SEMIOLOGIA DA PELE

Description

Veterinária Mind Map on SEMIOLOGIA DA PELE, created by mayra Moreira on 04/01/2020.
mayra Moreira
Mind Map by mayra Moreira, updated more than 1 year ago
mayra Moreira
Created by mayra Moreira over 2 years ago
7
0

Resource summary

SEMIOLOGIA DA PELE
  1. PELE: Maior órgão de um animal
    1. Barreira anatômica e fisiológica entre os organismos e ambiente
      1. É sensível ao frio, calor, a dor, ao prurido e a pressão
        1. 30% a 75% dos atendimentos em clínicas de pequenos animais
          1. Espelho do organismo refletindo moléstias internas por mudanças no aspecto tegumentar
            1. Composta por três camadas de tecidos :
              1. HIPODERME (SUBCUTÂNEA); localizada abaixo da derme, composta por tecido conjuntivo do tipo frouxo ao denso
                1. DERME: localizada abaixo da epiderme, composta de colágeno e elastina
                  1. EPIDERME: camada mais externa, formada por tecido epitelial
                2. IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE: espécies, faixa etária, raça, sexo e coloração da pele
                  1. FAIXA ETÁRIA: Animais filhotes levar em consideração o estado imunológico frágil após desmame.
                    1. Animais jovens e adultos desenvolvem quadros de alergias.
                      1. Animais idosos são acometidos por doenças auto-imunes, neoplasias devido alterações hormonais.
                    2. SEXO: Dermatopatias ocasionadas por neoplasias em testículos visto em macho e as ovarianas em fêmeas.
                      1. Abcessos em felinos machos adquiridos por disputa territoriais.
                        1. Verificar se o animal é castrado, pois alguns quadros estão relacionados à presença ou ausência de cio.
                      2. COLORAÇÃO DA PELE: Certas Dermatopatias estão diretamente relacionadas à coloração da pele, como exemplo é o Carcinoma espinocelular em felinos brancos, pela exposição em excesso ao sol.
                        1. RAÇA: Dentre as raças existem predisposições a determinadas dermatopatias, essas podem estar ligadas ao aspecto morfológico e anatômico ou por herança genética.
                        2. EXAME CLÍNICO: Identificação, Anamnese, Exame físico e Exames complementares
                          1. ANAMNESE (50% do diagnóstico): Não existe nenhum padrão de anamnese para a pele, porém existem algumas perguntas chaves que devem ser destacadas durante a realização da mesma em quadro tegumentar.
                            1. QUEIXA PRINCIPAL: Qual o principal sinal que o animal demonstrou? Houve evolução? Início do quadro? Tratamentos efetuados? Consequência do tratamento efetuado?
                              1. ANTECEDENTES: Determinar os antecedentes sejam recentes ou antigos.
                                1. PROCEDÊNCIA DO ANIMAL: Criadouro e feira de exposição são exemplos de disseminação de sarnas e dermatofitoses pela aglomeração de animais.
                                  1. PROCEDÊNCIA GEOGRÁFICA DO ANIMAL: Cidades onde algumas moléstias são características de determinadas regiões. (ex: LEISHMANIOSE)
                                    1. AMBIENTE: Existem quadros que estão diretamente ligados a produtos utilizados para higienização das instalações como DERMATITE DE CONTATO, o tempo que as excretas permanecem no ambiente que pode levar a contaminação por MIÍASES.
                                    2. PARENTESCO: Se algum familiar(pai, mãe, irmão, filho) já apresentou o quadro com o objetivo de colher informações de caráter hereditário.
                                      1. INICIO DO QUADRO E TEMPO DE EVOLUÇÃO: Objetivo de avaliar o curso evolutivo da enfermidade, quadros agudos como DERMATITE ÚMIDA AGUDA, DERMATITE DE CONTATO e o ERITEMA MULTIFORME
                                        1. Já outras crônicas como NEOPLASIAS, DEMODiCOSE, quadros alérgicos podem perdurar por anos.
                                        2. HÁBITOS: Se o animal possui acesso à rua ou contato com outros animais, ambientes que podem estar contaminados com ECTOPARASITAS.
                                          1. MANEJO: Higienização do animal com produtos que podem ocasionar reações alérgicas ou presença de ECTOPARASITAS, e até mesmo decomposição da barreira biológica protetora da pele pelo excesso de banho.
                                            1. ALIMENTAÇÃO: Influência diretamente na qualidade do pelo e do pelame. Existem moléstias que estão ligadas a este fator como a SEBORRÉIA, DERMATOSE ALÉRGICA ALIMENTAR dos cães entre outras.
                                              1. PRURIDO: É a sensação desagradável que manisfesta no animal a desejo de se coçar. Coceira leve, moderada ou severa.
                                              2. EXAME FÍSICO: Inspeção direta, Inspeção indireta, Palpação, Olfação
                                                1. INSPEÇÃO DIRETA: Ambiente com boa iluminação, primeiro contato distancia de 1,5m levando em consideração a distribuição, gravidade e região anatômica acometida.
                                                  1. INSPEÇÃO INDIRETA: Na dermatologia quase todos os exames complementares são métodos de inspeção indireta. Indispensáveis para diagnostico correto de DERMATOPATIAS.
                                                    1. PALPAÇÃO: Determinar aspecto, sensibilidade, volume (diferenciar EDEMA de ENFISEMA), espessura, elasticidade (grau de hidratação do animal), temperatura, mobilidade, consistência e umidade da pele.
                                                      1. OLFAÇÃO: Meio ligado diretamente à experiência do MEDICO VETERINÁRIO, exemplo são as miíases que possuem cheiro ou liqueinificações lipídicas característicos de algo rançoso.
                                                      2. EXAMES COMPLEMENTARES: VITROPRESSÃO, LÂMPADA DE WOOD, TESTE DA FITA ADESIVA, TRICOGRAMA, RASPADO CUTÂNEO, EXAME MICOLÓGICO, CITOLOGIA POR ASPIRADO COM AGULHA FINA(CAAF) BIÓPSIAS E HISTOPATOLÓGICOS
                                                        1. MORFOLOGIA DAS LESÕES CUTÂNEAS (ALTERAÇÕES DE COR): ERITEMA, CIANOSE, ICTERÍCIA, MANCHA ANÊMICA, PURPURA, TELANGIECTASIA.
                                                          1. MANCHAS PIGMENTARES OU DISCRÔMICAS: HIPOPIGMENTAÇÃO OU HIPOCROMIA, ACROMIA, HIPERPIGMENTAÇÃO OU HIPERCROMIA.
                                                            1. FORMAÇÕES SÓLIDAS: PÁPULA, PLACA, TUMOR, GOMA, VERRUCOSIDADE, VESÍCULA, BOLHA, CISTO, ABSCESSO, FLEGMÃO, HEMATOMA.
                                                              1. ALTERAÇÕES DE ESPESSURA: HIPERQUERATOSE, LIQUENIFICAÇÃO, EDEMA, CICATRIZ.
                                                                1. PERDAS TECIDUAIS E REPARAÇÕES: ESCAMA, EROSÃO, ESCORIAÇÃO, ULCERAÇÃO, CROSTA, FÍSTULAS.
                                                      Show full summary Hide full summary

                                                      Similar

                                                      Sistema Respiratório
                                                      bedamorim
                                                      Tecido Epitelial
                                                      bedamorim
                                                      FISIOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 1
                                                      Paula Ceccon
                                                      Tecido Conjuntivo
                                                      bedamorim
                                                      PATOLOGIAS DO SISTEMA CARDIOVASCULAR
                                                      Jéssica Severo Dametto
                                                      Anti-inflamatórios
                                                      Alhena Karen Leal
                                                      Patologia Geral
                                                      Chalana Oliveira
                                                      Citoesqueleto
                                                      Danielle Ciliberto
                                                      Anestésicos Inalatórios
                                                      Alhena Karen Leal
                                                      Hematologia
                                                      Jéssica Aline Alves
                                                      Medicina Interna de Cães e Gatos [I]
                                                      LAMV-UFV