Apendicite

Description

Semiologia Mind Map on Apendicite, created by Vanessa Ferreira nogueira on 09/12/2018.
Vanessa Ferreira nogueira
Mind Map by Vanessa Ferreira nogueira, updated more than 1 year ago
Vanessa Ferreira nogueira
Created by Vanessa Ferreira nogueira over 5 years ago
31
1

Resource summary

Apendicite
  1. Anatomia
    1. Em forma de dedo de luva que se projeta do ceco
      1. Aproximadamente a 2,5 cm abaixo da válvula íleo-cecal
        1. Tamanho -> Varia até 30 cm, mas, habitualmente, é de 5 a 10 cm
          1. Largura +- até 0,5 cm
            1. Posição-> retrocecal: 65,3%; pélvico: 31,6%; subcecal: 2,3%; na goteira parietocólica: 0,4%; em posição póstero-ileal: 0,4%7
              1. Vascularização
                1. Ramo apendicular da artéria íleo-cólica que corre no mesoapêndice
                2. A drenagem venosa
                  1. Tributárias da veia íleo-cólica no mesmo meso
                    1. drenagem linfática segue o padrão destas veias
                  2. EPIDEMIOLOGIA
                    1. Causa + comum de abdome agudo de tratamento cirúrgico
                      1. Típica dos adolescentes e adultos jovens
                        1. Incomum antes dos cinco e após os 50 anos
                          1. Parece + frequentemente em países industrializados com hábito alimentar pobre em fibras
                        2. ETIOLOGIA E FISIOPATOLOGIA
                          1. Resulta da obstrução da luz do apêndice
                            1. + por fecalito ou hiperplasia linfoide
                              1. Raro: corpo estranho, parasitas ou tumores
                                1. Anatomia do apêndice, de diâmetro pequeno e de comprimento longo, predispõe a obstrução em alça fechada
                                  1. Oclusão da sua porção proximal
                                    1. Leva ao △ da secreção de muco pela mucosa apendicular distal à obstrução
                                      1. Tempo do o início da dor até os eventos de gangrena e perfuração
                                        1. Perfuração
                                          1. Abscesso bloqueado
                                            1. Peritonite localizada
                                              1. Pode evoluir para generalizada
                                            2. Irregular
                                              1. Maioria dos casos -> 48 horas para a necrose e 70 horas para a perfuração
                                      2. 1- Lúmen ▽
                                        1. Distensão da sua parede e a uma rápida elevação da pressão
                                          1. Distensão estimula fibras nervosas aferentes, produzindo DOR ABDOMINAL
                                            1. Geralmente periumbilical seguida de náuseas e vômitos
                                            2. . Com △ progressivo da pressão intraluminal
                                              1. ▽ Drenagem venosa
                                                1. Desencadeia ISQUEMIA DA MUCOSA
                                          2. 2- trombose das pequenas vênulas e, ao continuar o fluxo arteriolar
                                            1. A parede se torna cada vez + edemaciada
                                            2. 3- Mucosa torna-se progressivamente isquêmica
                                              1. Surgindo ulcerações
                                                1. Levando à quebra da barreira mucosa
                                                  1. Ocorre invasão da parede apendicular pela flora bacteriana intraluminal
                                              2. 4- processo inflamatório deflagrado progride
                                                1. Até atingir a camada serosa- peritônio parietal vizinho
                                                  1. Resulta na MUDANÇA DA LOCALIZAÇÃO DA DOR, que passa a ser referida no quadrante inferior direito
                                                2. 5- persistência da obstrução
                                                  1. Leva a à necrose e à perfuração do apêndice
                                                  2. OBS: a estase intraluminar contribui para o crescimento bacteriano e espessamento do muco
                                                  3. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
                                                    1. Anorexia
                                                      1. Dor abdominal mal definida
                                                        1. Ou referida no mesogástrio ou na região periumbilical, consequência da mediação por fibras nervosas autônomas
                                                        2. Não há melhora com a eliminação de flatos ou com evacuação
                                                          1. Embora pode ter constipação e ▽ da eliminação de flatos
                                                          2. Dor se acentua progressivamente nas primeiras 12/24 horas
                                                            1. Migração da dor para o fossa ilíaca direito devido ao comprometimento do peritônio parietal vizinho, promovido pela irritação das fibras nervosas somáticas
                                                            2. 80% apresentam náuseas ou vômitos
                                                              1. Comum um ou dois episódios no máximo
                                                              2. Febre baixa, entre 37,5 e 38ºC
                                                                1. 39°C em casos de perfuração
                                                                2. SINAIS CLÍNICOS
                                                                  1. ausculta abdominal
                                                                    1. Normal nos casos iniciais
                                                                      1. Casos avançados com peritonite difusa, vai estar ▽ ou ausente
                                                                      2. Palpação
                                                                        1. Iniciada na diagonal oposta da queixa de do
                                                                        2. Hiperestesia cutânea na área de inervação somática das terminações nervosas de T10, T11 e T12
                                                                          1. Toque retal e vaginal são extremamente importantes
                                                                          2. Rara a ocorrência de diarreia
                                                                          3. Exame físico
                                                                            1. Sinal de Rovsing
                                                                              1. Compressão profunda do quadrante inferior esquerdo provoca dor da fossa ilíaca direita pelo deslocamento retrógrado dos gases da luz dos cólons, e consequente distensão do ceco.
                                                                                1. Sinal de psoas
                                                                                  1. Sinal do Obturador
                                                                                    1. Sinal de Blumberg
                                                                                      1. Descompressão dolorosa indicando irritação peritoneal
                                                                                        1. Sinal de irritação peritoneal presente em múltiplas situações
                                                                                        2. sinal de Lopez-Cross
                                                                                          1. Sinal de Lapinsky
                                                                                            1. Sinal de Dunphy
                                                                                              1. Sinal de Lenander
                                                                                                1. Diferença das temperaturas axilar e retal maior do que 1ºC
                                                                                                2. Dor na FID que piora com a tosse
                                                                                                3. Dor à compressão da FID enquanto o paciente eleva o MMII esticado
                                                                                                4. + crianças do sexo masculina
                                                                                                  1. Semiereção do pênis, encontrada em casos de irritação peritoneal.
                                                                                                5. Flexão com rotação externa da coxa direita no paciente deitado poderá provocar dor referida no hipogástrio
                                                                                                  1. +abscesso ou massa inflamatória pélvica
                                                                                                6. Paciente em decúbito lateral esquerdo, a extensão da coxa direita, efetuada pelo examinador
                                                                                                  1. + contato direto do apêndice retrocecal sobre o íleo-psoas, ou quando já existe um abscesso formado na região
                                                                                            Show full summary Hide full summary

                                                                                            Similar

                                                                                            fácies
                                                                                            Bruna Larissa
                                                                                            Exame Físico do Abdômen
                                                                                            Gabriel Rosário
                                                                                            Terminologia Semiologica
                                                                                            Josh Pedrazac
                                                                                            Exame Físico Geral
                                                                                            anderson.icmc
                                                                                            Exame Físico Respiratório
                                                                                            Hyago Connor
                                                                                            Atitude e decúbito preferido
                                                                                            Ana Miranda
                                                                                            SISTEMA RESPIRATÓRIO - SINAIS E SINTOMAS
                                                                                            Joyce Costa
                                                                                            SEMIOLOGIA
                                                                                            Karen Dalla Costa
                                                                                            Fácies - ECG
                                                                                            Eudório Filho