Estrutura Social

Sofia Knoll
Mind Map by Sofia Knoll, updated more than 1 year ago
Sofia Knoll
Created by Sofia Knoll about 6 years ago
16
0

Description

Mapa Conceitual sobre a Noção de Estrutura na Etnologia, feito por Sofia Knoll.

Resource summary

Estrutura Social
  1. CONCEITO
    1. Método suscetível de ser aplicado a diversos problemas etnológicos. Não se deve confundir estrutura social com relações sociais, pois na verdade é a existência das relações sociais que permite a construção dos modelos explicativos em que se manifestam as estruturas da sociedade.
    2. CARACTERÍSTICAS
      1. 1. Caráter Sistêmico: a modificação de um de seus elementos afeta todos os outros
        1. 2. Caráter Grupal: um modelo deve corresponder a um grupo de transformações na sociedade, o que quer dizer que não existe apenas uma estrutura social, mas sim um grupo de estruturas
          1. 3. Caráter de Previsibilidade: as propriedades de uma estrutura devem permitir que se tenha uma idéia de como ele reagirá caso se modifique algum de seus elementos
            1. 4. Caráter Totalizante: um modelo explicativo da sociedade deve ser construído de modo que possa dar conta da explicação de todos os fatos que possam ser observados nesta sociedade num dado momento e numa determinada conjuntura
            2. MATÉRIA PRIMA
              1. O princípio fundamental é que a noção de estrutura social não remete à realidade empírica, e sim aos modelos construídos a partir dela. As relações sociais são a matéria-prima empregada para a construção de modelos de estrutura social
              2. MÉTODO E ENSINO
                1. OBSERVAÇÃO E EXPERIMENTAÇÃO
                  1. Para a elaboração de uma estrutura social, há de sempre distinguir esses dois níveis. A observação dos fatos jamais deve ser confundida com a experimentação por intermédio dos próprios modelos.
                    1. OBSERVAÇÃO
                      1. Neste nível, preocupa-se apenas em observar e descrever os fatos e também a relação deles com o conjunto. Não se deve permitir que pressupostos teóricos alterassem sua natureza e importância, assim, deve-se utilizar a neutralidade.
                      2. EXPERIMENTAÇÃO
                        1. É realizada através conjunto de procedimentos capazes de permitir saber como um dado modelo reage a modificações, ou comparar uns aos outros modelos de mesmo tipo ou de tipos diferentes.
                      3. CONSCIENTE E INCONSCIENTE
                        1. CONSCIENTE
                          1. Os modelos conscientes, geralmente chamados de “normas”, estão entre os mais pobres de todos, em razão de sua função, que é perpetuar crenças e costumes, em vez de expor os mecanismos destes. Nesse caso, o etnólogo utiliza um modelo já existente criado pela cultura, o que não a torna uma estrutura, mas um bom caminho para chegar até ela, apesar do risco da tendenciosidade.
                          2. INCONSCIENTE
                            1. Os modelos inconscientes são na verdade fenômenos que a sociedade não interpreta de forma conscientemente. Assim o etnólogo deverá construir um modelo para explicar tais fenômenos.
                          3. ESTRUTURA E MEDIDA
                            1. Muitas vezes se pensou que com a noção de estrutura era possível introduzir a medida na etnologia, porém não existe nenhuma conexão necessária entre a noção de medida e a de estrutura.
                            2. MODELOS MECÂNICOS E ESTATÍSTICOS
                              1. Um modelo cujos elementos constitutivos estejam na escala dos fenômenos será chamado de “modelo mecânico”, e “modelo estatístico” será aquele cujos elementos estão numa escala diferente.
                                1. MODELO ESTATÍSTICO
                                  1. Estes modelos dependem de fatores mais gerais que vão desde o tamanho do grupo até fluidez social e quantidade de informação. Para se definir um modelo no caso do nosso sistema matrimonial atual, seria preciso determinar constantes, médias e limiares
                                  2. MODELO MECÂNICO
                                    1. Usando como exemplo as leis do casamento da sociedade primitiva, o modelo mecânico seria a representação dessas leis em forma que figuram os indivíduos em classes de parentescos ou em clãs.
                                    2. Há casos em que os dois modelos coexistem, a depender do modo como são agrupados uns aos outros ou a outros fenômenos. Utilizando novamente o exemplo do casamento, a união registrada de primos cruzados utiliza de ambos modelos. Torna-se necessário para o etnólogo fazer um recorte do fenômeno para que ele possa ser usado na visão escolhida tendo em vista que um fenômeno pode ser abordado dos dois pontos de vista.
                                Show full summary Hide full summary

                                Similar

                                Sociologia - Origem
                                Malu Miralha
                                EMILE DURKHEIM
                                Débora C. Nascimento
                                Revisão de Sociologia 1a. série do Ensino Médio
                                e-pn-2007@hotmail.co
                                Revisão de Sociologia para a 3a. serie do Ensino Médio
                                e-pn-2007@hotmail.co
                                A sociedade diante do Estado
                                jacson luft
                                Simulado ENEM - Ciências humanas
                                Nathalia - GoConqr
                                Simulado Sociologia
                                rodrigoguarapuav
                                Surgimento da Sociologia
                                Amanda Gomes
                                Início da sociologia e correntes sociológicas
                                beatriz.avinco
                                Movimentos Sociais - resumo
                                Marília Mendes
                                A sociologia de Durkheim 2
                                jadypugliessa2