Descolonização África

Rafaela Trisch
Mind Map by Rafaela Trisch, updated more than 1 year ago More Less
Rafaela Trisch
Created by Rafaela Trisch about 3 years ago
5
0
0

Description

Mind Map on Descolonização África, created by Rafaela Trisch on 10/14/2016.

Resource summary

Descolonização África
1 Motivos
1.1 Declínio das potências europeias
1.2 Carta das Nações Unidas
1.3 Movimentos de independência
1.3.1 Apoiados pelos EUA e a URSS
1.3.2 Pan-africanismo
1.3.2.1 Criado no séc. XX
1.3.2.2 Congresso Pan-Africano de Manchester
1.3.3 Panarabismo
1.3.4 Negritude
1.3.4.1 Léopold Senghor, do Senegal, Aimé Césaire, da Martinica, e Léon Damas, da Guiana Francesa.
1.3.4.2 L'etudiant noir (O estudante negro)
1.4 Desvalorização dos esforços dos africanos durante as Guerras Mundiais.
1.5 Elite intelectual nativa
2 Entre 1950 e 1970 a maior parte dos países conquistou a independência.
3 Em 1960, 17 países da África Ocidental Francesa conquistaram a independência.
4 África Ocidental Francesa
4.1 participação de delegados dos territórios além-mar na Assembleia Nacional Constituinte
4.2 Criação da União Francesa
4.3 Criação de um referendo popular para formar a Comunidade Francesa, em 1958
4.4 Pressão popular, independência da Guiné, que foi seguida por as demais colônias francesas.
4.5 Argélia
4.5.1 Exceção
4.5.2 Oito anos de conflito
4.5.3 Grande produtora de petróleo e agrícola.
4.5.4 1º de novembro de 1954 uma série de atentados foram realizados pela Frente de Libertação Nacional da Argélia (FLN)
4.5.4.1 FLN- orientação socialista
4.5.5 Em março de 1962, acordos assinados na cidade de Évian-les-Bains, na França, determinaram o cessar-fogo entre as partes. Em plebiscito realizado em julho do mesmo ano, a maioria da população argelina optou pela independência.
5 Colônias Britânicas
5.1 Nigéria conquistou uma independência negociada
5.2 Entre 1952 e 1960, a Quênia viveu uma grande revolta do povo kikuyu, conhecida como Revolta dos Mau-Mau.
5.2.1 Milhões de mortes
5.2.2 Prisão de Jomo Kenyatta, um dos líderes do movimento pan-africano e fundador da União Africana do Quênia (KAU), que defendia a via pacífica para a independência. Pressionada pelos principais grupos nacionalistas do Quênia, a Coroa britânica libertou Kenyatta. Sob sua direção, o Quênia declarou a independência, em 1962, de forma pacífica e com um programa de conciliação nacional.
6 Colônias Portuguesas
6.1 Em 1930 o governo Português ditatorial de António Oliveira Salazar promulgou o Ato Colonial. Essa lei fazia com que as colônias tivessem a administração uniformizada.
6.2 Jovens intelectuais, atuantes na criação de um projeto para a independência.
6.2.1 Agostinho Neto, do moçambicano Marcelino dos Santos e do cabo-verdiano Amílcar Cabral
6.3 Os EUA, preocupados com os movimentos, em grande parte com orientação socialista, pressionou os portugueses para liberar as colônias.
6.3.1 O governo de Salazar, entretanto, fez o contrário: intensificou a repreensão e os gastos para combater os movimentos.
6.4 Em 1973, após dez anos de luta, o Partido Africano da Independência de Cabo Verde e da Guiné proclamou a independência da Guiné Portuguesa,
6.5 Em abril de 1974, um levante de jovens oficiais derrubou a ditadura em Portugal, o movimento, que ficou conhecido como a Revolução dos Cravos, retomou a democracia do país, Em agosto, o novo governo português reconheceu a independência da Guiné e, em dezembro, nomeou um governo de transição para a independência de Cabo Verde.
6.6 Angola
6.6.1 Três grupos lutavam pela independência
6.6.1.1 Movimento Popular pela Libertação de Angola (MPLA), comunista
6.6.1.2 Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA)
6.6.1.2.1 Anticomunistas
6.6.1.3 União Nacional pela Independência Total de Angola (Unita)
6.6.1.3.1
6.6.2 Em 1975 a independência foi proclamada pelo MPLA, e um governo socialista surgiu- República Popular da Angola.
6.6.2.1 As divergências entre a MPLA e Unita trouxeram uma guerra que se estendeu até 2002, deixando mais de 500 mil mortos. No contexto da Guerra Fria a Unita foi apoiada pelos EUA, enquanto a MPLA era apoiada pela URSS. A guerra terminou com a vitória da MPLA.
6.7 Moçambique
6.7.1 Em 1962, foi fundada a Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), comunista. Em 1975, a Frelimo proclamou a independência do país, implantando um regime socialista.
6.7.1.1 A Frelimo entrou em confronto com a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), grupo anticomunista. Os dois grupos entraram em uma guerra cívil que se estendeu até 92, quando foi assinado um tratado de paz;
Show full summary Hide full summary

Similar

Projeto Med 2015: História e Geografia
elisacoltro
2º Guerra Mundial
João Gabriel
História do Brasil - Período Colonial
alessandra
Períodos da História do Brasil
GoConqr suporte .
Hebreus, Fenícios e Persas
Júlia Flores
Mercantilismo
Professor Junior
Brasil: Primeiro Reinado e Período Regencial
Professor Junior
A CIVILIZAÇÃO ROMANA
Lucas Villar
SEGUNDO REINADO
Lucas Villar
República Velha
Vitor Gomes
Feudalismo
Malu Miralha