Metabolismo de Carboidratos II

Description

Apresenta a segunda parte do Metabolismo dos carboidratos: Ciclo de Krebs e sua regulação. ---------- Referências Bibliográficas: NELSON, D.L. COX, M.M. Princípios de Bioquímica de Lehninger. 6ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2014. DEVLIN, T.M. Manual de Bioquímica com correlações clínicas. 7ª edição. São Paulo: Bucher, 2011.
Juliana  Alfer
Mind Map by Juliana Alfer, updated more than 1 year ago
Juliana  Alfer
Created by Juliana Alfer over 6 years ago
548
13

Resource summary

Metabolismo de Carboidratos II
  1. Estágio 1: Produção de Acetil-CoA
    1. Piruvato

      Attachments:

      1. Descarboxilação oxidativa
        1. Complexo Multienzimático Piruvato-desidrogenase
          1. Complexo PDH
            1. E1 Piruvato-desidrogenase
              1. E2 Di-hidrolipoil-transacetilase
                1. E3 Di-hidrolipoil-desidrogenase
                  1. Fortemente inibido por ATP, acetil CoA, NADH, ácidos graxos
                    1. Disponíveis em níveis elevados = Estado metabólico com energia suficente
                      1. Desvio dos precursores para outras vias metabólicas
                        1. Inibe a conversão de piruvato a acetil CoA
                      2. Ativado/estimulado por AMP, NAD+ e CoA
                        1. Indicam baixo suprimento de energia
                    2. Acetil CoA
                      1. Estágio 2: Oxidação de Acetil CoA Ciclo de Krebs (mitocôndria)
                        1. Conservação energética (NADH, GTP e FADH2)
                          1. Fonte de intermediários/precursores biossintéticos
                            1. Intermediários removidos são repostos
                              1. Reações Anapletóticas
                            2. Sequência quimicamente lógica
                              1. Acetil CoA 2C
                                1. Citrato 6C
                                  1. Isocitrato 6C
                                    1. a-Cetoglutarato 5C
                                      1. Succinil CoA 4C
                                        1. Succinato 4C
                                          1. Fumarato 4C
                                            1. Malato 4C
                                              1. Oxaloacetato 4C
                                                1. Regeneração
                                                2. Sai NADH
                                                3. Entra H2O
                                                4. Sai FADH2
                                                5. Sai CoA-SH + GTP (ATP)
                                                6. Sai CO2 + NADH
                                                7. Sai CO2 + NADH
                                              2. Oxaloacetato é aceptor de 2C do grupo acetato da Acetil CoA
                                                1. Entra H2O Sai CoA-SH
                                                2. Regulação da entrada de acetil CoA no ciclo
                                                  1. Velocidade global do ciclo = taxa de conversão de piruvato em acetil CoA + fluxo de enzimas das etapas iniciais do ciclo
                                                    1. Fluxo de enzimas = disponibilidade de substrato + inibição dos produtos acumulados + retroalimentação das enzimas das etapas iniciais do ciclo
                                                  2. Regulação da Conversão de piruvato a acetil CoA
                                                    1. Regulação
                                                    2. Oxidação completa = máxima extração de energia potencial
                                                      1. MAS
                                                        1. Oxidação direta não é bioquimicamente possível
                                                          1. Produziria Metano (não há cofatores nem enzimas no organismo para oxidá-lo)
                                                          2. Acetil CoA precisa estar ligada a alguma coisa para oxidação mais eficiente, pois seu grupo metil é pouco reativo
                                                            1. 1ª Etapa do Ciclo de Krebs: o problema é resolvido com a Condensação de Claisen: grupo metil --> metileno (no Citrato)
                                                      2. 5 coenzimas
                                                        1. TPP Tiamina-pirofosfato
                                                          1. Lipoamina
                                                            1. FAD Flavina Adenina Dinuclotídeo
                                                              1. CoA-SH
                                                                1. Ácido Pantotênico (B5) + Ribose e Adenina (Nucleoídeo)
                                                                  1. SH
                                                                  2. NAD Dinucleotídeo de Dicotinamida-adeína
                                                              2. B-Oxidação de Ácidos Graxos
                                                                1. Desaminação e Oxidação de Aminoácidos
                                                                Show full summary Hide full summary

                                                                Similar

                                                                Sistema Cardiovascular: Artérias, Veias e Capilares
                                                                Natália Abitbol
                                                                Anatomia: sistema esquelético I
                                                                Natália Abitbol
                                                                Processo de Cicatrização
                                                                Letícia Silva
                                                                Anatomia Artérias
                                                                Filipe Brito
                                                                Regras NBRs
                                                                Maria Clara Oliveira
                                                                SIMULADO - Casos Clínicos
                                                                Rodrigo Gouvea
                                                                Anatomia membro inferior - Ossos, acidentes e movimentos
                                                                vitorstoco
                                                                AVALIAÇÃO TEÓRICA 13 DE MARÇO
                                                                Residencia CM HBDF
                                                                DOENÇA MENTAL E TRATAMENTO -Texto 16
                                                                eleuterapara
                                                                Termos téc. Enfermagem
                                                                Letícia Silva
                                                                DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO
                                                                Vanessa Palauro