Logística Empresarial

Resource summary

Logística Empresarial
1 “Logística consiste das atividades associadas à movimentação eficiente de produtos acabados, desde o final da linha de produção até o consumidor, e, em alguns casos, inclui a movimentação de matéria-prima da fonte de suprimentos até o início da linha de produção. Estas atividades incluem o transporte, a armazenagem, o manuseio dos materiais, o empacotamento, o controle de estoques, a escolha da localização de plantas e armazéns, o processamento de ordens, as previsões de ordens e os serviços aos clientes.” (1962).
2 “Logística é o processo de planejamento, implementação e controle da eficiência, do custo efetivo do fluxo e estocagem dos materiais, do inventário de materiais em processo de fabricação, das mercadorias acabadas e correspondentes informações, desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com a finalidade de ajustar às necessidades do cliente
3 Supply chaian managemente
3.1 O conceito de Supply Chain Management surgiu como uma evolução natural do conceito da Logística Integrada. Enquanto a logística Integrada representa uma integração interna de atividades, o Supply Chain Management representa uma integração externa, pois estende a coordenação dos fluxos de materiais e de informações aos fornecedores e ao cliente final.. cujo pano de fundo é a globalização e o avanço na tecnologia da informação.
3.2 Cadeia de suprimentos
3.2.1 A gestão da cadeia de suprimentos é um processo que consiste em gerenciar estrategicamente diferentes fluxos (de bens, serviços, finanças, informações) bem como as relações entre empresas, visando alcançar e/ou apoiar os objetivos organizacionais
3.2.1.1 O gerenciamento da cadeia de suprimentos é um conjunto de métodos que são usados para proporcionar uma melhor integração e uma melhor gestão de todos os parâmetros da rede: transportes, estoques, custos, etc. Esses parâmetros estão presentes nos fornecedores, na sua própria empresa e finalmente nos clientes.
3.3 Composto das atividades logisticas
3.3.1 Componentes do sistema logistico
3.3.1.1 * Serviço ao cliente, Previsão de demanda, comunicação de distribuição, controle de estoque, manuseio de materiais, processamento de pedidos, peças de reposição e serviços de suporte , escolha de locaisde fábrica e armazem ( analise de localização), embalagem, manuseio de produtos devolvidos, reciclagem de sucata, trafego e transporte, e armazenagem e estocagem
3.3.2 Atividades chave de logistica
3.3.2.1 Os serviços ao cliente, Transporte Gerencia de estoque. Fluxo de informação e processamento de pedidos
3.3.2.1.1 Seviço ao cliente estabelece a qualidade dos serviços e o indice de agilidade com os quais os sistemas deve reagiar
3.3.3 Atividade de suporte logistico
3.3.3.1 Armazenagem, manuseio de materiais, compras, embalagem protetora, Cooperação com produção e manutenção de informações
3.3.4 A importâcia da logistica/cadeia de suplimento
3.3.4.1 Para: 1.Satisfação do cliente; 2.Redução de custos; 3.Aumento da lucratividade; 4.Melhoria da colaboração com fornecedores e clientes; 5.Controle de estoque.
3.3.5 Cap. 2 Estratégia e Planejamento da Logistica/ Cadeia de suprimentos
3.3.5.1 Estratégia corporativa
3.3.5.1.1 A criação da estratégia corporativa começa com uma definição clara dos objetivos da empresa. Quais são as metas mais importantes: realizações de lucros, retorno do investimento, participação no mercado ou crescimento
3.3.5.2 Planejamento logístico
3.3.5.2.1 Níveis de Planejamento:
3.3.5.2.1.1 Planejamento estratégico
3.3.5.2.1.1.1 É considerado de longo prazo, com o horizonte temporal de mais de um ano
3.3.5.2.1.2 Planejamento tático
3.3.5.2.1.2.1 Tem um horizonte temporal intermediário, normalmente inferior a um ano
3.3.5.2.1.3 Planejamento operacional
3.3.5.2.1.3.1 Processo decisório de curto prazo, com decisões normalmente tomadas a cada hora, ou diariamente
3.3.5.2.2 Principais areas do planejamento estratégico
3.3.5.2.2.1 decisão sobre transpote
3.3.5.2.2.1.1 Estrtégia de transportes. Meios de transporte. Roteamento/ cronograma dos envios. Tamanho/consolidação dos embarques
3.3.5.2.2.1.1.1 Seleção do modo
3.3.5.2.2.1.1.2 Roteirização
3.3.5.2.2.1.1.3 Volume de embarque
3.3.5.2.2.1.1.4 Programação
3.3.5.2.2.1.2 São decisões sobre as quais pesam fatores como a distância entre os armazéns, os clientes e as fábricas, fatores esses que, adicionalmente, têm influência sobre a localização do armazém. Os níveis de estoque também dependem das decisões sobre transporte que variam conforme o volume de cada remessa
3.3.5.2.2.2 decisão sobre estoques
3.3.5.2.2.2.1 Estratégia de estocagem . Níveis de estoque. Disposição dos estoques e métodos de controles
3.3.5.2.2.2.1.1 Alocar (empurrar) estoques aos pontos de armazenagem ou puxá-los para os pontos de estocagem de acordo com as regras de reposição são estratégias diferentes
3.3.5.2.2.2.1.2 Localizar seletivamente vários itens da linha de produtos em armazéns de fábricas, regionais ou de campo, ou gerenciar níveis de estoques mediante vários métodos de controle contínuo, são estratégias adicionais
3.3.5.2.2.3 localização das instalações
3.3.5.2.2.3.1 Estratégia de localização . Quantidade, área e localização das instalações. Determinação de pontos de estocagem para fontes de abastecimento . Demarcação de demanda a pontos de estocagem ou fontes de abastecimento. Armazenagemento público ou próprio.
3.3.5.2.2.3.1.1 Determinando-se o número, localização e tamanho das instalações e pela atribuição de uma fatia de demanda se estabelece o caminho pelo qual o produto é direcionado ao mercado
3.3.5.2.2.3.1.2 Atender a demanda diretamente das fábricas, fornecedores ou pontos de estoque, ou direcioná-la por meio de pontos selecionados de armazenamento, são elementos que pesam nos custos totais de distribuição
3.3.5.2.2.3.1.3 Assim, encontrar a alocação de custos mais baixa ou alternativa de maior lucratividade é a essência da estratégia de localização das instalações
3.3.5.2.3 A rede deve ser construída com uma configuração de armazéns, pontos de varejo, fábricas, alocação de estoques, serviços de transporte e sistemas de processamento de informação, que possam atingir um equilíbrio ótimo entre os rendimentos derivados do nível de serviços ao cliente estabelecido pelo projeto de rede e os custos ligados à criação e operação dessa rede
3.3.5.2.4 Conceituação do problema logistico
3.3.5.2.4.1 Quando Planejar
3.3.5.2.4.1.1 Demanda
3.3.5.2.4.1.2 Serviço ao cliente
3.3.5.2.4.1.3 Caracteristica do produto
3.3.5.2.4.1.4 Custos Logísticos
3.3.5.2.4.1.5 Politica de precificação
3.3.5.3 Estratégia logística
3.3.5.3.1 Uma estratégia logística inclui três objetivos principais:
3.3.5.3.1.1 A redução de custos é a estratégia voltada para o enxugamento dos custos variáveis relacionados ao transporte e armazenagem
3.3.5.3.1.1.1 Escolher um entre vários locais de armazenagem
3.3.5.3.1.1.2 Selecionar o melhor modo de transporte
3.3.5.3.1.1.3 Maximização dos lucros é o objetivo maior
3.3.5.3.1.2 Redução de capital...
3.3.5.3.1.2.1 ...estratégia voltada para o enxugamento do nível dos investimentos nos sistemas logísticos.
3.3.5.3.1.2.2 Maximizar o retorno sobre os ativos logísticos é a motivação desta estratégia. Embarcar diretamente para o cliente a fim de evitar o armazenamento
3.3.5.3.1.2.3 Armazenamento público em lugar das opções privadas
3.3.5.3.1.2.4 Abordagem just-in-time em lugar de manter estoques
3.3.5.3.1.2.5 Provedores terceirizados de serviços logísticos
3.3.5.3.1.3 melhoria de serviços
3.3.5.3.1.3.1 Estratégias de melhoria de serviços normalmente admitem que os lucros dependem do nível dos serviços logísticos proporcionado
3.3.5.3.1.3.2 Para ser eficiente, a estratégia de serviço é desenvolvida sempre tendo como parâmetro os serviços proporcionados pelos concorrentes
3.3.5.3.1.3.3 Uma estratégia de logística proativa muitas vezes começa com as metas empresariais e as exigências dos serviços ao cliente
3.3.5.3.1.3.4 Esses fatores já foram mencionados como estratégias de “ataque” para enfrentar a concorrência
3.3.5.3.2 Cada elo do sistema logístico é planejado e comparado com todos os demais num processo de planejamento logístico integrado
3.3.5.4 Cap. 3 O PRODUTO DA CADEIA DE SUPRIMENTO/LOGÍSTICA
3.3.5.4.1 O produto da cadeia de suprimentos/ logística é um conjunto de características que o profissional de logística tem condições de adaptar aos seus objetivos
3.3.5.4.2 O centro do foco no projeto do sistema logístico é o produto, porque é ele o objetivo do fluxo da cadeia de suprimentos, e em sua forma econômica o gerador das receitas
3.3.5.4.3 NATUREZA DO PRODUTO LOGISTICO/CS
3.3.5.4.3.1 Na definição de Juran, um produto é o fruto, ou resultado, de qualquer atividade ou processo O produto é composto por...
3.3.5.4.3.1.1 O produto é composto por uma parte física e outra intangível, que juntas, completam a oferta total de produtos de uma empresa
3.3.5.4.3.1.1.1 A parte física da oferta de produtos é composta de características como peso, volume e forma, além de aspectos de desempenho e durabilidade
3.3.5.4.3.1.1.2 A parte intangível pode ser o suporte pós-vendas, a reputação da empresa e a comunicação destinada a proporcionar informação correta e atualizada
3.3.5.4.3.2 Classificação do produto
3.3.5.4.3.2.1 Classificações amplas de produtos são valiosas para sugerir estratégia logística e, em muitos casos, para entender por que os produtos são fornecidos e distribuídos em determinadas modalidades e maneiras
3.3.5.4.3.2.1.1 Uma classificação tradicional é aquela que divide produtos e serviços em :
3.3.5.4.3.2.1.1.1 produtos de consumo
3.3.5.4.3.2.1.1.1.1
3.3.5.4.3.2.1.1.2 produtos industriais
Show full summary Hide full summary

Similar

Gestão de suprimentos e logística
Carolina Duboc
Logística/Cadeia de Suprimentos: Serviço ao Cliente
Letícia Leite Go
Logística
Lucas P
Logística
May Cipriano
Logística
May Cipriano
SIMULADÃO DE LOGÍSTICA
Mykon da Silva
Qual será minha Profissão??
Andrea Leite
logistica reversa - mapa mental
André Macedo
Logística e Transportes
Nina Machado
Logística
Natalia Sousa
CRM (Customer Relationship Management)
Ana Maria Aquino