DPOC

anyclaraa64
Mind Map by anyclaraa64, updated more than 1 year ago
anyclaraa64
Created by anyclaraa64 over 5 years ago
37
0

Description

Mind Map on DPOC, created by anyclaraa64 on 11/07/2014.

Resource summary

DPOC
1 Anatomia
1.1 Sistema Respiratório

Annotations:

  • Os pulmões são órgãos essenciais da respiração e localizados na cavidade torácica ente o mediastino é dividido em direito e esquerdo, possuem forma cônica, com ápice, base, faces.
  • O pulmão direito é constituído por três lobos que classificam em superior, médio e inferior dividido por duas fissuras uma obliqua e outra horizontal. Enquanto o esquerdo se divide em dois lobos, lobo superior e lobo inferior uma única fissura obliqua.
  • Cada pulmão é coberto por duas membranas serosas conhecidas como pleura. Pleura parietal e pleura visceral, a pleura parietal reveste internamente a parede do tórax e a pleura visceral recobre os pulmões. Entre eles há uma cavidade pleural que é preenchida pelo líquido pleural que servem para lubrificar o tórax e os pulmões, possibilitando os movimentos suaves durante a respiração.
1.2 Sistema Circulatório

Annotations:

  • Circulação Pulmonar - leva sangue do ventrículo direito do coração para os pulmões e de volta ao átrio esquerdo do coração. Ela transporta o sangue pobre em oxigênio para os pulmões, onde ele libera o dióxido de carbono (CO2) e recebe oxigênio (O2). O sangue oxigenado, então, retorna ao lado esquerdo do coração para ser bombeado para circulação sistêmica.  Circulação Sistêmica - é a maior circulação; ela fornece o suprimento sangüíneo para todo o organismo. A circulação sistêmica carrega oxigênio e outros nutrientes vitais para as células, e capta dióxido de carbono e outros resíduos das células. 
  • Os vasos sanguíneos que conduzem o sangue para fora do coração são as artérias. Estas se ramificam muito, tornam-se progressivamente menores, e terminam em pequenos vasos determinados arteríolas. A partir destes vasos, o sangue é capaz de realizar suas funções de nutrição e de absorção atravessando uma rede de canais microscópicos, chamados capilares, os quais permitem ao sangue trocar substâncias com os tecidos. Dos capilares, o sangue é coletado em vênulas; em seguida, através das veias de diâmetro maior, alcança de novo o coração. Esta passagem de sangue através do coração e dos vasos sanguíneos é chamada de CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA.
1.2.1 Diabete Mellitus
1.2.1.1 Conceito

Annotations:

  • O  Diabetes Mellitus é doença crônica causada pela falta absoluta ou relativa da insulina no organismo.
1.2.1.2 Fisiopatologia

Annotations:

  • O pâncreas endócrino é responsável pela síntese e secreção, entre dois hormônios, a insulina e glucagon. Sua disfunção ou resposta inadequada dos tecidos periféricos resulta em importantes alterações da homeostasia, incluindo a DM.
  • A insulina é secretada pelas células beta, que formam um dos quatro grupos de células nas Ilhotas de Langerthans no pâncreas, que é um hormônio anabólico ou de armazenamento.  A insulina também inibe a clivagem da glicose, proteínas e gorduras armazenadas.
  • O glucagon, um hormônio secretado pelas células alfa das ilhotas de Langerhans, quando a concentração da glicose sanguínea cai, tem a função de aumentar a concentração da glicose no sangue, um efeito exatamente oposto ao da insulina.
1.2.1.3 Etiologia

Annotations:

  •  Causada pela falta ou má absorção de insulina. A ausência total ou parcial desse hormônio interfere não só na queima do açúcar como na sua transformação em outras substâncias (proteínas, músculos e gordura).
1.2.1.4 Tipo de DM
1.2.1.4.1 DM 1

Annotations:

  • O pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina. A instalação da doença ocorre mais na infância e adolescência e é insulinodependente, isto é, exige a aplicação de injeções diárias de insulina.
1.2.1.4.2 DM 2

Annotations:

  • As células são resistentes à ação da insulina. A incidência da doença que pode não ser insulinodependente, em geral, acomete as pessoas depois dos 40 anos de idade.
1.2.1.4.3 DM Gestacional

Annotations:

  • Ocorre durante a gravidez e, na maior parte dos casos, é provocado pelo aumento excessivo de peso da mãe.
1.2.1.5 Quadro Clínico

Annotations:

  • Poliúria – a pessoa urina demais e, como isso a desidrata, sente muita sede (polidpsia); -Aumento do apetite; -Alterações visuais; -Impotência sexual; -Infecções fúngicas na pele e nas unhas; -Feridas, especialmente nos membros inferiores, que demoram a cicatrizar; - Neuropatias diabéticas provocada pelo comprometimento das terminações nervosas; -Distúrbios cardíacos e renais. -Ceatocidose 
1.2.1.5.1 Exame Físico

Annotations:

  • Medidas de altura, peso e cintura. Pressão arterial Pulsos Periféricos 
1.2.1.5.1.1 Exames

Annotations:

  • Glicemia de Jejum- Glicemia sem Jejum- 8hrs Glicemia pós prandial- 2hrs Teste oral de tolerância a glicose com curva glicêmica. Hemoglobina glicada. Glicemia capilar
1.2.1.5.2 Fatores de risco

Annotations:

  •  Obesidade (inclusive a obesidade infantil); * Hereditariedade; * Falta de atividade física regular; * Hipertensão; * Níveis altos de colesterol e triglicérides; * Medicamentos, como os à base de cortisona; * Idade acima dos 40 anos (para o diabetes tipo II); * Estresse emocional.
1.2.1.5.2.1 HAS
1.2.1.5.2.1.1 Conceito

Annotations:

  • Diminuição da regulação vascular, na qual os mecanismo que controlam a PA dentro dos limites normais estão alterados.
1.2.1.5.2.1.2 Patologia

Annotations:

  • Hipertensão Arterial Primária: Ingestão de sódio Estresse Obesidade Génetica
  • Hipertensão secundaria: Endócrina Renal Parênquima 
1.2.1.5.2.1.3 Diagnóstico

Annotations:

  • Nível tensional, controle ineficaz do esquema terapêutico; intolerância a atividade; dor aguda; nutrição alterada
1.2.1.5.2.1.3.1 Tratamento
1.2.1.5.2.1.3.1.1 Não farmacológico
1.2.1.5.2.1.3.1.2 Farmacológico

Annotations:

  • Terapia medicamentosa: Diuréticas Inibidores adrenérgicos Vasodilatadores diretos Antagonistas do sistema renina-angiotensina Bloqueadores dos canais de cálcio.
1.2.1.5.2.1.4 Quadro Clínico

Annotations:

  • Dores no peito, dor de cabeça, tonturas, fraqueza, sensação de mal estar.
1.2.1.6 Diagnóstico

Annotations:

  • O diagnóstico numa pessoa assintomática nunca deve ser feito com base num único valor anormal de glicemia.
  • O clínico deve ter em consideração alguns factores adicionais tais como etnia, história familiar, idade, obesidade e patologias concomitantes, antes de tomar uma decisão referente ao diagnóstico ou terapêutica.
1.2.1.6.1 Tratamento
1.2.1.6.1.1 Não farmacológico

Annotations:

  • Estilo de vida Atividade Física 
1.2.1.6.1.2 Farmacológico

Annotations:

  • Sulfoniluréias – que estimulam a produção de insulina ·Clorpropamida  · Glibenclamida  · Glipizida 
  • Biguanidas – que diminuem a resistência das células à ação da insulina Metformina 
  • Metiglinidas – que estimulam a secreção pancreática de insulina · Repaglinida  · Nateglinida   
  • Glitazonas – que aumentam a sensibilidade à insulina no tecido muscular · Rosiglitazona · Pioglitazona
1.3 Sistema Nervoso
2 Fisiologia

Annotations:

  • Obstrução vias aéreas (hipersecreção / obstrução pequenas vias aéreas).
  • Destruição parênquima.
3 Patologia

Annotations:

  • Os pulmões começam a lidar com esta falta do ar fresco tomando umas respirações mais profundas. Este mais adicional expande os tecidos de pulmão e fá-los perder sua elasticidade. Com perda de elasticidade mais dióxido de carbono acumula nos pulmões que saem de menos espaço para o ar fresco e este conduz à falta de ar. Com tempo os músculos e os reforços começam a expandir para conter os pulmões expandidos. O diafragma que se encontra abaixo dos pulmões e se é normalmente abóbada dada forma igualmente aplaina e perde sua capacidade funcional.
3.1 Imunologia

Annotations:

  • ''Estudos mostram pela primeira vez que o enfisema é causado por uma resposta imunológica específica, induzida pelo fumo.O fenômeno é um exemplo do que os cientistas chamam de epigenética, que é quando um fator externo altera os genes e muda o comportamento biológico. No caso, a fumaça do cigarro transforma as células de defesa, de forma que o próprio sistema imunológico ataca o pulmão.'' Afirmou Farrah Kheradmand, do Centro do Câncer MD Anderson, da Universidade do Texas, em material divulgado pela instituição.
3.2 Microbiologia

Annotations:

  • Adenovirus
4 ENFISEMA PULMONAR
4.1 Conceito

Annotations:

  • É uma doença crônica, na qual os tecidos dos pulmões são gradualmente destruídos, tornando-se hiperinsuflados (muito distendidos). Esta destruição ocorre nos alvéolos, onde acontece a troca gasosa do oxigênio pelo dióxido de carbono. Como resultado, a pessoa passa a sentir falta de ar para realizar tarefas ou exercitar-se.
4.2 Etiologia

Annotations:

  • Tabagismo e predisposição genética (deficiência de alfa-1-antitripsina).
4.3 Fisiopatologia

Annotations:

  • A principal alteração fisiopatológica do enfisema é a redução do fluxo expiratório, a partir disso ocorrem distúrbios respiratórios, circulatórios e ácido-básicos. A fumaça do tabaco contém abundantes espécies reativas de oxigênio que reduzem os mecanismos antioxidantes do pulmão incitando o dano tecidual, além disso, o tabaco inibe a atividade antiprotease.
4.4 Quadro Clinico

Annotations:

  • Dispnéia progressiva; Tosse com secreções; Cifose torácica pela hiperinsuflação pulmonar; Policitemia e Cor Pumonale em estagio mais avançado.
  • Há também um aumento do trabalho expiratório devido à elevação da resistência das vias aéreas, que junto com a hiperinsuflação levam o paciente à fadiga muscular. As alterações na relação ventilação perfusão causam hipoxemia e hipercapnia.
  • Nos tabagistas o enfisema pulmonar aparece em torno dos 65 anos de idade e o principal sintoma é a falta de ar, que no início da doença é notada nos grandes e médios esforços, como subir escadas e caminhar, e posteriormente, com a continuação do hábito de fumar, a falta de ar surge aos pequenos esforços, como banhar-se ou vestir-se, tornando-se cada vez mais incapacitados para o trabalho. Também podem ocorrer como sintomas a tosse e o chiado no peito. Quando há a deficiência da alfa-1-antitripsina esta doença aparece mais cedo mesmo na ausência do tabagismo
  • A perda de peso, devido à redução na ingestão de alimentos também pode estar presente, além da hipotrofia dos músculos acessórios da respiração e a ocorrência de pele arroxeada.
4.4.1 Exame Físico

Annotations:

  • Inspeção estática: condição da pele. Assimetria.
  • Inspeção dinâmica:  Frequência respiratória: 12 a 20 bpm. Amplitude: superficial ou profunda.
  • Palpação torácica : Linfonodos: cervicais, supra claviculares; axilares. Traqueia 
  • Ausculta: murmúrios vesiculares ruídos adventícios   
4.5 Diagnóstico

Annotations:

  • Exames complementares como a tomografia computadorizada, a radiografia torácica, exame de sangue, a dosagem da alfa-1-antitripsinana no sangue e a espirometria podem ser feitos para auxiliar no diagnóstico.
4.6 Laboratorial
4.6.1 Exames

Annotations:

  • Espirometria: teste de respiração.
  •  raio-x de tórax, tomografia, exame de sangue.
4.7 Tratamento
4.7.1 Farmacológico

Annotations:

  • Broncodilatador: inalador com brometo de ipratrópio. Corticosteroide  Antibiótico  Anti-inflamatório 
4.7.2 Não farmacológico

Annotations:

  • Repouso adequado  Dieta balanceada Exercício regulares moderados  ingestão de líquidos 
Show full summary Hide full summary

Similar

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Déby Yuri
DISFUNÇÕES RESPIRATÓRIAS
Melissa Rosiane
Exacerbação da DPOC - Urgência e Emergência
Luís Fernando Lipka Insfran
PNEUMOLOGIA
Luiz Guilherme C
DPOC estável
Fernanda Emilia Rocha
Enfisema pulmonar
Kettyla Machado
DPOC - medicações
Viviane Sampaio
DPOC - FÁRMACOS
Taiza Moura
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Bia Maciel