Sistema Reprodutor Masculino

Ana Inês Kruecck Quintas
Flashcards by Ana Inês Kruecck Quintas, updated more than 1 year ago
Ana Inês Kruecck Quintas
Created by Ana Inês Kruecck Quintas over 5 years ago
731
20

Description

Bibliografia: KhanAcademy, Apontamentos da autora, Imagens retiradas do Google, Slides do Professor

Resource summary

Question Answer
Anatomia e Fisiologia do sistema reprodutor masculino b27ef15f-fcbd-4bd1-a855-c63900e74be6.png (image/png) - A Espermatogénese ocorre nos túbulos seminíferos dos testículos, inicia-se na puberdade e prolonga-se por toda a vida.
f045bdb6-1767-46db-b1df-ec8a1ea13410.jpg (image/jpg) - A localização dos testículos fora do corpo, favorece a produção de espermatozóides a uma temperatura ideal (- 2ºC que o organismo).
a178924e-8dfb-4061-91ad-a8fa2c698ac0.jpg (image/jpg) - Os testículos são revestidos por uma cápsula albugínea que forma septos incompletos dividem os testículos em cerca de 300 lóbulos; - Nos lóbulos existem os túbulos seminíferos (produção de espermatozóides) e as células de Leydig (produção de testosterona).
f166890b-9375-46be-a906-5a4a0f09cf2f.jpg (image/jpg) Função reprodutora
Estágios: I - Início na idade fetal e término na infância (↑ GnRH, ↑ gonadotrofinas (LH e FSH) e ↑ hormonas sexuais); II - Da infância à puberdade (baixa secreção hormonal e atividade reprodutora não desenvolvida); III - Início da puberdade (secreção hormonal aumentada e actividade reprodutora desenvolvida); IV - Fase tardia da vida (diminuição da atividade reprodutora com baixa secreção hormonal).
- A testosterona (Gónada masculina) é responsável pela produção de espermatozóides e pelo aparecimentos dos caracteres sexuais secundários. a79a7551-0296-4d97-a6a5-8534c0e95920.jpg (image/jpg)
Testículos: - Na fase fetal estão na cavidade abdominal, descendo para o escroto a partir do 7º mês de gestação; - Vasos sanguíneos, nervos e tecido conjuntivo permitem a suspensão. Criptorquidia: retidos na cavidade abdominal 81320dea-9571-49cd-8d02-1c0664629806.jpg (image/jpg)
Túbulos seminíferos: - produção de espermatozóides; - células intersticiais (de Leydig) produtoras de testosterona; - células de sertoli que nutrem o esperma; 33e64794-ec10-42ae-914d-7b7a4121f5ea.jpg (image/jpg)
435ce5c8-a6d1-4f1a-9167-cd758918ac8e.jpg (image/jpg) 30005dec-9d95-4464-a5de-9ddca7289bf8.jpg (image/jpg)
- nos túbulos seminíferos existem 2 tipos de células: germinativas e de Sertoli; As de Sertoli: - células de grandes dimensões que se prolongam da periferia ao lúmen dos túbulos seminíferos;
- entre as células de Sertoli existem as espermatogónias, que proliferam continuamente (algumas sofrem diferenciação levando à formação dos espermatozóides). 351d211b-107b-4179-8d9e-d72254fc695e.jpg (image/jpg)
- O desenvolvimento dos espermatozóides ocorre da periferia para o centro do túbulo seminífero. Espermatogénese (4 fases): 1. Multiplicação (mitoses) - inicia-se na puberdade; 2. Crescimento: algumas espermatogónias aumentam de tamanho e acumulam substâncias de reserva, passam ser células diplóides (espermatócitos I);
3. Maturação (espermatócitos I -> primeira meiose -> espermatócitos II -> segunda meiose -> espermatídeos); 4. Diferenciação (os espermatídeos sofrem diferenciação passando a espermatozóide). 97cd52a1-cf23-4369-a596-0d3b6fcb1ca2.jpg (image/jpg)
Assim: uma espermatogónia origina um espermatócito I, que se divide e origina dois espermatócitos II, passando a espermatócitos II; origina por sua vez dois espermatídeos, resultando num espermatozóide cada. Portanto, uma espermatogónia origina 4 espermatozóides fe7ebda7-4dae-40f3-a61f-7905f749a9d4.jpg (image/jpg)
- Os espermatozóides incluem: cabeça (acrossoma com enzimas hidrolíticas), peça intermédia (com mitocôndrias para o movimento) e cauda (flagelo que se movimenta); - Os espermatozóides são libertados no lúmen dos túbulos seminíferos. 4621a631-4b24-48d6-8114-9c2cc32f229b.jpg (image/jpg)
As células de Sertoli: - suportam, protegem, nutrem e libertam as células germinais; - segregam a proteina transportadora dos androgénios; - fagocitam células em degeneração; 53f662b3-c89c-4552-8b52-5a52e14e9624.jpg (image/jpg)
168d87b1-fa5c-49b2-a6b7-6433eb50cffb.jpg (image/jpg) f21533cf-e2fd-4c73-b3fc-b02b7ecee019.gif (image/gif)
5d057d64-82d8-4d78-a702-6ab799a679fa.jpg (image/jpg) - Cada epidídimo termina no canal deferente que, juntamente com vasos e nervos testiculares, constituem o cordão espermático
8bca6806-05d3-4285-9377-3faf43e187d2.png (image/png) os túbulos seminíferos e o testículo produzem 5% do semen
Canais deferentes (2): - Integram o cordão espermático; - Tem 3 camadas de tecido muscular liso; - Movimentos peristálticos nas paredes conduzem o conteúdo seminal do testículo para o exterior. b28878d0-cec8-43ad-b61d-e634035a4634.jpg (image/jpg)
Vesículas Seminais (duas): - Produzem 60% do sémen; - Mucosa: epitélio pseudoestratificado cilíndrico; - Produzem um fluido rico em frutose que nutre o esperma. 5e147e26-8638-40bd-ac2e-14845ccb629a.jpg (image/jpg)
Canal ejaculatório (dois): - Continuação do canal deferente até à próstata; - Une-se à uretra na próstata. 5c020186-fd20-48b5-882c-d17f84706bd4.jpg (image/jpg)
Próstata (1): - Produz 30% do fluído seminal; - Hipertrofia com a idade; - É um tecido com elevado risco de desenvolvimento de neoplasia; - Produz o líquido prostático, alcalino que é lançado na uretra. ff3d75be-94cc-4006-84a8-972fbc2b1623.png (image/png)
Glândulas de Cowper (2): - ou Bulbouretrais; - Produz 5% do fluido seminal; - segregam uma substância mucosa que é expulsa antes da ejaculação e que neutraliza a acidez da uretra. 29c9822f-ea84-427c-88b8-858b09799525.png (image/png)
Pénis (1): - Constituído por glande e prepúcio; - A glande com grande número de terminações nervosas; - Corpos cavernosos e corpo esponjoso; 9e7dcafc-d5da-4e6c-b074-3650a9dbfec7.jpg (image/jpg)
Corpos Cavernos (2 cilindros): - 2 cilíndros vasculares; - Preenchidos de sangue durante a erecção; - Controlados pelo S.N.A. Parasimpático. ab0ea375-8de1-404e-a24e-aeaac470ed12.jpg (image/jpg)
Corpo esponjoso (1): - Inferior; - Contém a uretra e termina na glande. e1a219b9-4445-49d6-b93d-1436171625da.jpg (image/jpg)
Fluído seminal (sémen): - pH de 7,5 (ligeiramente básico para neutralizar a acidez da uretra e da vagina); - Estimula a motilidade dos espermatozoides; - 5% espermatozóides. Mecanismos de Ereção
a7b56987-7202-423f-a85d-2bad9af7d2f8.png (image/png) 38de7bff-90af-4761-8500-7a10b15d17c6.jpg (image/jpg)
- Por influência de estímulos (visuais, olfativos, imaginativos); - as artérias que irrigam os corpos cavernosos dilatam. 776efd42-5128-42d8-8831-069739d2b350.jpg (image/jpg)
Hormonas sexuais: - FSH (estimula os túbulos seminíferos); - LH (estimula as células de Leydig); - Inibina (feedback negativo na FSH); - Testosterona. ed5c0420-7415-4a0e-aa90-620dc9af3314.jpg (image/jpg)
Regulação Hormonal 1. Neurónios do hipotálamo libertam GnRH para a hipófise; 2. O aumento da concentração de GnRH leva à segregação das hormonas gonadotróficas pela hipófise anterior: LH e FSH;
3. LH estimula as células de Leydig a produzir testosterona. 4. FSH liga-se ás células de Sertoli e estimula o desenvolvimento dos espermatozóides. 1b536a89-a8b1-4bba-a0ab-536836b4657b.png (image/png)
Retroalimentação negativa: níveis elevados de testosterona inibem a secreção de GnRH pelo hipotálamo e, consequentemente, as concentrações de LH e FSH baixam. 29e75e79-ad9c-46a1-a67f-81efdba61c22.jpg (image/jpg)
Em resumo: - Testículo, túbulos seminíferos, h
- O desenvolvimento dos espermatozóides ocorre do lúmen para a periferia; - Espermatogénese (4 fases): Multiplicação,Crescimento, Maturação e Diferenciação; - Uma espermatogónia origina 4 espermatozóides - Espermatozóides incluem: cabeça, peça intermédia e cauda; - Pénis constituído por: glande, prepúcio, corpos cavernosos e corpo esponjoso; - Fluído seminal de pH=7,5 e com 5% de espermatozóides;
- Hormonas sexuais: FSH (estimula os túbulos seminíferos), LH (estimula as células de Leydig), Inibina (feedback negativo na FSH) e Testosterona (carateres sexuais secundários) - A regulação hormonal compreende fenómenos de retroalimentação positiva e negativa.
56984a1e-c883-413a-8c83-17c26331327e.png (image/png) b43fec64-55f5-4b51-b8f8-917c97be1374.JPG (image/JPG)
63f45043-8eb7-4fcb-b951-e4b4fd2971a1.png (image/png) d7b45fc8-c18b-4de6-841f-0a2f83b40922.jpg (image/jpg)
d0349adf-2975-4cec-9f1c-cbc15a8c1c9c.jpg (image/jpg) cb4a754d-ec79-4bfc-95ee-5db4b7c3fcea.jpg (image/jpg)
Show full summary Hide full summary

Similar

Anatomia Artérias
Filipe Brito
Anatomia membro inferior - Ossos, acidentes e movimentos
vitorstoco
51-100 - Anatomia 2015
fergvz
Patologias dos rins
Celi cs
Anatomia: sistema esquelético I
Natália Abitbol
Processo de Cicatrização
Letícia Silva
Termos téc. Enfermagem
Letícia Silva
ANATOMIA
flavio.paulo
COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL EM SAÚDE
erikaaptorres
Troca de gases prejudicada -
ucbjacque@gmaIl.com
SIMULADÃO DE REVISÃO E FIXAÇÃO - DIP
dayse vasconcelos