Sem título_6

eliana_belem
Flashcards by eliana_belem, updated more than 1 year ago
eliana_belem
Created by eliana_belem almost 8 years ago
141
1

Description

Doutorado Políticas públicas (SUS) Flashcards on Sem título_6, created by eliana_belem on 07/11/2013.

Resource summary

Question Answer
Fatores determinantes e condicionantes da saúde alimentação, a moradia, o saneamento básico, o meio ambiente, o trabalho, a renda, a educação, o transporte, o lazer e o acesso aos bens e serviços essenciais
Maneira da iniciativa privada participar do SUS Participa em caráter complementar
Conceito Vigilância Sanitária a Vigilância Sanitária é um conjunto de ações capaz de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde, abrangendo: 1. O controle de bens de consumo que, direta ou indiretamente, se relacionem com a saúde, compreendidas todas as etapas e processos, da produção ao consumo, e; 2. O controle da prestação de serviços que se relacionam direta ou indiretamente com a saúde.
Conceito Vigilância Epidemiológica é um conjunto de ações que proporcionam o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes de saúde individual ou coletiva, com a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos
Conceito de Saúde do Trabalhador é definida como um conjunto de atividades que se destina, através das ações de vigilância epidemiológica e vigilância sanitária, à promoção e proteção da saúde dos trabalhadores, assim como visa à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condições de trabalho, abrangendo 1. Assistência ao trabalhador vítima de acidentes de trabalho ou portador de doença profissional e do trabalho; 2. Participação, no âmbito de competência do SUS, em estudos, pesquisas, avaliação e controle dos riscos e agravos potenciais à saúde existentes no processo de trabalho; 3. Participação, no âmbito de competência do SUS, da normatização, fiscalização e controle das condições de produção, extração, armazenamento, transporte, distribuição e manuseio de substâncias, de produtos, de máquinas e de equipamentos que apresentam riscos à saúde do trabalhador
Conceito de saúde do trabalhador é definida como um conjunto de atividades que se destina, através das ações de vigilância epidemiológica e vigilância sanitária, à promoção e proteção da saúde dos trabalhadores, assim como visa à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condições de trabalho, abrangendo 4. Avaliação do impacto que as tecnologias provocam à saúde; 5. Informação ao trabalhador e à s ua respectiva entidade sindical e às empresas sobre os riscos de acidentes de trabalho, doença profissional e do trabalho, bem como os resultados de fiscalizações, avaliações ambientais e exames de saúde, de admissão, periódicos e de demissão, respeitados os preceitos da ética profissional; 6. Participação na normatização, fiscalização e controle dos serviços de saúde do trabalhador nas instituições e empresas públicas e privadas
Conceito de Saúde do Trabalhador é definida como um conjunto de atividades que se destina, através das ações de vigilância epidemiológica e vigilância sanitária, à promoção e proteção da saúde dos trabalhadores, assim como visa à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condições de trabalho, abrangendo: 7. Revisão periódica da listagem oficial de doenças originadas no processo de trabalho, tendo na sua elaboração a colaboração das entidades sindicais, e; 8. A garantia ao sindicato dos trabalhadores de requerer ao órgão competente a interdição de máquina, de setor de serviço ou de todo ambiente de trabalho, quando houver exposição a risco iminente para a vida ou saúde dos trabalhadores.
Assistência Farmacêutica Integral. Dispensação, o que consiste? A dispensação consiste, conforme a doutrina farmacêutica, no ato do farmacêutico orientar e fornecer aos usuários os medicamentos e insumos farmacêuticos necessários ao seu tratamento
Assistência Farmacêutica Integral. Dispensação, critérios Dispensação (fornecimento) de medicamentos e produtos de interesse para a saúde, cuja prescrição esteja em conformidade com as diretrizes terapêuticas definidas em protocolo clínico para a doença ou o agravo à saúde a ser tratado ou, na falta do protocolo, em conformidade com o disposto na LOS
Assistência Farmacêutica Integral. Produtos de interesse para a saúde Produtos de interesse para a saúde os seguintes elementos: órteses, próteses, bolsas coletoras e equipamentos médicos
Assistência Farmacêutica Integral. Como devemos entender protocolo clínico e diretriz terapêutica devem ser entendidos como documentos que estabelecem: a) Os critérios para o diagnóstico da doença ou do agravo à saúde; b) O tratamento preconizado, com os medicamentos e demais produtos apropriados, quando couber
Assistência Terapêutica Integral. Protocolo clínico. O que deve ter? O protocolo clínico e a diretriz terapêutica devem ser entendidos como documentos que estabelecem: c) As posologias recomendadas; os mecanismos de controle clínico, e; d) O acompanhamento e a verificação dos resultados terapêuticos, a serem seguidos pelos gestores do SUS.
Assistência Terapêutica Integral. Outro ponto que deve ter 2. Oferta de procedimentos terapêuticos, em regime domiciliar, ambulatorial e hospitalar, constantes de tabelas elaboradas pelo gestor federal do SUS, realizados no território nacional por serviço próprio, conveniado ou contratado
A LOS deve estar em conformidade com o artigo 198 da CF. As ações públicas e os serviços (públicos ou privados) 1. Descentralização, com direção única em cada esfera de governo (federal, estadual, distrital e municipal); 2. Atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços assistenciais, e; 3. Participação da comunidade
Organização, Direção e Gestão do SUS Organização as ações e serviços de saúde, executados pelo SUS, seja diretamente ou mediante participação complementar da iniciativa privada, serão organizados de forma regionalizada e hierarquizada em níveis de complexidade crescente.
Organização, Direção e Gestão do SUS. DIREÇÃO A direção é descentralizada e com direção única em cada esfera de governo
Organização, Direção e Gestão do SUS. DIREÇÃO- UNIÃO, esfera federal A direção (ou comando), por sua vez, será exercida pelo Ministério da saúde
Organização, Direção e Gestão do SUS. DIREÇÃO- Estados e Distrito Federal, esfera estadual e distrital A direção (ou comando), por sua vez, será exercida pela Secretaria de Saúde ou órgão equivalente
Organização, Direção e Gestão do SUS. DIREÇÃO- Município, esfera municipal Secretaria da saúde ou órgão equivalente
Organização, Direção e Gestão do SUS. Gestão Criação de consórcios- Consorcios Administrativos Intermunicipais - CAI os munícipios poderão constituir consórcios para desenvolver as ações e os serviços de saúde que lhes correspondam o SUS, no nível municipal, poderá organizar-se em distritos de forma a integrar e articular recursos, técnicas e práticas voltadas para cobertura total das ações de saúde
Organização, Direção e Gestão do SUS. Gestão Criação de Comissões Intersetoriais (CI) no âmbito Nacional a quem pertencem São subordinadas ao Conselho Nacional de Saúde e integradas pelos Ministérios, Órgãos Competentes e por Entidade Representativas da Sociedade Civil
Organização, Direção e Gestão do SUS. Gestão Criação de Comissões Intersetoriais (CI) no âmbito Nacional FINALIDADE As CI terão por finalidade a articulação de políticas e programas de interesse para a saúde, cuja execução, envolva áreas não compreendidas no âmbito do SUS. Essa articulação abrangerá, em especial, as seguintes atividades: 1. Alimentação e nutrição; 2. Saneamento e meio ambiente; 3. Vigilância sanitária e farmacoepidemiologia; 4. Recursos humanos; 5. Ciência e tecnologia, e; 6. Saúde do trabalhador.
Show full summary Hide full summary

Similar

Políticas públicas educacionais no Brasil: tecendo fios
Gabriela Melliss
SUS E ATENÇÃO A SAÚDE NO BRASIL
danieleyuri
Sistema Único de Saúde
Vanessa Campos
POLÍTICAS PÚBLICAS
Alan Nunes
Sistema Único de Saúde- SUS
eliana_belem
Sistema Único de Saúde- SUS
Giovanna Oliveira
ASSISTÊNCIA DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS)
ariana emanuelly
Lei n.º 8.142/1990 Participação da Comunidade na Gestão do SUS
eliana_belem
Sistema Único de Saúde (SUS)
Guilherme Ferrarini
Sistema Único de Saúde- SUS
MAYARA PATRICIA DE MATTOS
Sem título_7
eliana_belem