Problema 2 - Doença de Parkinson

Description

Sinais e sintomas que caracterizam a síndrome parkinsoniana.
Thiago Silva
Mind Map by Thiago Silva, updated 3 months ago
Thiago Silva
Created by Thiago Silva 3 months ago
1
0

Resource summary

Problema 2 - Doença de Parkinson
  1. Síndromes Parkinsonianas
    1. Condições neurológicas que têm em comum a presença de sintomas clínicos característicos da Doença de Parkinson, incluindo:
      1. - tremor, movimentação lenta ou com dificuldade, rigidez articular/muscular, instabilidade postural e dificuldade de equilíbrio.
        1. Principais causas da Síndrome Parkinsoniana:
          1. A doença de Parkinson é a principal causa com uma prevalência geral de 3,3%.
            1. A síndrome parkinsoniana também pode ser causada por efeito colateral de alguns medicamentos (ex. antipsicóticos que bloqueiam a ação da dopamina);
              1. Devido a encefalite viral;
                1. Outras doenças degenerativas (ex. Paralisia Supranuclear Progressiva, Atrofia de Múltiplos Sistemas, Demência por Corpos de Lewy);
                  1. Parkinsonismo atípico: - a atrofia de múltiplos sistemas (multiple system atrophy – MSA), - a paralisia supranuclear progressiva (progressive supranuclear palsy – PSP), - a degeneração corticobasal (cortico-basal ganglionic degeneration- CBGD) e - a demência com corpos de Lewy (DCL).
                    1. A MSA se apresenta com disautonomia grave (especialmente incontinência urinária e hipotensão postural), além de sinais piramidais (hiperreflexia e sinal de Babinski) e ataxia cerebelar.
                      1. A PSP se caracteriza pelo aparecimento muito precoce de instabilidade postural e quedas, além da paralisia do movimento de acompanhamento conjugado dos olhos para baixo.
                        1. A CBGD produz um quadro de acometimento motor muito assimétrico, com o membro mais comprometido apresentando muita rigidez, apraxia, agnosia e mioclonias.
                          1. A DCL provoca um quadro de parkinsonismo evidente mas com desenvolvimento precoce de demência, que se instala antes dos sinais parkinsonianos ou em até 1 ano após seu aparecimento.
                            1. Parkinsonismo secundário - “o parkinsonismo medicamentoso”. explicado pelo uso indiscriminado e inadequado de várias medicações. Entre elas, podemos destacar o uso abusivo dos inibidores de canais de cálcio como a cinarizina e a flunarizina. Essas drogas são usadas para o tratamento de sintomas vertiginosos ou apenas para “melhorar a circulação cerebral”.
                              1. Todas as drogas que apresentam efeito bloqueador da transmissão dopaminérgica, como os neurolépticos em geral, podem induzir parkinsonismo. Podemos destacar entre elas: o haloperidol, a clorpromazina, a periciazina, a risperidona, a sulpirida, a tioridazina, a reserpina e a alfa-metil-dopa entre outras. Na maioria das vezes a suspensão da droga leva à reversão do quadro clínico.
            2. Sintomas da Síndrome Parkinsoniana
              1. - Tremor; - Dificuldade e lentidão nos movimentos; - Rigidez; - Instabilidade postural.
                1. Doenças capazes de causar a Síndrome Parkinsoniana podem também gerar outros sintomas, tais como: - Sintomas do Parkinsonismo em apenas um lado do corpo; - Perda de memória; - Quedas acidentais; - Pressão arterial baixa, dificuldade para engolir, problemas urinários e constipação; - Movimentos oculares anormais; - Incapacidade de realizar tarefas simples, ou de associar objetos e suas funções.
                  1. Outras patologias podem causar uma síndrome parkinsoniana como sequela de uma encefalite, tumores cerebrais ou hidrocefalia.
                    1. O parkinsonismo de origem vascular também se caracteriza pelo acometimento quase exclusivo dos membros inferiores.
                      1. Fontes: Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USPBarbosa, E. R., & Sallem, F. A. S. (2005). Doença de Parkinson: Diagnóstico. Revista Neurociências, 13(3), 158–165. Current Geriatria: Diagnóstico e Tratamento. 2ª. ed. Porto Alegre: AMGH, 2015.
          2. Prevalência geral de parkinsonismo na população acima de 64 anos era de 7,2%
            1. Aumenta exponencialmente conforme a idade, indicando que o envelhecimento é um fator de risco
              1. Seguido do “parkinsonismo induzido por drogas”.
            2. Diagnóstico: da história clínica e do exame neurológico. Sintomas que aparecem precocemente (isto é, no início do seu desenvolvimento) como desequilíbrio, engasgos, quedas frequentes, alucinações visuais e alteração da memória podem sinalizar Parkinsonismo atípico. Nestes casos, a ressonância magnética auxilia no diagnóstico etiológico.
              1. Figura 4: Fluxograma da abordagem diagnóstica de uma síndrome parkisoniana. Algumas causas de parkinsonismo não estão descritas.
                1. Tratamento: A Levodopa pode trazer algum benefício, mas as terapias não medicamentosas têm maior eficácia.
            Show full summary Hide full summary

            Similar

            Sistema Cardiovascular: Artérias, Veias e Capilares
            Natália Abitbol
            Anatomia: sistema esquelético I
            Natália Abitbol
            Processo de Cicatrização
            Letícia Silva
            Anatomia Artérias
            Filipe Brito
            Regras NBRs
            Maria Clara Oliveira
            Anatomia membro inferior - Ossos, acidentes e movimentos
            vitorstoco
            SIMULADO - Casos Clínicos
            Rodrigo Gouvea
            AVALIAÇÃO TEÓRICA 13 DE MARÇO
            Residencia CM HBDF
            DOENÇA MENTAL E TRATAMENTO -Texto 16
            eleuterapara
            DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO
            Vanessa Palauro
            Escala de Coma de Glasgow
            Vanessa Palauro