Teorias da Motivação

Hugo de Sena
Mind Map by , created almost 4 years ago

Teorias da motivação em psicologia organizacional

166
9
0
Hugo de Sena
Created by Hugo de Sena almost 4 years ago
Como definir um grande líder com uma palavra?
Emmanuela Pimenta
Quiz sobre Freud
Yasmin Padovan
TERAPIA FAMILIAR
dacir martins
Of Mice and Men
amyk4321
New GCSE history content
Sarah Egan
PSICOLOGIA DA GESTALT
eleuterapara
DOENÇA MENTAL E TRATAMENTO -Texto 16
eleuterapara
Behaviorismo - Skinner
Suliane Makelry
Psicologia Jurídica - Questões para reflexão sobre as aulas e o livro
Silvio R. Urbano da Silva
Mitos e Verdades: Salário X Motivação
Liliane Tubino
Teorias da Motivação
1 Hierarquia das necessidades
1.1 Abraam Maslow
1.1.1 As necessidades são sequenciais. FISIOLÓGICAS, SEGURANÇA, SOCIAL, ESTIMA E AUTORREALIZAÇÃO.Quanto mais na base, maior o desejo de satisfazer a necessidade.
2 ERC
2.1 Clayton Alderfer
2.1.1 EXISTÊNCIA: Fisiológicas e segurança; RELACIONAMENTO: Necessidades sociais e de estima; CRESCIMENTO: Realização
2.1.1.1 As necessidades não são hierárquicas, e podem ser simultâneas.
3 Necessidades de McClelland
3.1 Necessidades também são de ordem biológica. SEM HIERARQUIA. As necessidades se inter-relacionam.
3.1.1 REALIZAÇÃO: Busca de excelência e realização; prefere trabalhos com bastante responsabilidade.
3.1.2 PODER: fazer com que os outros se comportem de um modo que não fariam naturalmente.
3.1.3 ASSOCIAÇÃO: Relacionamentos próximos e amigáveis.
4 X e Y
4.1 Douglas Mac Gregor
4.1.1 Duas visões opostas do ser humano.
4.1.1.1 Teoria x: o funcionário é preguiçoso, desatento, tira proveito das situações. Merece ser enfaticamente fiscalizado.
4.1.1.1.1 XATO: Necessidades de nível mais baixo.
4.1.1.2 Se as pessoas tivessem um adequado contexto laboral, produziriam adequadamente, sem cobrança ou ameaça.
4.1.1.2.1 YNTELIGENTE. Necessidades de nível mais alto.
5 Dois fatores
5.1 Herzberg.
5.1.1 Também conhecida como teoria da motivação-higiene. A motivação resulta da NATUREZA do trabalho em si e não de recompensas externas ou de condições de trabalho.
5.1.1.1 Fatores de higiene: aspectos do trabalho relacionados às necessidades de natureza "animal" - salário, supervisão, colegas de trabalho e políticas organizacionais;
5.1.1.2 Fatores de motivação: aspectos considerados importantes para a necessidade de crescimento - valorização, reconhecimento, responsabilidade e natureza do trabalho em si.
5.1.1.2.1 Herzberg acreditava que estes eram os que efetivamente promoviam motivação.
6 Reforço
6.1 O comportamento é uma resposta ao ambiente. Recompensas ou reforços afetam o comportamento
6.1.1 A probabilidade de um comportamento ocorrer aumenta se for seguida por um recompensa.
6.1.2 Pode diminuir se for seguido de punição
7 Expectativa
7.1 As pessoas estão motivadas quando acreditam que seu comportamento resultará em consequências que elas desejam.
8 Auto eficácia
8.1 A motivação e o desempenho são determinados pela crença das pessoas sobre o quanto elas pode desempenhar bem um trabalho.
8.1.1 Efeito Galatea - a crença positiva das pessoas sobre suas próprias capacidades levaram a ter um desempenho elevado.
8.1.2 Indivíduos com altos níveis de eficácia sentem menor sensação de sobrecarga, sentem-se bem-estar relacionado ao trabalho e, com isso, desempenham melhor suas atividades.
9 Justiça/equidade
9.1 Teoria da Justiça: as pessoas valorizam a percepção de justiça no ambiente de trabalho e, portanto, são motivadas a mantê-la nas suas relações com a organização.
9.1.1  A Teoria da Justiça não necessita que o indivíduo se compare com outros para haver percepções de injustiça
9.2 Teoria da Equidade: as pessoas são motivadas a buscar uma condição de igualdade ou justiça no ambiente de trabalho. A desigualdade surge quando há comparação entre um funcionário e outro.
10 Fixação de metas
10.1 A motivação é alcançada por meio da definição de metas, claras, compatíveis com a competência da pessoa. As metas precisam ser aceitas pelo sujeito da ação, se possível, que sejam autofixadas e é importante que seja dado feedback sobre o progresso, continuamente. (SPECTOR, 2010)
10.1.1 A meta orienta a ação por meio de três mecanismos: Mobilizando atenção e esforços para ação; Trazendo persistência para a ação; Facilitando o desenvolvimento de uma estratégia para a ação.
11 Controle
11.1 Teoria ligada à fixação de metas e coloca o FEEDBACK sobre o progresso das metas como fator propulsor para a motivação do indivíduo continuar agindo de forma a tentar alcançar sua meta.
11.1.1 É necessário que a pessoa acredite que a meta é alcançável.
11.1.1.1 No processo de receber o feedback sobre o progresso da ação, o funcionário compara com algum padrão interno ou parâmetro externo já estabelecido; supervisor e funcionário podem ir readequando a meta ou criando estratégias para o alcance da mesma.
12 Aprendizagem social
12.1 Bandura
12.1.1 O alcance dos objetivos depende de três componentes, que são influenciados pelo contexto e por variáveis de personalidade:
12.1.1.1 Auto-observação serve para o autodiagnóstico e a automotivação, que por sua vez, facilitam a definição de metas e objetivos e consecução de esforços para a ação.
12.1.1.2 Autoavaliação serve para o sujeito identificar a lacuna entre a condição atual e a desejada .
12.1.1.3 Autoeficácia traz resultados positivos no desempenho, pois consiste na pessoa acreditar que é capaz de realizar a ação.
13 Avaliação cognitiva de Deci
13.1 O indivíduo tende a se motivar a realizar alguma tarefa, quando ele percebe o controle de suas ações como advindo de causas internas e não externas.
13.1.1 Se a causa é um fator externo, não há motivação intrínseca para a realização da ação.
13.2 O homem decide conscientemente o que quer ou não fazer.
14 Fluxo
14.1 Considera a motivação como "estado emocional de curta duração e alta ativação, caracterizado pela clareza de metas, intensa concentração e percepção de total controle da atividade que está sendo realizada" (Zanelli, Borges-Andrade e Bastos , 2008, p.156)
14.1.1 Fatores para atingir tal estado:
14.1.1.1 Metas claras, atingíveis e feedback contínuo;
14.1.1.2 Permitir que a pessoa tenha controle do processo, ao observar que suas competências estão sendo utilizadas na atividade;
14.1.1.3 Minimizar os fatores de distração, permitindo que a pessoa perca um pouco da noção de tempo e se entregue completamente à atividade;
14.1.1.4 Identificar as situações potenciais capazes de provocar na pessoa este estado de fluxo.
15 Autoregulação
15.1 Autorreação = resposta afetiva à autoavaliação, seja ela positiva ou negativa e à crença na capacidade de realização.
15.2 Auto-observação
15.3 Autoavaliação