Letramento e alfabetização: as muitas facetas Magda Soares

Description

Pedagogia Mind Map on Letramento e alfabetização: as muitas facetas Magda Soares, created by Raquel Peixoto on 03/25/2020.
Raquel Peixoto
Mind Map by Raquel Peixoto, updated more than 1 year ago
Raquel Peixoto
Created by Raquel Peixoto over 2 years ago
28
0

Resource summary

Letramento e alfabetização: as muitas facetas Magda Soares
  1. Por volta dos anos 80, em alguns países europeus como França, Portugual e Inglaterra, nos Estados Unidos e no Brasil ocorreu ao mesmo tempo a invenção do termo letramento.
    1. Nos países desenvolvidos, ou do Primeiro Mundo, as práticas sociais de leitura e de escrita assumem a natureza de problema relevante no contexto da constatação de que a população, embora alfabetizada, não dominava as habilidades de leitura e de escrita necessárias para uma participação efetiva e competente nas práticas sociais e profissionais que envolvem a língua escrita.
    2. Busca distinguir a definição de alfabetização e letramento.Considera o letramento importante e realça a importância dos métodos no ensino da alfabetização.
      1. "As muitas facetas da alfabetização", procura expor as diversas facetas inclusas na concepção de alfabetização. Revela a existência de aspectos psicológicos, sociolingüísticos e culturais que precisam ser considerados.
        1. A faceta sociolingüística corresponde aos usos sociais da língua, ou seja,a sua função social.
          1. Afaceta lingüística refere-se ao processo de transformação da fala para escrita, da forma sonora (fonemas) para a gráfica (grafemas).
          2. A faceta psicológica busca explicar como se procede a inteligência, que fatores psicológicos, biológicos e neurológicos interferem no seu desenvolvimento e na sua origem.
            1. Dissociar alfabetização e letramento é um equívoco porque, no quadro das atuais concepções psicológicas, lingüísticas e psicolingüísticas de leitura e escrita, a entrada da criança (e também do adulto analfabeto) no mundo da escrita ocorre simultaneamente por esses dois processos: pela aquisição do sistema convencional de escrita – a alfabetização – e pelo desenvolvimento de habilidades de uso desse sistema em atividades de leitura e escrita, nas práticas sociais que envolvem a língua escrita – o letramento.
            2. Em primeiro lugar, dirigindo-se o foco para o processo de construção do sistema de escrita pela criança, passou-se a subestimar a natureza do objeto de conhecimento em construção, que é, fundamentalmente, um objeto lingüístico constituído, quer se considere o sistema alfabético quer o sistema ortográfico, de relações convencionais e freqüentemente arbitrárias entre fonemas e grafemas.
              1. Em segundo lugar, derivou-se da concepção construtivista da alfabetização uma falsa inferência, a de que seria incompatível com o paradigma conceitual psicogenético a proposta de métodos de alfabetização.
              Show full summary Hide full summary

              Similar

              A INTEGRAÇÃO DAS TDIC À PEDAGOGIA: UMA CONCEPÇÃO DE WEB CURRÍCULO
              Malton Fuckner
              Sala de Aula Invertida
              GoConqr suporte .
              7 Tendências Educacionais
              GoConqr suporte .
              Tecnologia na Educação
              Alessandra S.
              Ensinando com as ferramentas GoConqr
              GoConqr suporte .
              6 ideias para Dinamizar a Sala de Aula
              Maria José
              16 Dicas para o Professor Criativo
              Alessandra S.
              13 motivos para usar Tecnologia na Educação
              Alessandra S.
              PROTAGONISMO DO ALUNO
              Alessandra S.
              Paulo Freire Pedagogia da Autonomia
              lb.roberto
              Psicologia da Educação
              rsgomes88