A era Vargas

Gustavo Lemos
Mind Map by Gustavo Lemos, updated more than 1 year ago
Gustavo Lemos
Created by Gustavo Lemos over 5 years ago
45
0

Description

Gustavinho zika

Resource summary

A era Vargas
  1. A Era Vargas, teve início com a Revolução de 1930 onde expulsou do poder a oligarquia cafeeira, dividindo-se em três momentos
    1. Governo Provisório -1930-1934 Governo Constitucional – 1934-1937 Estado Novo – 1937-1945
      1. Foi um movimento de revolta armado, ocorrido no Brasil em 1930, que tirou do poder, através de um Golpe de Estado, o presidente Washington Luiz. Com o apoio de chefes militares, Getúlio Vargas chegou à presidência da República.
        1. Com o Golpe de 1930 terminou o domínio das oligarquias no poder. Getúlio Vargas governou o Brasil de forma provisória entre 1930 e 1934 (governo provisório). Em 1934, foi eleito pela Assembleia Constituinte como presidente constitucional do Brasil, com mandato até 1937. Porém, através de um golpe com apoio de setores militares, permaneceu no poder até 1945, período conhecido como Estado Novo.
          1. Democracia
            1. A democracia populista que se inaugurou em 1945 foi caracterizada por profunda instabilidade. Dos cinco presidentes da República no período, apenas dois cumpriram o mandato até o fim: Eurico Gaspar Dutra (1946-1950) e Juscelino Kubistchek (1956-1960). Getúlio (1950-1954) se suicidou, Jânio Quadros (1961) renunciou e João Goulart (1961-1964) foi deposto por um golpe militar.
              1. Constituição
                1. Constituição é o conjunto de leis, normas e regras de um país ou de uma instituição. A Constituição regula e organiza o funcionamento do Estado. É a lei máxima que limita poderes e define os direitos e deveres dos cidadãos. Nenhuma outra lei no país pode entrar em conflito com a Constituição.
                  1. Com a Constituição de 1946, mantiveram-se os direitos sociais e garantiram-se os direitos civis e políticos
            2. Golpe
              1. Censura
                1. Ditadura Militar
                  1. O golpe civil-militar de abril de 1964 foi fruto de longa conspiração entre políticos da oposição e líderes militares. Com forte viés anticomunista, interrompeu violentamente a experiência democrática do país com o apoio das elites empresariais, dos setores conservadores da Igreja, das camadas médias urbanas e dos grandes produtores rurais.
                    1. Milagre Econômico
                      1. Do ponto de vista da economia, o período ficou conhecido como “milagre econômico”, devido às taxas de crescimento do PIB, que alcançaram 10% ao ano em média. Esse surto de crescimento também ficou conhecido como “modernização conservadora”, devido aos níveis de concentração de renda criados pelo “milagre”
                        1. Ao fim do“milagre”, a maior parte da população não recebeu a sua parte e o Brasil alcançou uma de suas maiores marcas no que diz respeito à desigualdade social.
                          1. Nova República
                            1. Redemocratização Social
                              1. Após a aprovação da Lei da Anistia, em 1979, que impediria a criminalização dos responsáveis por assassinatos, tortura e ocultação de cadáveres no período anterior, teve início a abertura política, que culminaria com o fim do regime civil-militar, em 1985.
                                1. O Estado brasileiro entrou em uma nova fase democrática, definindo as bases para o início de um projeto democrático com a Constituição promulgada em 1988
                                  1. Impeachment
                                    1. No início dos anos 1990, o Estado brasileiro passou por um duro teste: o impeachment de Fernando Collor de Mello, o primeiro presidente eleito por eleições diretas desde 1960. Sob acusações de corrupção, o governo Collor perdeu o apoio de políticos e empresários e foi 33 duramente combatido nas ruas por significativos contingentes populares, em especial os “caras-pintadas”, estudantes que exigiam a cassação do presidente
                                      1. Temendo a cassação pelo Congresso Nacional, Fernando Collor renunciou ao cargo em 29 de dezembro de 1992; mesmo assim, seus direitos políticos foram cassados por oito anos. Com a renúncia, assume o poder Itamar Franco, que nomeia, em 1993, Fernando Henrique Cardoso como ministro da Fazenda.
                                        1. Governos Posteriores Collor
                                          1. O governo Itamar conseguiu superar a crise política e a hiperinflação, e o Brasil aprofundou as reformas neoliberais iniciadas nos governos Collor e Itamar.
                                            1. O governo FHC seguiu as políticas de privatização e de regulação dos gastos públicos para atingir o superávit primário (de modo que as receitas sejam maiores que os gastos), seguindo as diretrizes do FMI e do Banco Mundial estabelecidas no Consenso de Washington. Apesar da estabilidade econômica decorrente do plano Real, as consequências das políticas neoliberais implementadas, como a redução da atividade econômica e o aumento do desemprego, somadas ao contexto de crise energética e à recessão nos planos nacional e internacional, levaram a um forte desgaste e à derrota de seu partido nas eleições de 2002.
                                              1. O governo de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2006; 2007-2010) foi o primeiro no qual um exoperário foi alçado ao poder. Líder do Partido dos Trabalhadores (PT), criado no processo de abertura política do fim dos anos 1970 e início dos 1980, Lula apoiou-se tanto em sua liderança 34 carismática quanto em uma ampla aliança política, que reunia empresários, sindicalistas, camadas médias, ambientalistas e inúmeros outros atores sociais. Abrandando as políticas neoliberais, o governo Lula avançou em programas sociais de redistribuição de renda como os programas Vale Gás, Bolsa Alimentação e o Bolsa Escola, criados em gestões anteriores, que foram unificados e expandidos no programa Bolsa Família (Figura 6.23). Além disso, o governo Lula privilegiou o mercado interno e consolidou os fundamentos macroeconômicos do país. Essas conquistas projetaram fortemente a imagem do Brasil no mundo.
                                                1. O governo Lula também foi marcado por episódios de corrupção e clientelismo. Tais práticas limitam a transparência pública e põem em risco os fundamentos do Estado 35 democrático de direito. Sua superação é o maior desafio do Estado atual. Apesar disso, em 2010, o aumento da aceitação popular das iniciativas socioeconômicas ampliaram a aprovação do governo Lula e levaram à eleição de sua ex-ministra da Casa Civil, Dilma Roussef como a primeira presidenta do Brasil.
                                                  1. Mudança
                                                    1. A transformação do Brasil em um país mais justo e democrático é uma responsabilidade de todos aqueles que sonham, lutam e acreditam num país melhor para todos. Afinal, sem mobilização social nada se transforma.
                        2. Repressão e Tortura
                          1. A ditadura militar estendeu-se por mais de 20 anos. Foi um regime marcado pela repressão, que violentou duramente os direitos políticos e civis e promoveu práticas como tortura e assassinatos
                            1. Futebol como Propaganda
                            2. ''Brasil Ame-o ou deixe-o''
                    Show full summary Hide full summary

                    Similar

                    Turismo na Era Vargas
                    Cao Sem Dono Rock
                    A Era Vargas (1930-45)
                    Alice Sousa
                    Getúlio Vargas - Primeiro Mandato (1930-1945)
                    Bruna Barcelos
                    A Era Vargas (1930-45)
                    Mayara Fernandes
                    A Era Vargas (1930-45)
                    Mayara Fernandes
                    Era Vargas (1930-1945)
                    Sara Martins Silva
                    Era Vargas (1930-45)
                    Vitor Ribeiro
                    ditadura militar
                    Fabíola Braatz
                    Era Vargas 1930 - 1945
                    Mariana Cerqueira
                    HISTÓRIA
                    Luisa Fetzner
                    Era Vargas
                    Elioenai Ferreira