INSULINA

Description

Medicina Mind Map on INSULINA, created by Maria Clara Leal Ferreira on 09/19/2018.
Maria Clara  Leal Ferreira
Mind Map by Maria Clara Leal Ferreira, updated more than 1 year ago
Maria Clara  Leal Ferreira
Created by Maria Clara Leal Ferreira over 5 years ago
11
0

Resource summary

INSULINA
  1. FUNÇÕES
    1. Acelera o transporte de glicose para as celulas
      1. Acelera a conversão de glicose em glicogênese ao promover a lipogênese
        1. Síntese de ácidos graxos e triglicérides, que serão armazenados no fígado e tecido adiposo
          1. Ativada pela lipase lipoproteica
        2. Promove o transporte da glicose para sintetizar glicerol
          1. Ativa a fosforilase hepática, principal enzima que leva a decomposição do glicogênio em glicose
            1. Inibe a lipase sensível à hormônios dentro dos adipócitos
              1. Eleva a atividade de glicoquinase, que intensifica a captação de glicose pelo fígado. Essa enzima ajuda a glicose a não se dissipar para fora da célula
                1. Eleva as atividades das enzimas que promovem a produção de glicogênio, tal como a glicogênio sintase hepática
                  1. Auxilia na síntese de proteínas e ajuda a inibir sua decomposição
                  2. DISFUNÇÕES
                    1. RESISTÊNCIA DA INSULINA
                      1. Ocorre quando os tecidos-alvo são menos sensíveis aos efeitos metabólitos da insulina
                        1. Resulta em captação e utilização menos eficientes da glicose pela maioria das células do corpo, exceto cérebro
                          1. As contrações de glicose sérica aumentam, a utilização celular dessa glicose diminui e o uso de proteínas e gorduras elevam-se
                            1. O defeito da ação da insulina é mais visível em altas concentrações de insulina, tendo início na faixa fisiológica até a farmacológica
                              1. Defeitos genéticos nos receptores de insulina causam formas graves e raras de resistência à insulina
                                1. Leprechaunismo, síndrome de resistência à insulina tipo A, síndrome de Rabson Mendenhall, etc
                                2. Quase toda a resistência à insulina observada no diabetes tipo 2 é resultante da redução na síntese de glicogênio muscular estimulado pela insulina ou receptores da insulina
                                  1. DIABETES TIPO 2
                                    1. supressão inadequada de glucagon em resposta à glicose
                                      1. Produção de glicose hepática excessiva
                                        1. Hiperglicemia pós-brandial
                                      2. Advinda de defeitos nas vias de sinalização celular que são ativadas após a insulina se ligar aos receptores
                                        1. A elevação no ácido graxo livre (FFA) e depósito de lipídios nas células podem levar a resistência, ao inibir o transporte de glicose facilitado pela insulina para diversos tecidos
                                          1. Ocorre durante os ciclos normais da vida, como puberdade, gestação e senilidade
                                          2. DEFICIÊNCIA DA INSULINA
                                            1. Massa reduzida de célula B
                                              1. Redução de 20% a 40% na massa de célula β em pacientes com diabetes tipo 2
                                                1. CAUSAS
                                                  1. Proliferação reduzida de novas células β
                                                    1. Elevação na apoptose da célula β
                                                2. Defeito na secreção de célula B
                                                  1. Fatores genéticos e ambientais
                                                  2. AUSÊNCIA DA INSULINA
                                                    1. Praticamente todo o armazenamento de proteína é interrompido
                                                      1. A formação de proteínas a partir de aminoácidos diminui
                                                        1. As proteínas são decompostas para gerar energia
                                                          1. As concentrações séricas de aminoácidos se elevam, resultando na conversão desses aminoácidos em energia e na formação de mais glicose (gliconeogênese) o que exacerb ainda mais a hiperglicemia
                                                        2. PRODUÇÃO E LIBERAÇÃO
                                                          1. Produzidas nas células de langerhans, as células β produzem insulina em respostas a níveis altos de glicose
                                                            1. INCREATINAS
                                                              1. Peptídeo 1 (GLP-1)
                                                                1. Polipeptídeo insulinotrópico dependente de glicose (GIP)
                                                                  1. Produzidas pelas células intestinais
                                                                    1. Estimulam a secreção de insulina dependente da glicose por meio de receptores
                                                                  2. TRANSPORTE
                                                                    1. A insulina liga-se às subunidades α
                                                                      1. As subunidades β tornam-se autofosforiladas
                                                                        1. Isso ativa uma tirosina quinase, levando à fosforilação do substrato do receptor de insulina
                                                                          1. O IRS fosforilado se liga ao fosfatidilinositol (FI) 3-quinase, resultando na ativação do PI 3-quinase
                                                                            1. Através de moléculas de transportadores de glicose facilitadores ( GLUT)
                                                                            2. O IRS fosforilado se liga ao fosfatidilinositol (FI) 3-quinase, resultando na ativação do PI 3-quin
                                                                              1. Moléculas GLUT4 se deslocam para a superfície celular e facilitam a captação da glicose
                                                                              Show full summary Hide full summary

                                                                              Similar

                                                                              Sistema Cardiovascular: Artérias, Veias e Capilares
                                                                              Natália Abitbol
                                                                              Anatomia: sistema esquelético I
                                                                              Natália Abitbol
                                                                              Processo de Cicatrização
                                                                              Letícia Silva
                                                                              Anatomia Artérias
                                                                              Filipe Brito
                                                                              Regras NBRs
                                                                              Maria Clara Oliveira
                                                                              Anatomia membro inferior - Ossos, acidentes e movimentos
                                                                              vitorstoco
                                                                              SIMULADO - Casos Clínicos
                                                                              Rodrigo Gouvea
                                                                              AVALIAÇÃO TEÓRICA 13 DE MARÇO
                                                                              Residencia CM HBDF
                                                                              DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO
                                                                              Vanessa Palauro
                                                                              Escala de Coma de Glasgow
                                                                              Vanessa Palauro
                                                                              DOENÇA MENTAL E TRATAMENTO -Texto 16
                                                                              eleuterapara