos são acompanhados para verificar a incidência da doença/condição relacionada à saúde entre expostos (a / a + d) e não expostos (c / c + d)
                                  1. Se a exposição estiver associada à doença, espera-se que a incidência entre expostos seja maior do que entre não expostos, além da variação esperada devida ao acaso.
                                2. A principal limitação para o desenvolvimento de um estudo de coorte, além do seu custo financeiro, é a perda de participantes ao longo do seguimento por conta de recusas para continuar participando do estudo, mudanças de endereços ou emigração.
                                  1. Os custos e as dificuldades de execução podem comprometer o desenvolvimento de estudos de coorte, sobretudo quando é necessário um grande número de participantes ou longo tempo de seguimento para acumular um número de doentes ou de eventos que permita estabelecer associações entre exposição e doença
                            4. Experimentais
                            5. Envelhecimento
                              1. Os estudos epidemiológicos na área do envelhecimento centram-se nos seguintes temas:
                                1. investigação dos determinantes da longevidade e das transições demográfica e epidemiológica
                                  1. avaliação de serviços de saúde
                                    1. investigações da etiologia e história natural das doenças/condições relacionadas à saúde comuns entre idosos
                                    2. Os estudos sobre envelhecimento requerem alguns cuidados ou estratégias especiais a serem levados em conta
                                      1. Uso de respondentes próximos

                                        Annotations:

                                        • Alguns idosos mais velhos podem estar muito doentes ou apresentar déficit cognitivo que impeça a sua participação na pesquisa
                                        1. Uma dificuldade dos estudos epidemiológicos sobre envelhecimento é a definição da população-alvo
                                          1. O viés de seleção sempre deve ser lembrado em estudos do tipo caso-controle da população idosa

                                            Annotations:

                                            • Exemplo: O recrutamento de casos entre pacientes hospitalizados (ou institucionalizados) é particularmente sujeito ao viés de seleção, porque os fatores que levam à hospitalização – por exemplo: gravidade da doença, tabagismo e maior idade – também estão associados a muitos fatores de risco
                                          2. O viés de sobrevivência, igualmente, deve ser considerado em estudos sobre a saúde do idoso

                                            Annotations:

                                            • Os participantes idosos de estudos epidemiológicos são sobreviventes porque aqueles expostos a fatores de risco têm maior probabilidade de morte prematura. Esse viés tende a reduzir a magnitude das associações encontradas entre fatores de risco e doença/condição relacionada à saúde entre idosos
                                            1. É importante considerar o efeito de variáveis de confusão

                                              Annotations:

                                              •  Ou seja, fatores que podem ser uma explicação alternativa para a associação encontrada
                                              1. O fator de confusão está presente quando duas variáveis são associadas, mas parte da associação – ou toda ela – é decorrente de uma associação independente com uma terceira variável (de confusão)
                                                1. A idade é um fator potencial de confusão de muitas associações porque, freqüentemente, está associada à exposição e à doença/condição em diferentes situações.
                                                  1. O efeito da idade pode ser controlado mediante pareamento, estratificação ou ajustamento na análise
                                                    1. Quando o estudo inclui idosos mais velhos, recomenda-se o ajustamento pela idade com intervalos mais curtos (ou como variável contínua), em lugar de intervalos mais amplos (cinco em cinco ou dez em dez anos, por exemplo)
                                            Show full summary Hide full summary

                                            Similar

                                            Cinesiologia
                                            Alyne Samaniego
                                            Simulado de Fisioterapia Pneumológica
                                            Arantes Cristian
                                            Simulado de Fisioterapia Pneumológica
                                            Karla F
                                            FISIOTERAPIA APLICADA À OBSTETRÍCIA
                                            nayara rebouças
                                            Saúde da gestante
                                            Raíssa Grazielle
                                            INFLAMAÇÃO AGUDA - mapa conceitual/mental
                                            guilherme costa
                                            Fisioterapia e Gestação
                                            isabelom55
                                            Histerectomia
                                            Bia Masera
                                            Desenvolvimento
                                            guerrilherro duarte
                                            ARTROSE DE JOELHO
                                            guilherme costa
                                            INOVAÇÕES FUNCIONAIS EM FISIOTERAPIA
                                            SARA JESSICA FORTE VIANA